A importância das expectativas nos mercados

Qualexpectativas nos mercados

Qual é a importância das expectativas nos mercados? Desde o início desta crise pandémica que quaisquer desenvolvimentos relativamente ao vírus têm um forte impacto nos mercados financeiros. A razão é muito simples e está relacionada com as expectativas que os investidores têm hoje para com o futuro estado da economia. 

A importância das expectativas nos mercados

Assim, à medida que o vírus se alastrava e o número de casos aumentava, foi possível observar as principais bolsas acionistas mundiais sofrerem reduções substanciais das suas capitalizações. No entanto, nessa altura ainda não existiam maus indicadores económicos sendo estas quebras justificadas unicamente com as perspetivas futuras desses mesmos indicadores. 

Perante a esperada recessão que se avizinhava, governos e bancos centrais um pouco por todo o mundo foram rápidos a reagir através de diversos planos fiscais e monetários que acabaram por contribuir significativamente para impedir uma contínua queda das bolsas acionistas. Os maus indicadores que se esperavam, começaram a tornar-se nessa altura menos pessimistas do que antes – e isto explica o facto de fortes subidas na taxa de desemprego nos Estados Unidos terem tido um reduzido impacto nos índices. No fundo, para além dos programas expansionistas de diversas instituições e da redução do número de casos, essa informação já tinha sido descontada na redução do valor dos índices que se viveu no início da pandemia. Poder-se-á atribuir a três razões o facto de os índices não terem caído à medida que indicadores menos favoráveis iam saindo:

  • Boas expectativas futuras através das ações de governos e bancos centrais, bem como à redução do número de casos;
  • A exposição internacional a que o S&P 500 está sujeito leva-nos a querer que não devemos necessariamente esperar que o índice seja um barómetro da economia dos EUA. Apesar de serem empresas sediadas e cotadas nos Estados Unidos, grande parte tem negócios internacionais com vendas globais;
  • O baixo rendimento do mercado de dívida foi atraindo investidores ao mercado acionista. A dividend yield entre os dois mercados está em níveis substancialmente elevados.

Como será daqui para a frente?

Neste momento, os fundamentais das empresas estão longe das cotações de mercado. Os múltiplos estão a ficar caros e se existir um reconhecimento de que a economia está pior e que as empresas irão ter dificuldades em realizar os resultados do passado recente, poderá existir uma correção em baixa do mercado.

O foque dos mercados é a economia através do vírus. Da mesma forma que a redução do número casos contribuiu para a recuperação dos principais índices acionistas, também a possível existência de uma segunda vaga poderá ditar uma queda. No entanto, a presença de bancos centrais e governos irá certamente existir de forma a evitar tal acontecimento. As expectativas económicas que resultará do confronto entre estas duas forças ditará a futura trajetória dos índices.

0

Sobre o autor

Frederico Aragão Morais

Market Analyst da TeleTrade

Responder a este tópico

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *