BiG: Análise Semanal de Mercado (03-09-19)

big

GBPUSD: Votação parlamentar de hoje poderá incrementar significativamente a probabilidade de eleições antecipadas

GBPUSD_03.09.19

  • Num discurso em que destacou o seu plano de acção doméstico no que diz respeito a gastos públicos, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, também reiterou que o próprio não solicitará uma extensão do prazo para Brexit à União Europeia. Johnson sublinhou que o Brexit se concretizará no dia 31 de Outubro “no ifs or buts”, apelando aos membros do parlamento que não ponham em causa a sua estratégia de renegociação do acordo para Brexit com a União Europeia, através de uma votação que deverá ocorrer hoje de modo a aferir a vontade da Casa dos Comuns para pedir mais uma extensão do prazo para Brexit. O primeiro-ministro considera esta extensão inútil e acredita que pressionando a UE com a ideia de um no-deal Brexit poderá conseguir a eliminação da solução backstop do actual acordo, que foi alcançado pela sua antecessora, Theresa May.
  • Johnson sinalizou que, caso a maioria parlamentar se revele favorável a uma extensão, deverá convocar eleições antecipadas, acreditando que, ao apresentar o Partido Conservador como o partido defensor do Brexit e do resultado do referendo poderá sair vitorioso, pintando os outros partidoscomo defensores de um segundo referendo ou mesmo da permanência e, por isso, desrespeitadores da vontade popular expressa em Junho de 2016.
  • Referência técnica: O cable, actualmente em valores tão baixos como os verificados pela última vez em 1985 (com excepção do flash crash de Outubro de 2016), negoceia dentro de um inquestionável canal descendente. Acreditamos que o par poderá procurar os 76,4% de Fibonacci e, eventualmente, até o limiar inferior do canal. A partir destes níveis, um temporário alívio em alta deverá suceder a provável decisão parlamentar de pedido de  extensão do prazo para Brexit.

USDCAD: Domínio comprador do “rei dólar” e fraqueza do petróleo impulsionam USDCAD

USDCAD_03.09.19

  • O USD Index, que mede o valor do dólar americano relativamente a um cabaz de moedas estrangeiras, alcançou esta semana um novo máximo anual, negociando ao nível de Maio de 2017. Sendo a moeda de reserva internacional, o dólar americano está a gerar movimentos relevantes em diversos pares cambiais.
  • O dólar canadiano, enquanto commodity currency, tem vindo a ser pressionado, em parte devido à desvalorização do crude.
  • Referência técnica: O USDCAD acaba de romper a resistência nos 1,3340 e de sair do padrão de triângulo ascendente, figura de continuidade da tendência ascendente. Preferimos o posicionamento ascendente, mediante a colocação de stop loss abaixo da resistência agora rompida e com uma zona-alvo nos 1,3450. No RSI, assistimos igualmente ao breakout de uma figura técnica de consolidação.

DAX 30: Índice alemão activa ombro-cabeça-ombro e poderá voltar às subidas

dax0309

  • Como actualização da Análise Semanal de Mercado da passada semana, o DAX 30 activou efectivamente o padrão de head & shoulders bottom, avançando acima da neckline nos 11.845 pontos.
  • Historicamente, os principais índices accionistas norte-americanos e o DAX 30 tendem a valorizar em Setembro, com os investidores regressados das das férias a querer melhorar as suas rentabilidades na recta final do ano. Mantendo-se esta influência anual, existe uma sazonalidade positiva para o DAX 30 em Setembro.
  • Referência técnica: Neste momento, o DAX 30 está a consolidar acima da neckline e nos 50% de correcção de toda a queda entre o final de Julho e meados de Agosto, havendo potencial, na nossa opinião técnica, para retomar a tendência ascendente. Aproveitamos a actual consolidação para preferir compras do índice alemão, com um stop loss abaixo da neckline. O próximo nível de resistência está assinalado no gráfico, nos 11.995 pontos. Se quebrar esta resistência, o DAX poderá acelerar as subidas. Caso o DAX recue abaixo dos 11.845 pontos, preferimos sair do trade.

Hong Kong 50: Falta de resolução para a “revolução da água” deverá continuar a penalizar o índice, a curto prazo

Hong Kong 50_03.09.19

  • Em Hong Kong, os protestos pró-democracia que se intensificam desde Junho deste ano são já vistos por muitos como uma tentativa de revolução. Para a concretizar, os resilientes manifestantes assumem uma estratégia clara: “ser água” – “sem forma ou feitio”, “a água pode fluir ou pode colidir”. Um cada vez maior número de manifestantes tem-se juntado a este protesto popular não inédito em motivação, mas, na história recente de Hong Kong, certamente peculiar em forma, convicção, diversidade de pessoas e tácticas envolvidas e grau de violência. Para além de um inequívoco apelo por um Regime Administrativo Especial mais democrático, ideais económicos alicerçam igualmente este movimento de libertação da população de HK.
  • Com uma população de aproximadamente 7,5 milhões de pessoas e um PIB que ronda os USD 363 mil milhões, Hong Kong é visto como líder dos principais centros financeiros asiáticos e um importantíssimo hub para o desenvolvimento de negócios do mundo ocidental na Ásia. A “revolução da água” está já a surtir um impacto social e economicamente disruptivo para HK e a crescente possibilidade de intervenção chinesa ameaça seriamente a atractividade internacional e o papel preponderante que a região desempenha para a esfera corporativa global.
  • Referência técnica: Perante a tendência descendente vigente, o índice de referência de Hong Kong consolida dentro de um triângulo simétrico. Adicionalmente, o nível de 50% de Fibonacci tem-se revelado uma resistência difícil de transpor. Atribuímos maior probabilidade a uma quebra em baixa do referido padrão. Como primeiro nível para quedas, identificamos os 25 mil pontos e, mais abaixo, os 24.685 pontos.

Sobre o autor

BiG Research

Responder a este tópico

Bem-vindo(a) à comunidade!

Selecione os temas que lhe interessa e personalize a sua experiência no Rankia

Enviaremos uma Newsletter cada quinze dias com as novidades de cada categoría que escolheu


Quer receber notificações dos nossos eventos/webinars?


Ao continuar, aceita a política de privacidade