Banco BiG: Análise Semanal de Mercado (10/07/18)

EURUSD: Indicadores de sentimento ZEW expõem debilidade do euro, levando o par a testar suporte crucial

  • A agudização das preocupações com a escalada das tensões comerciais, verificada ao longo da passada semana, castigou o USD, conferindo algum espaço de apreciação ao EUR. Hoje, os indicadores de sentimento económico ZEW, referentes à Alemanha e à Zona Euro, revelaram uma intensificação do pessimismo em relação aos próximos seis meses, atingindo valores negativos tão baixos, como já não se registava desde 2012.
  • A agenda macroeconómica desta semana conta ainda com a divulgação das métricas de inflação CPI na Alemanha e em França, bem como a variação da produção industrial na Zona Euro – um indicador, cujas surpresas face às expectativas têm surtido um impacto material no mercado a curto prazo. Nos EUA, sendo a inflação um dos principais factores de risco actualmente, os indicadores CPI core e não-core centrarão a atenção dos investidores.
  • Referência técnica: A tendência ascendente vigente desde o início de Julho foi hoje quebrada, por intermédio de uma vela reveladora de forte pressão vendedora, chegando inclusivamente a ser testado o nível-chave de suporte existente nos 1,1690. O par aparenta estar a iniciar um movimento lateral, com maior duração, dentro de um canal de negociação relativamente amplo (1,1790 – 1,1530). A perda do actual suporte, poderá abrir caminho para quedas até perto dos 1,16. Por outro lado, o seu respeito, possivelmente, levaria o EURUSD a tentar revisitar novamente os 1,1750.

GBPUSD: Instabilidade política e renovada incerteza em relação a Brexit podem intensificar pressão vendedora

  • Na passada semana, com o governo britânico a chegar a um aparente consenso em relação ao plano para soft Brexit, que tinha como principal promotor a primeira-ministra Theresa May, o optimismo em relação a Brexit reapareceu. Desde então até ontem, três ministros, defensores de um cisão mais forte com a UE, apresentaram a sua demissão, evidenciando a efemeridade do acordo alcançado e as divergências dentro do governo.
  • A demissão de David Davis e, especialmente, de Boris Johnson trouxe nova vivacidade aos receios quanto à viabilidade do actual governo liderado por May, mergulhando o Reino Unido numa nova vaga de incerteza política. Uma demissão iminente da primeira-ministra, uma posição reforçada para soft Brexit ou até mesmo um novo referendo são algumas das hipóteses actualmente consideradas pelos investidores em activos britânicos.
  • Apesar de ter revelado um tom mais hawkish nas últimas intervenções públicas, Mark Carney deverá ponderar o peso da renovada crise política na decisão de subida de taxa de juro, que o mercado antecipa já para Agosto. Os indicadores macroeconómicos de actividade manufactureira divulgados esta manhã desiludiram as estimativas, enfraquecendo a libra.
  • Referência técnica: As flutuações do cable podem frequentemente ser enquadradas em canais. Após testar o limiar superior do canal descendente, o par enfrenta o suporte conferido pelos 38,2% da retracção de Fibonacci. Uma quebra deste nível poderá motivar a procura pelo limiar inferior do canal.

USDCAD: Dólar canadiano é pressionado pelo abrandamento económico e por um provável recuo do crude

  • A ameaça de uma guerra comercial está a chocar a economia canadiana. Foi publicado hoje o Canadian Bulletin Outlook do Conference Board of Canada, que aponta para um crescimento económico de 1,8% em 2018-19, muito abaixo dos 3% registados no ano passado. A diminuição do consumo privado, uma eventual desagregação do acordo NAFTA e a ameaça de novas tarifas sobre diversos bens, incluindo o sector automóvel, assombram as perspectivas económicas do Canadá. O crescimento das exportações será limitado a uns modestos 1,4% este ano, o que deve pressionar o CAD.
  • Projectamos um trimestre mais difícil para o crude, depois da reversão parcial dos cortes de produção da OPEP e doutros países exportadores, o que é negativo para o CAD.
  • Referência técnica: O estocástico lento em terreno de elevada sobrevenda técnica, bem como a reacção positiva do par no limiar inferior de um canal de negociação ascendente, sustentam a nossa visão técnica para o USDCAD. A reacção igualmente positiva nos 38,2% de Fibonacci da última subida são um factor igualmente positivo para um posicionamento altista no USDCAD.
Este documento foi preparado exclusivamente para fins informativos, baseando-se em informações disponíveis para o público em geral e recolhida de fontes consideradas de confiança. O BiG não assume qualquer responsabilidade pela correcção integral da informação disponibilizada, nem deve entender-se nada do aqui é constante como indicador de que quaisquer resultados serão alcançados. Chama-se particularmente a atenção para o facto de que os resultados previstos são susceptíveis de alteração em função de modificações que se venham a verificar nos pressupostos que serviram de base à informação agora disponibilizada. Adverte-se igualmente que o comportamento anterior de qualquer valor mobiliário não é indicativo de manutenção de comportamento idêntico no futuro, bem como que o preço de quaisquer valores pode ser alterado sem qualquer aviso prévio. Alterações nas taxas de câmbio de investimentos não denominados na moeda local do investidor poderão gerar um efeito adverso no seu valor, preço ou rendimento. Este documento não foi preparado com nenhum objectivo específico de investimento. Na sua elaboração, não foram consideradas necessidades específicas de nenhuma pessoa ou entidade. O BiG, ou seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição, sujeita a alterações, em quaisquer dos títulos referenciados nesta nota. O BiG poderá disponibilizar informação adicional, caso tal lhe seja expressamente solicitado. Este documento não consubstancia uma proposta de venda, nem uma solicitação de compra para a subscrição de quaisquer valores mobiliários.

Sobre o autor

BiG Research

    Bancos que não cobram comissões em Portugal

    Bancos que não cobram comissões em Portugal

    Por norma, para ter uma conta aberta no banco, é necessário lidar com comissões de manutenção de conta e anuidades que acabam por afetar as poupanças. É possível, no entanto, ter conta no ba...