BiG: Análise Semanal de Mercados (19/03/2019)

banco big analise semanal de mercados

EURUSD: Par aproxima-se de nível-chave em semana com decisão de política monetária nos EUA e cimeira europeia

  • Na quarta-feira, será divulgada a decisão do FOMC – comité da Reserva Federal responsável pela definição de política monetária – em relação à taxa de juro.
    Não sendo esperada qualquer alteração neste instrumento nem à reiterada postura paciente do comité, os investidores estarão particularmente atentos a novas indicações em relação à redução do balanço (quantitative tightening) e a uma eventual revisão do dot plot, que actualmente aponta para duas subidas em 2019 e uma em 2020, enquanto o mercado já não prevê nenhuma em ambos os anos. Contudo, a robustez do crescimento salarial poderá justificar uma visão optimista em relação à inflação core e a avaliação geral da economia deverá permanecer cautelosamente optimista.
  • Embora não fosse essa a ordem de trabalhos inicial, a cimeira europeia deverá acabar por ser quase monopolizada pelo Brexit, com comentários de mercado
    a sugerir que a UE irá permitir um curto atraso da saída da Reino Unido, de forma a que possa ser realizado um terceiro meaningful vote (MV3) em breve e evitar a participação britânica nas eleições europeias. No entanto, o Speaker da Casa dos Comuns, John Bercow, já estabeleceu que um MV3 requer um acordo substancialmente diferente, algo que May não deverá conseguir obter esta quinta-feira. A incerteza prevalece e pode igualmente prejudicar a Europa.
  • Referência técnica: Depois de ter atingido mínimos de mais de um ano e meio, o par recuperou consideravelmente, aproximando-se agora de um nível psicológico relevante onde poderão confluir três resistências significativas (tendência descendente, média móvel exponencial de 100 dias e nível técnico horizontal): 1,1400. Perante um discurso mais optimista, não obstante dovish, de Powell, não acreditamos que o par ultrapasse consistentemente este valor.

AUDNZD: Economia australiana está pressionada, enquanto a Nova Zelândia vive momento positivo

  • O Reserve Bank of Australia decidiu ontem manter as taxas de juro inalteradas. Os banqueiros revelam preocupações económicas, nomeadamente com a queda dos preços do imobiliário, a incerteza do consumo e a desaceleração do investimento. O aumento do desemprego, sobretudo na zona oeste do país onde se situam a maioria das minas, preocupa o banco central. Nessa região, o desemprego subiu para 6,5% face aos 5% de taxa nacional de desemprego. Desta forma, o banco central da Austrália prefere uma postura neutra.
  • A Nova Zelândia, por seu turno, vive um momento de maior força económica. O aumento do consumo privado e do investimento são os motivos por detrás do avanço esperado no PIB trimestral, que será publicado na quarta-feira às 21h45. Espera-se um crescimento trimestral de 0,6%, acima dos anteriores 0,3%. Esta tarde, foram divulgados os resultados do leilão de lacticínios da Fonterra, que revelou uma subida de 1,9% no índice de preços. A Fonterra é a cooperativa que representa a indústria de lacticínios, que vale 7% do PIB da Nova Zelândia.
  • Referência técnica: A recente correcção até ao limiar superior do canal de negociação descendente permite-nos encarar este par com um stop loss relativamente apertado. Em termos de gestão de risco, consideramos os 1,0410 e, como zona-alvo, os 1,0255.
Este documento foi preparado exclusivamente para fins informativos, baseando-se em informações disponíveis para o público em geral e recolhida de fontes consideradas de confiança. O BiG não assume qualquer responsabilidade pela correcção integral da informação disponibilizada, nem deve entender-se nada do aqui é constante como indicador de que quaisquer resultados serão alcançados. Chama-se particularmente a atenção para o facto de que os resultados previstos são susceptíveis de alteração em função de modificações que se venham a verificar nos pressupostos que serviram de base à informação agora disponibilizada. Adverte-se igualmente que o comportamento anterior de qualquer valor mobiliário não é indicativo de manutenção de comportamento idêntico no futuro, bem como que o preço de quaisquer valores pode ser alterado sem qualquer aviso prévio. Alterações nas taxas de câmbio de investimentos não denominados na moeda local do investidor poderão gerar um efeito adverso no seu valor, preço ou rendimento. Este documento não foi preparado com nenhum objectivo específico de investimento. Na sua elaboração, não foram consideradas necessidades específicas de nenhuma pessoa ou entidade. O BiG, ou seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição, sujeita a alterações, em quaisquer dos títulos referenciados nesta nota. O BiG poderá disponibilizar informação adicional, caso tal lhe seja expressamente solicitado. Este documento não consubstancia uma proposta de venda, nem uma solicitação de compra para a subscrição de quaisquer valores mobiliários.
0

Sobre o autor

BiG Research

Responder a este tópico

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *