Revolut passa a permitir aos colaboradores trabalhar do estrangeiro até 60 dias por ano, como parte da política híbrida de trabalho

revolut passa a mermitis aos colaboradores trabalhar estrangeiro

A Revolut, a plataforma financeira global com mais de 15 milhões de clientes em todo o mundo, anunciou que vai passar a permitir aos colaboradores trabalhar a partir do estrangeiro até 60 dias por ano. Este é mais um passo no compromisso da Revolut com a promoção do trabalho flexível.

Quando as restrições com viagens forem levantadas – e tendo sempre em consideração as indicações das autoridades nacionais de saúde -, os colaboradores da Revolut terão a possibilidade de trabalhar, temporariamente, a partir de uma localização diferente do país da sua residência fiscal/contratual. A empresa estudou todas as leis aplicáveis – impostos corporativos, individuais, imigração, segurança social – para criar uma política que fosse o mais conveniente e benéfica para os colaboradores.

A nova política de trabalho temporário no estrangeiro foi lançada para acomodar as necessidades da força de trabalho maioritariamente internacional da Revolut, com os colaboradores a desejar a possibilidade de visitar familiares ou os seus países de origem com maior frequência ou durante períodos mais longos. À medida que a Revolut abraça a diversidade cultural do seu staff, a fintech permite também, por isso, que os funcionários passem tempo de qualidade além fronteiras.

Os Revoluters podem agora submeter pedidos para trabalhar fora do seu país, por motivos pessoais, durante até 60 dias do ano, ao longo de um período de 12 meses.

Jim MacDougall, Vice-Presidente de People na Revolut, disse:

“Quando os países começarem a levantar as restrições com viagens ou começarem a distanciar-se dos confinamentos, depois de mais de um ano fechados entre quatro paredes, acreditamos que esta política vai ser um enorme sucesso junto das nossas equipas. Na mesma medida que estamos a eliminar fronteiras nos serviços financeiros, fazia sentido adaptar a política interna com a missão do produto. Os nossos colaboradores pediram flexibilidade e é isso que lhes estamos, mantendo foco na experiência e poder de escolha dos colaboradores”.

Revolut: Nova estratégia de imobiliário anunciada este ano

Esta nova política integra a estratégia mais abrangente da organização em tornar-se mais flexível. Em Fevereiro, a Revolut anunciou que iria adotar um modelo híbrido de trabalho, suportado pela implementação de RevLabs – novos escritórios desenhados para o trabalho colaborativo. Em resposta à vontade claramente expressa pelos colaboradores, a Revolut permite agora à larga maioria dos seus funcionários escolher quando e com que frequência trabalham de casa ou do escritório. Este modelo híbrido é um piloto e deverá estar integralmente implementado no final deste ano.

Inquéritos internos da Revolut mostram que os funcionários responderam positivamente ao trabalho remoto durante a pandemia – mais de 56% prefeririam trabalhar em casa 4 a 2 vezes por semana, enquanto 36% gostariam de uma política 100% remota. Apenas 2% dos respondentes preferem trabalhar no escritório todos os dias. 95% dos funcionários da Revolut que responderam aos questionários consideram que trabalhar em casa não afetou a produtividade pessoal ou a mudança foi positiva, o mesmo para o desempenho da equipa, com 97% a assumir nenhuma mudança ou uma mudança positiva. A colaboração de equipa também não mudou ou a mudança foi positiva, de acordo com 89% dos colaboradores.

A Revolut mantém o foco no seu objetivo de construir a primeira super app financeira verdadeiramente global do mundo, tendo aumentado a sua base de clientes em 2020 e no primeiro trimestre de 2021. A Revolut também priorizou a contratação de talentos excepcionais, com maior flexibilidade de localização, o que conferiu à empresa a possibilidade de formar equipas cada vez mais sem fronteiras e de oferecer oportunidades de carreira a uma gama mais ampla de pessoas talentosas.

0

Sobre o autor

Lucía Sánchez

Responder a este tópico