Eleições Americanas e o Mercado Acionista - Rankia Portugal
Entrar Criar conta
Acesso
Entrar em Rankia

Bem-vindo à sua comunidade financeira

Informe-se, debata, compartilhe experiências; aprenda sobre como economizar e investir. Faz parte da maior comunidade financeira, já somos mais de 750.000 desde 2003. Você se inscreve?

Eleições Americanas e o Mercado Acionista

Subscrever Agora

Selecione os temas que lhe interessa e personalize a sua experiência no Rankia

Enviaremos uma Newsletter cada quinze dias com as novidades de cada categoría que escolheu


Quer receber notificações dos nossos eventos/webinars?


eleções americanas

As próximas eleições do dia 3 de novembro, vão colocar frente a frente o atual Presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump, e o ex-Vice-Presidente dos Estados Unidos da América, Joe Biden. De acordo com as sondagens que têm sido publicadas por diferentes entidades, Joe Biden é o grande favorito. Ainda assim, Trump tem vindo a diminuir a sua desvantagem para o adversário. Apesar da vantagem de Joe Biden ainda é possível uma vitória republicana e por isso, neste artigo vamos considerar ambas as possibilidades e analisar de que maneira os setores vão ser beneficiados com uma vitória de qualquer dos lados.

Indústrias favorecidas com uma possível vitória de Donald Trump:

Setor Financeiro

Caso o atual presidente vença as eleições a que se propôs, o setor financeiro vai respirar de alívio tendo em conta que o partido democrata teria uma pressão consideravelmente maior com as regulações do setor. Sob a liderança de Trump, o mercado fica com menos regulação, as normas são menos restritas, e como tal, mais favoráveis à boa performance deste setor. Exemplos desta falta de regulação são as diversas leis passadas para reduzir os poderes do SEC e fazer com que seja mais fácil empresas privadas estarem listadas nas bolsas.

Setor dos Combustíveis Fosseis

Durante o seu primeiro mandato, Donald Trump disse que as alterações climáticas são uma farsa. A retirada do país do acordo de Paris promoveu a desregulação do setor que saiu beneficiada como consequência disso. O presidente norte-americano continua a ter na sua agenda para o próximo mandato, uma maior liberdade ao setor. As empresas já estão a ser beneficiadas com os primeiros 4 anos do mandado do Presidente, e, tendo em conta a sua perspetiva conservadora, assim se espera que continue.

Indústrias favorecidas com uma possível vitória de Joe Biden:

Setor das Armas

A história indica-nos que um governo democrata que venha a seguir a um governo republicano, tende a impor medidas mais restritas na aquisição de armas. Assim sendo a população tende a antecipar-se à compra de armas e as empresas que as vendem tendem, por isso, a assistir a um aumento das suas vendas que pode a pode beneficiar no curto prazo. Apesar disso, a longo prazo é um setor que tende a passar dificuldades com governos Democratas. Biden não foge à tradição e um exemplo disso é que promete acabar com a venda de armas de assalto, e tornar a sua compra e venda mais restrita, como é referido no site de campanha de Joe Biden.

Setor das Energias Renováveis

Biden anunciou em Julho um plano muito abrangente de 2 biliões de dólares para o setor. O ex-Vice-Presidente tem uma visão para este setor muito vincada que deixou claro na sequência do debate presidencial, com as suas propostas para reduzir as emissões de carbono, a reentrada no Acordo de Paris e o investimento nas infraestruturas.

Setor do Cannabis

A redução das restrições para o uso da substância por parte de vários estados, deu a este setor um modesto crescimento ao longo dos últimos anos. Apesar disso, o governo federal tem sempre mantido a sua posição e nunca deixou o setor avançar e mostrar o real potencial que tem. Tudo isso pode mudar aquando da eleição do candidato democrata, visto que, ideologicamente, o partido é bastante mais propenso às políticas pro-cannabis. Ainda assim, muitas das ações do setor já têm refletido no preço uma possível eleição do candidato democrata.
A atual proposta de Biden visa desfazer algumas das anteriores desigualdades sociais causadas pela Guerra das Drogas, removendo o uso e a posse como crime a nível federal. Isto seria feito movendo a marijuana de uma substância de Schedule I para a Schedule II. Para os curiosos, uma substância controlada pela Schedule I é um fármaco sem uso médico adotado e uma elevada propensão para abusos, enquanto uma substância da Schedule II aceita usos médicos, mas uma elevada propensão para o abuso e necessidade de supervisão.

Artigos Relacionados

Os futuros sobem com a força da tecnologia e a Tesla aumenta as percas  (Reuters) – Os futuros do índice de ações dos...

Deixar uma Resposta

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments