BiG – Banco de Investimento Global, S.A. reporta lucro líquido em 2017 de € 52,3 milhões

O Banco de Investimento Global, SA (“BiG” ou “Banco”) gerou um lucro líquido consolidado de € 52,3 milhões em 2017, que compara a € 43,7 milhões em 2016.

  • O Produto Bancário em 2017 atingiu € 103,7 milhões, traduzindo um crescimento de cerca de 37% face a 2016.
  • Os Resultados por Ação ordinária foram € 0,30 em 2017 – € 0,33 excluindo o efeito de diluição* que compara com €0,28 em 2016.  
  • A Rendibilidade dos Capitais Próprios Médios (ROE) em 2017 foi de 17,3%, versus 16,1% em 2016.
  • O Valor Contabilístico por Ação ordinária do BiG foi de € 1,98 versus € 1,70 por ação em 2016. Estes valores representam um crescimento anual do Valor Contabilístico do Banco de 16%%.  
  • O rácio Core Tier 1 do Banco a 31/12/17 foi de 45,1%, o que compara com 31,6% em 2016. O rácio de Crédito Vencido/Crédito Total Concedido foi residual, correspondendo a 0,05%.
  • O rácio de Activos Líquidos / Capitais Próprios (“rácio de alavancagem simples”) era 5,4 vezes em 31/12/17, versus 6,6 vezes em 31/12/16.
  • O rácio de Cobertura de Liquidez a 31/12/17 ficou nos 312%, que compara com os 228% registados em 2016.

Os resultados de 2017 refletem um melhor desempenho nos dois principais negócios do BiG: Tesouraria e Mercado de Capitais, e  Weatlh Management & Advisory, que registaram ambos um aumento significativo de receitas.  O Banco geriu a dimensão e composição do seu Balanço durante 2017 tendo em conta o contexto generalizado de reduzidas taxas de juro para riscos investment grade e títulos de renda fixa, que representam a maior fatia dos activos.  

Carlos Rodrigues, Presidente do Conselho de Administração e CEO do Banco, comentou:

O enquadramento em 2017 permitiu um ligeiro crescimento de activos e uma subida de cerca de 20% dos Resultados Líquidos, com um aumento de liquidez e melhorias nalguns ratings de crédito, que resultaram, por sua vez numa escassez de oportunidades de aquisição de activos que proporcionassem níveis de retorno adequados.  Durante o ano, o BiG manteve o foco na preservação de capital e disciplina relativamente ao volume do Balanço, e aos riscos de crédito e de mercado associados.”

Adicionou:

“A notação de rating da divida da República portuguesa por parte da S&P e da Fitch, duas das três maiores agências de rating Internacionais,  subiu para nível investment grade no último quadrimestre de 2017, pela primeira vez desde o período de bailout. O BiG atravessou o período em que o país esteve com um nível non-investment grade com resultados sólidos, duplicando a sua base de capital, e mantendo uma distribuição regular de dividendos aos accionistas.”

 

O Banco de Investimento Global, S.A. (“BiG” ou “Banco”) é uma instituição financeira especializada, detida integralmente por investidores privados, com sede em Lisboa, autorizada a operar em todas as áreas de negócio abertas ao sector bancário em Portugal. O negócio do Banco concentra-se em soluções de poupança e de investimento, bem como em servições de assessoria, dirigido a Clientes particulares e empresas/institucionais. Comercialmente, o BiG concentra a sua actividade na angariação de clientes e no incremento e gestão/supervisão de activos. Operacionalmente, o Banco foca-se na qualidade dos seus activos, gestão de liquidez e de risco de taxa de juro, controlo interno, fiabilidade de execução, preservação do capital e controlo dos riscos interentes ao negócio. Os principais produtos e serviços do Banco incluem produtos de poupança, corretagem, custódia, gestão de patrimónios, serviços bancários gerais e de pagamentos para Clientes particulares, e gestão de risco de mercado, tesouraria e aconselhamento para Clientes empresariais e institucionais.

Sobre o autor

Rankia

    Melhores corretoras de Bolsa em Portugal

    Melhores corretoras de Bolsa em Portugal

    Estas são as comissões que nos cobraram em 2017 as principais corretoras de bolsa do mercado português.  A melhor corretora para um investidor não tem que ser a melhor “broker” para outro. O...