Como as taxas de juro afetam as ações?

A Fed (reserva federal americana) anuncia subida de taxas de juro. E agora?

As taxas de juros, o custo que alguém paga pelo uso do dinheiro de outra pessoa, é uma das variáveis importantes dos mercados financeiros. Quando o FED define o objetivo da taxa de fundos federais em que os bancos emprestam e emprestam uns aos outros. A taxa de juro tem um efeito em toda a economia dos EUA, incluindo o mercado de ações dos EUA. E, embora geralmente demore pelo menos 12 meses para qualquer aumento ou diminuição das taxas de juros a serem sentidas de forma generalizada, a resposta do mercado a uma mudança (ou a notícia de uma mudança) é imediata.

O impacto que tem nas ações

A taxa de juro que move os mercados é a federal funds rate (FFR). Também conhecida como taxa overnight. Este é o custo que as instituições depositárias pagam por empréstimos emprestados dos bancos da Reserva Federal. É uma taxa de empréstimo interbancária.

A FFR é a forma como o Fed tenta controlar a inflação. Basicamente, ao aumentar a taxa de juro, a Fed tenta reduzir o fornecimento de dinheiro disponível tornando o dinheiro mais caro para obter. Por outro lado, quando diminui a taxa de juro, a Fed está aumentar a oferta monetária e, tornando-se mais barato emprestar, encorajando gastos. Os bancos centrais de outros países fazem o mesmo pelo mesmo motivo.

Se uma determinada empresa é conhecida por cortar seus custos de crescimento (investimento) ou está a realizar menos lucros, quer através de despesas com dívida mais altas ou menos receitas, então o valor estimado dos fluxos de caixa futuros cairá. Isso diminuirá o preço das ações da empresa. (Uma maneira chave de avaliar uma empresa é a soma de todos os fluxos de caixa futuros esperados dessa empresa descontados ao presente).

Se as empresas tiverem quedas nos preços das ações, o mercado inteiro, ou os índices-chave (como o Dow Jones ou o S&P 500), irão diminuir. Com uma expectativa reduzida no crescimento e fluxos de caixa futuros da empresa, os investidores não vão obter tanto crescimento com a valorização do preço das ações, tornando o investimento em ações menos desejáveis. Além disso, investir em ações pode ser visto como muito arriscado em comparação com outros investimentos.

No entanto, alguns setores beneficiam da subida das taxas de juros. Um desses setores é o setor financeiro. Os bancos, as corretoras, as empresas hipotecárias e os ganhos das companhias de seguros geralmente aumentam à medida que as taxas de juros se elevam, pois irão cobrar mais pelos empréstimos.

Como os mercados se comportam

O aumento ou a queda das taxas de juros também afetam a psicologia dos investidores – Quando a Fed anuncia uma subida, tanto as empresas como os consumidores reduzirão os gastos; Isso fará com que os lucros caíssem e os preços das ações caírem. Todos pensam assim e o mercado cai antecipadamente. Por outro lado, quando a Fed anuncia um corte, o pressuposto é que os consumidores e as empresas irão aumentar as despesas e o investimento, fazendo com que os preços das ações aumentem e o mercado sobe.

Situação atual

As taxas de juro têm de estar equiparadas ao crescimento da economia (modelo IS LM). Qualquer dado macroeconómico acima do esperado positivo vai pesar negativamente na evolução dos índices, principalmente americanos. Bons desempenhos da economia exigem um acompanhamento da taxa de juro para uma situação de equilíbrio. A primeira sexta- feira de cada mês (saída dos dados do Nonfarm Payroll) é sempre decisiva de como vão ser os comportamentos dos mercados. Neste momento do ciclo, dados mais positivos do que esperado faz as bolsas descerem.

O 45º presidente dos EUA, Donald Trump, está focadíssimo em ver a sua economia crescer mais do que as coisas. A reforma fiscal, O equilíbrio da balança comercial, controlo da emigração para equilibrar os dados do desempego são as suas bandeiras. Em pouco mais de um ano de governação vimos resultados bem acima do esperado. Os mercados viram com bons olhos a reforma fiscal, beneficiando a maior parte das empresas norte americanas, aumentando os seus fluxos de caixa e posterior aumento do preço das ações.

As suas medidas protecionistas tiveram efeito positivo na indústria norte américa, e um dado curioso que afeta o comportamento dos mercados que são os custos com a força de trabalho, que tem vindo a aumentar.

No gráfico apresentado já conseguimos ver alguns sinais de sobrevalorização, o que significa qualquer dado menos positivo económico ou politico pode ser catastrófico para as bolsas mundiais.
A subida de taxas de juro vai atenuar o crescimento verificado das bolsas nos próximos tempos.

Em Portugal

Tradicionalmente, o nosso índice PSI 20 tem uma volatilidade mais elevada comparada com o resto da europa. Verificámos um arranque impressionante do índice português, que contou com uma valorização superior a 5% no primeiro mês do ano vs por exemplo os modestos +2% de valorização do DAX (índice alemão).

Neste do ano PSI conta com uma valorização próxima do nulo (+0.02%) vs -5.4% DAX alemão, -1.9% CAC (francês), -4% IBEX (vizinho espanhol).

Estes dados são bastantes positivos, já que as principais bolsas europeias navegam em terreno negativo, muito devido à supressa dos bons resultados apresentados pelo Governo Português. “Costini” e “Centini” são elogiados por toda a europa, o que levou o Ministro das Finanças Mario Centeno a ser eleito para cargo de presidente do Euro-grupo. Fatores positivos que dão impulsos à bolsa nacional a somarem também com a descida dos juros da dívida portuguesa.

Portugal neste momento vive um bom momento, fala-se na atração de investimento por parte das maiores empresas do mundo (Amazon, Tesla e Google por exemplo). O turismo bate records e o desemprego desce o que leva a menos custos sociais e aumento de receita de impostos.

Pode-se confirmar o que os analistas de mercados afirmavam, Portugal é um bom destino de investimento neste momento.

Sobre o autor

Henrique Garcia
Analista de Mercados

    Melhores corretoras de Bolsa em Portugal

    Melhores corretoras de Bolsa em Portugal

    Estas são as comissões que nos cobraram em 2017 as principais corretoras de bolsa do mercado português.  A melhor corretora para um investidor não tem que ser a melhor “broker” para outro. O...