Petróleo - Já terá passado a pior fase? - Rankia Portugal
Entrar Criar conta
Acesso
Entrar em Rankia

Bem-vindo à sua comunidade financeira

Informe-se, debata, compartilhe experiências; aprenda sobre como economizar e investir. Faz parte da maior comunidade financeira, já somos mais de 750.000 desde 2003. Você se inscreve?

Petróleo – Já terá passado a pior fase?

Subscrever Agora

Selecione os temas que lhe interessa e personalize a sua experiência no Rankia

Enviaremos uma Newsletter cada quinze dias com as novidades de cada categoría que escolheu


Quer receber notificações dos nossos eventos/webinars?


Diversos analistas apontam para o fim da queda do preço do petróleo assim que a OPEC+ chegue a acordo para o corte da produção, dado que o corte estabelecido ficou aquém do esperado. No entanto há que relembrar que, no longo prazo, os dados fundamentais irão ter maior preponderância que as posições especulativas. O corte de produção acordado pela OPEC+ no início de Dezembro em conjunto com as expetativas de subida do inventário por parte dos EUA e o crescente abrandamento da economia, são os principais motivos que justificam as recentes quedas. As quedas registadas em Wall Street nas últimas semanas vieram piorar ainda mais a situação.

Do ponto de vista fundamental, a situação parece não ser tão preocupante como aparenta, dado que poderemos presenciar um equilíbrio relativo durante o próximo ano no mercado do petróleo. Isto porquê? A maioria dos bancos prevê que a cotação do petróleo suba durante o próximo ano, como é o caso do UBS que aponta o crude para os 80$ por barril, ou o Bank of America Merrill Lynch que espera uma subida do crude para os 70$ por barril nos próximos 12 meses. Por outro lado, as projeções do EIA (Agência de informação de energia e impacto ambiental dos EUA) colocam o Brent nos 61$ por barril, que apesar de ser inferior às projeções dos bancos, são valores superiores aos atuais, representando assim uma subida equilibrada em 2019. Fazendo uma média das previsões dos restantes principais bancos mundiais, o Brent poderá chegar aos 69$ até Dezembro de 2019, ficando acima das prespetivas do EIA, mas abaixo das realizadas no mês passado (apontava para os 77$). Ao mesmo tempo, os analistas não esperam um crash no mercado do petróleo e não vêm o WTI abaixo dos 30$ só alcançados em 2016.

Contudo, existem alguns fatores de risco que poderão levar o petróleo à zona dos 40$ por barril. O maior fator de risco é a redução da procura em resultado do abrandamento da economia mundial, sendo que o desempenho de Wall Street também terá bastante preponderância. No nosso ponto de vista, pelo menos um dos dois fatores de risco deverá ocorrer antes de assistirmos a um “rebound” no mercado do petróleo. De realçar que o corte da produção por parte dos países da OPEC+ irá começar no início do próximo ano, o que deverá suportar a cotação do petróleo do ponto de vista fundamental.

A posição especulativa no preço do petróleo está no nível mais baixo de há mais de um ano. Fonte: cotbase.com

Preço poderá marcar uma possível recuperação. Um USD mais fraco poderá facilitar um “rebound” em todo mercado de matérias-primas. Contudo, um dos dois fatores de risco apontados deverá acontecer para que a recuperação seja da mais longo prazo. Fonte: xStation5

Artigos Relacionados

Os futuros sobem com a força da tecnologia e a Tesla aumenta as percas  (Reuters) – Os futuros do índice de ações dos...

Deixar uma Resposta

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments