Petróleo está em mínimo de três meses - Rankia Portugal
Entrar Criar conta
Acesso
Entrar em Rankia

Bem-vindo à sua comunidade financeira

Informe-se, debata, compartilhe experiências; aprenda sobre como economizar e investir. Faz parte da maior comunidade financeira, já somos mais de 750.000 desde 2003. Você se inscreve?

Petróleo está em mínimo de três meses

Subscrever Agora

Selecione os temas que lhe interessa e personalize a sua experiência no Rankia

Enviaremos uma Newsletter cada quinze dias com as novidades de cada categoría que escolheu


Quer receber notificações dos nossos eventos/webinars?


O “ouro negro” segue a perder mais de 4% nos principais mercados internacionais, com o crude de referência para a Europa em mínimos de Abril. A pressionar está a maior oferta da Arábia Saudita, a reabertura de portos de exportação na Líbia e a menor pressão dos EUA sobre as exportações de petróleo iraniano, bem como a possibilidade de os norte-americanos acederem às reservas estratégicas.

O que contribui-o para esta desvalorização?

São vários fatores.

Um deles prende-se com o facto de a Arábia Saudita ter disponibilizado crude adicional aos seus clientes asiáticos, indo assim ao encontro das pretensões dos EUA, que desejam ver mais petróleo no mercado para que os preços desçam.

O presidente norte-americano, Donald Trump, tem instado a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) a colocar mais crude no mercado e, a OPEP decidiu aumentar a oferta em um milhão de barris por dia

O secretário norte-americano do Tesouro, Steven Mnuchin, declarou esta segunda-feira que apesar de o objectivo da Casa Branca ser “reduzir a zero” as exportações do Irão, poderá considerar algumas excepções de modo a não provocar perturbações no mercado.

Recentes problemas de ordem técnica e política levaram a perturbações na produção de países como a Líbia, Canadá, Venezuela e Noruega, o que faz com que muitos observadores não vejam no previsto aumento da produção da OPEP a solução para a organização recuperar os cortes que vigoraram durante um ano e meio e ainda compensar as reduções de oferta de outros países.

 

 

Artigos Relacionados

Os futuros sobem com a força da tecnologia e a Tesla aumenta as percas  (Reuters) – Os futuros do índice de ações dos...

Deixar uma Resposta

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments