A alavancagem no Forex

O mercado Forex é conhecido por ter certas características diferentes a outros mercados, como a sua grande liquidez, o seu horário (abre de segunda a sexta-feira ininterruptamente) e a seu alavancagem. No mercado Forex podemos chegar a operar até com um alavancagem 1:500, dependendo do broker, isto quer dizer que pela cada euro que temos na nossa conta podemos chegar a mover em mercado 500 euros. Isto é, que a alavancagem, para aquele que ainda não o saiba, é a relação entre capital próprio e crédito.

Como calculamos a alavancagem em Forex?

Primeiro de tudo há que deixar claro que a alavancagem não são a margem, conceitos que muitas vezes confundem-se. As margens é o dinheiro que o broker usa da nossa conta para abrir uma operação, enquanto a alavancagem, como já explicámos antes, é a relação entre capital próprio e crédito.

E como calculamos a alavancagem?

Muito simples, dividindo o nominal da operação que tenhamos aberta, ou operações que tenhamos abertas se são mais de uma, com o nosso capital investido.

Por exemplo, imaginemos que temos uma conta de 5.000 e que o total de nominal das nossas operações no mercado Forex é de 100.000.

O cálculo seria o seguinte: alavancagem = (Nominal das operações)/(capital da nossa conta) = 100.000/5.000 = 20.

A nossa alavancagem seria de 1:20, isto é, pela cada euro que temos em conta estamos a mover 20 no mercado.

E como sabemos qual é o nominal da nossa operação em Forex?

Para isso teremos que rever alguns conceitos básicos do trading em Forex. Mas em resumo, com um lote o nominal da operação são 100.000 unidades monetárias da divisa baseie, com um minilote o nominal da operação são 10.000 unidades monetárias da divisa baseie e com um microlote o nominal da operação são 1.000 unidades monetárias da divisa baseia.

Vantagens e desvantagens da alavancagem

O alaancagem tem coisas boas e coisas más, como tudo nesta vida. Como principal vantagem podemos dizer que a alavancagem dá-nos a oportunidade de fazer crescer a nossa conta mais rapidamente, desde que levemos uma boa gestão deste. O principal inconveniente da alavancagem é o risco que supõe ter uma elevada alavancagem sem uma boa gestão deste.

E daí passa se nos alacancar-mos demasiado?

Pois que estaremos a arriscar muito pela cada operação (supondo sempre que a distância ao stop seja a mesma e somente variemos a nossa alavancagem) e em poucas operações vamos a descapitalizar nossa conta. Aqui entra em jogo a alavancagem asimétrica, poderíamos definir a alavancagem asimétrica como a redução progressiva da capacidade para recuperar as perdas, com um exemplo entendê-lo-emos melhor.

Imaginemos que temos uma conta de 100 e numa operação arriscámos um 1 % da conta e perdemo-lo, isto é, perdemos 1.

Agora a nossa conta é de 99 e para voltar a levá-la a 100 temos que ganhar na seguinte operação um 1.01 %, isto é o que representa 1  sobre 99, praticamente o mesmo do que perdemos.

Mas se em vez de perder 1 perdemos 10, 10 % da conta, teremos que recuperar 10 sobre 90, o que supõe um 11.11 % sobre o nosso capital vigente.

E se perdemos um 25 % da nossa conta teremos que ganhar um 33.33 % para voltar à levar a 100.

Alavancagem no Forex

Como podemos ver, para recuperar uma perda de um 50 % da nossa conta temos que ganhar 100 %. O ponto de não volta, isto é, o puno a partir do qual se complica muito recuperar a perda se encontra entre o 20 % e o 25 %

Agora vamos ver como de perto está esse ponto de não volta segundo o que arrisquemos. Na seguinte tabela comparamos quantas perdas seguidas fazem falta para ultrapassar o ponto de não volta (apanhámos o 25%) se arriscamos um 1%, um 2%, um 3%, um 4%, um 5% e um 10% por operação.

Como podemos ver no quadro de acima, se arriscamos um 1% por operação, precisaremos perder 29 vezes consecutivas para chegar a superar o ponto de não volta, com um risco de 2% por operação precisaremos uma rajada de 15 perdas consecutivas para ultrapassar este ponto, com um risco de 3% precisaremos um total de 10 perdas consecutivas para ultrapassar este ponto e com um risco por operação de 10% ultrapassaremos este ponto à terceira perda consecutiva.

Obviamente, isto é uma aproximação para ver que passaria se passamos com a alavancagem, pois em operativa real também entraria em jogo a gestão monetária.

Qual é a alavancagem ótima?

Com respeito a este tema há muitas teorias e a cada um tem a sua própria opinião ao respeito, para gostos cores. Isto é, que não há um santo grial, não há uma única verdade. Procurando informação sobre este tema no site encontrei este pós que escreveu o forero Imarlo há uns anos (que recomendo ler) no que comenta a fórmula de Lars Kestner, a qual dá uma aproximação da alavancagem ótima dividindo a média das voltas de um método de investimento ou um sistema de trading entre a variância destes, de tal forma que se a média aumenta, aumentará o nível de alavancagem ótimo e se a volatilidade (medida de risco) aumenta, o nível de alavancagem ótimo diminuirá.

No site, em livros ou em cursos/seminários, podemos encontrar outras aproximações para calcular a alavancagem ótima, outros recomendam não ultrapassar um alavancagem de 1:10, outros um alavancagem de 1:20. Mas como disse antes, não há um nível de alavancagem ótimo, o melhor nível de apalancamiento será aquele com o que nos encontremos cómodos e que sobretudo não faça com que descapitalicemos nossa conta em um abrir e fechar de olhos, e mais no mercado Forex, que há brokers que permitem um apalancamiento de até 1:500.

Conclusões sobre a alavancagem

Em resumo, a alavancagem pode ajudar a obter maiores benefícios fazendo trading, mas há que entender muito bem como funciona e o ter controlado em todo momento, pois como explicámos anteriormente, se não temos o controlo sobre este é muito fácil chegar no ponto de não volta da conta. Por isto é importante praticar com uma conta demo.

Sobre o autor

Henrique Garcia
Analista de Mercados