A capitalização bolsista das empresas é importante?

capitalização bolsista das empresas

A capitalização bolsista das empresas é importante? Muitos perguntam se a capitalização bolsista importa quando estamos a analisar uma empresa. Certamente parece que sim,  o Russell 2000 superou o Russell 1000 aproximadamente em 5% este nano (11% contra 6% 23/7/18). Existe esse prémio, ou é simplesmente uma manifestação do meio de sobrevivência? E se existe, em que circunstâncias pode ser oportunidades em investir? Vale a pena investir ativamente em pequenas capitalizações?

Vimos o maior crescimento do Russell 1000 contra o Russell 2000, e podemos verificar também que o Russell 2000 tem uma valorização superior ao top 200. Podemos verificar a sua evolução no gráfico abaixo:

Fonte: Investing

À primeira vista, podemos ver que, desde 2010, o Russell 2000 superou o Top 200, o que indica que, tendo em conta as 1800 empresas com menor capitalização, os rendimentos obtidos são maiores (233,11% versus 162, 67% desde 2010). Estes seriam os resultados no nível do índice, ou seja, o resultado que poderíamos ter capturado com os ETFs. Podemos ver que o investimento em small cpas ou large cpas vê-se influenciada pelos fatores growth ou value investing

Value

No gráfico abaixo, podemos ver os rendimentos obtidos pelos investidores Value nos EUA para todas as ações, pequenas e grandes capitalizações. O investimento em valor, em geral, tem sido uma estratégia que obteve retornos atrativos no universo de small caps, enquanto no universo large caps, os seus resultados foram muito mais discretos. Pode-se notar que, após a crise financeira global de 2008 e 2009, ambas as ações se comportaram praticamente de forma lateral, embora seja verdade que as small caps tem um leve crescimento, enquanto nas large caps isso não ocorreu.

Factor Value EUA (long/short) – Small vs. large caps

Fonte: Factor Research

Vendo nesse ponto de vista, o argumento de que existem mais oportunidades de encontrar valor entre as empresas mais pequenas , e que portanto, o universo de small caps é mais atraente para os investidores que seguem essa estratégia. No entanto, há um gráfico que desmonta esse argumento rapidamente. Este é o gráfico dos spreads de valor contabilístico, que são calculados subtraindo a média dos múltiplos book value  pela média da carteira curta e da carteira longa. Os resultados são praticamente idênticos, o que indica que existem oportunidades iguais, do ponto de vista da valorização, em ambos os universos. Diante desses resultados, não é trivial que as small caps sejam capazes de gerar valor maior do que as large caps consistentemente.

Book Value spreads – Small vs. large caps

Fonte: Factor Research

Growth

Em relação ao estilo de crescimento, se olharmos para o gráfico, não parece haver um melhor desempenho de forma consistente por parte de um dos dois universos . No período de 2002 a 2006, o desempenho de crescimento foi melhor no universo de small caps. No entanto, após a crise, o desempenho das grandes empresas beneficiaram de um ciclo económico melhor.

Fator Growth EUA (long/short) – Small vs. large caps

Fonte: Factor Research

Concluindo, não podemos dizer que alguns são melhores que outros, pois os resultados são diferentes . Dependerá do nosso estilo de investimento e do momento do ciclo em que nos encontramos.

Quando devemos investir em small caps?

Em primeiro lugar, é claro que não é uma estratégia infalível, mas sim um conselho de alguns investidores. Intuitivamente, já podemos saber que as empresas de menor capitalização poderão dar-nos um resultado melhor em momentos de crescimento económico ou recuperação do que as maiores. O motivo é simples, o seu crescimento não está diretamente relacionado nem às taxas de juros nem aos principais fatores macroeconómicos .

Fazendo uma analogia, as empresas pequenas são como barcos pequenos- andam mais rápido e com mais precisão, as empresas large cap são como cruzeiros transatlânticos.

As decisões sobre o lançamento de novos produtos e serviços e como para os inserir no mercado podem ser tomadas e implementadas mais rapidamente em pequenas empresas, com menos entraves administrativos e outros obstáculos que existem em termos de burocrática em grandes empresas. Portanto, quando a economia começa a sair da recessão e a crescer novamente, as small caps podem responder ao ambiente positivo mais rapidamente e potencialmente crescer mais rapidamente do que as large caps .

As pequenas empresas geralmente obtêm a maior parte do seu capital de investidores em ações, em vez de pedir dinheiro emprestado por meio de emissões de obrigações, “modus operandi” mais típico de empresas maiores. Portanto, cenários com taxas de juros mais altas têm um impacto menos negativo sobre a capacidade de crescimento das pequenas empresas, porque não dependem delas para expandir e financiar projetos.

Se quiser aprender mais sobre Bolsa, pode fazer download do nosso manual de gratuitamente

manual bolsa

Sobre o autor

Henrique Garcia
Analista de Mercados

Responder a este tópico

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *