Banco BiG: Análise Semanal de Mercados (04/09/2018)

banco big analise semanal de mercados

EURUSD: Retoma do sentimento negativo reactiva actual perfil de refúgio do dólar norte-americano

 

  • Apesar da divulgaçã das métricas de inflação CPI relativas a Agosto, na Zona Euro, aquém das expectativas, na passada semana, e dos indicadores de actividade económica PMI relativos à manufactura terem desapontado, ontem, em França, Alemanha e Zona Euro, o EURUSD subiu, sugerindo que os investidores em mercado cambial estão conjunturalmente focados nas tensões comerciais em detrimento de indicadores macroeconómicos.
  • A passada semana contou com um desenvolvimento surpreendentemente positivo na esfera do comércio internacional, os EUA e o México alcançaram um acordo construtivo em relação à alteração dos termos do acordo comercial NAFTA. Não obstante o Canadá, terceiro interveniente neste acordo, ainda divergir dos interesses norte-americanos, o mercado parece estar a antecipar um desfecho favorável. Dum ponto de vista de sentimento para o EURUSD, este factor acabou por ofuscar o impacto negativo de Trump ter reiterado que aplicará taxas alfandegárias sobre USD 200 mil milhões de importações chinesas esta quinta-feira, dia 6, perante as quais, a China prometeu retaliação.
  • Referência técnica: O regresso do sentimento negativo aos mercados financeiros voltou a favorecer o USD como activo de refúgio. Ainda que antecipemos que a divulgação do indicador macroeconómico mais preponderante – criação de emprego na economia líder mundial – introduza maior volatilidade para o EURUSD, acreditamos que o par deverá procurar a região de suporte situada em 1,1540 – 1,1510.

AUDNZD: Continuação da tendência altista apresenta oportunidade com risco/retorno apelativo

  • Na presente semana a Reserva Australiana decidiu manter a taxa de juro directora em 1,5%, sendo que a taxa de referência para a Nova Zelândia é de 1,75%. Ainda assim dia 8 de Agosto, Adrian Orr, governador do Banco Central da Nova Zelândia na sua habitual conferência de imprensa admitiu que poderia atrasar o próximo aumento de taxas à semelhança dos restantes bancos centrais. Na sequência desta visão de atrasar o aumento das taxas, o par reagiu com um movimento de alta bastante expressivo, pelo que será razoável admitir que o par poderá continuar a reagir com alguma força em alta até serem divulgadas notícias em contrário sobre a política monetária destes dois blocos económicos, nomeadamente da Nova Zelândia.
  • Referência técnica: Durante metade do ano de 2017, o par apresentou uma performance negativa, sendo que em Abril de 2018 atingiu uma linha de tendência a longo prazo e encetou um movimento de alta que acabou por formar um canal ascendente com bastante poder preditivo. Actualmente o par encontra-se na base do canal, suportado pela média móvel de 100 dias e a quebrar uma bandeira de correcção, o que significa que existe elevada probabilidade de um novo movimento de alta, retomando o canal.

Euro Stoxx 50: Principal índice accionista pan-europeu aproxima-se de nível de suporte

  • As bolsas europeias têm sido penalizadas por quedas pesadas desde o início da semana, trazendo alguns índices accionistas de referência para níveis de suporte. Amanhã, sairão dados dos índices de gestores de compras (PMI) relativos aos serviços na Europa, esperando-se um aumento mensal em vários países.
  • À medida que nos aproximamos da revisão anual dos componentes do índice, prevista para 21 de Setembro, alguns nomes começam a ser apontados. O Deutsche Bank, que já desvalorizou 38,5% desde o início do ano, é uma das acções que poderão abandonar o Euro Stoxx 50, bem como a francesa Saint-Gobain e a alemã E.ON. Como novas entradas no índice, o grupo francês de bens de luxo Kering, a química alemã Linde e a tecnológica espanhola Amadeus são os nomes esperados.
  • Referência técnica: O suporte nos 3.340 pontos poderá segurar o Euro Stoxx 50 a curto prazo e motivar uma recuperação temporária, que nos parece atractiva em termos de relação risco/retorno. Caso quebre o suporte, o índice tem espaço para cair até à zona de suporte nos 3.280 pontos. Outros índices de referência, como o DAX 30 e o IBEX 35, negoceiam dentro de canais de negociação descendente, pelo que novos mínimos relativos no Euro Stoxx 50 não seriam surpreendentes.
Este documento foi preparado exclusivamente para fins informativos, baseando-se em informações disponíveis para o público em geral e recolhida de fontes consideradas de confiança. O BiG não assume qualquer responsabilidade pela correcção integral da informação disponibilizada, nem deve entender-se nada do aqui é constante como indicador de que quaisquer resultados serão alcançados. Chama-se particularmente a atenção para o facto de que os resultados previstos são susceptíveis de alteração em função de modificações que se venham a verificar nos pressupostos que serviram de base à informação agora disponibilizada. Adverte-se igualmente que o comportamento anterior de qualquer valor mobiliário não é indicativo de manutenção de comportamento idêntico no futuro, bem como que o preço de quaisquer valores pode ser alterado sem qualquer aviso prévio. Alterações nas taxas de câmbio de investimentos não denominados na moeda local do investidor poderão gerar um efeito adverso no seu valor, preço ou rendimento. Este documento não foi preparado com nenhum objectivo específico de investimento. Na sua elaboração, não foram consideradas necessidades específicas de nenhuma pessoa ou entidade. O BiG, ou seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição, sujeita a alterações, em quaisquer dos títulos referenciados nesta nota. O BiG poderá disponibilizar informação adicional, caso tal lhe seja expressamente solicitado. Este documento não consubstancia uma proposta de venda, nem uma solicitação de compra para a subscrição de quaisquer valores mobiliários.
0

Sobre o autor

BiG Research

Responder a este tópico

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *