A Lua influencia o desempenho dos mercados bolsistas?

A Lua influencia o desempenho dos mercados bolsistas?

A Lua é quase uma irmã do nosso planeta, faz-nos companhia e protege-nos, mas também influencia o desempenho dos mercados bolsistas? Vamos ver juntos se estes rumores são fundados ou não, e porquê.

A Lua influencia o desempenho dos mercados bolsistas?

Há muitas teorias que tentam correlacionar a tendência financeira ou a tendência do mercado bolsista com os ciclos lunares, as estações do ano, a posição das estrelas e muito mais.

Há mesmo quem confie na cartomancia para tomar decisões de investimento. Afinal, às vezes os investimentos transformam-se em apostas reais nas que não se pode fazer outra coisa senão acreditar na providência e ir em busca de algum sinal, divino ou não.

Voltando ao discurso do artigo, a lua influencia o desempenho dos mercados bolsistas? A resposta, é claro, é não. Por que o faria?

Algumas teorias estranhas têm fundamentos, pensemos, por exemplo, nas estações do ano. Por mais fútil que possa ser confiar em crenças como “em outubro vem o frio, está o Halloween portanto, os mercados estarão assustados e os produtos estarão a faltar”, há um fundo de verdade, na verdade “as estações do ano influenciam o mercado”, ou melhor, há produtos sazonais por isso o mercado sofre.

Podemos pensar em abóboras e uvas, sendo um produto de outono. Nesse período há muita oferta, que depois colapsa durante o resto do ano. Isto, por exemplo, causa verdadeiros desastres no mercado. Foram as ações futuras que salvaram um pouco a situação, garantindo que os compradores e vendedores possam chegar a acordo sobre as vendas, para que os compradores possam abastecer-se e os vendedores possam evitar deitar foram produtos ou vendê-los a preços demasiado baixos.

O mesmo se aplica com cremas de proteção solar. Em Portugal é um produto específico, usado desde a primavera por pessoas com pele muito sensível ao sol, mas a maioria das pessoas usa-os só e exclusivamente durante o verão, razão pela qual é um produto sazonal que no verão tem um valor absolutamente diferente do resto do ano.

Tendo em conta estes exemplos, terá conseguido compreender que por detrás da teoria das estações existem conceitos reais, pelo que é verdade que a tendência do mercado varia em relação às estações do ano.

Mas e a lua? Não, por que o faria? A lua é um corpo que gira sobre si mesmo e ao redor da Terra, então o que faz são principalmente 3 coisas:

  1. Girando em torno da Terra, reflete a luz solar e às vezes cobre o Sol. Isto significa que a noite não é totalmente escura e que há às vezes eclipses.
  2. Girando em torno da Terra, constitui um pequeno escudo. O facto de a Lua ter tantas crateras deve-se ao facto de não ter a mesma atmosfera que a Terra. A atmosfera do nosso planeta permite-nos desintegrar muitos corpos do espaço antes que eles possam chegar ao solo e, quando eles o alcançam, são infinitamente menores do que eram a entrar na nossa atmosfera. A Lua não possui esta proteção, pelo que os sinais de tempo são mais visíveis e, ao mesmo tempo, muitos dos corpos que atingiram a Lua foram intercetados por ela. Isto é, se não tivessem atingido a Lua, teriam chegado à Terra.
  3. Dado o seu campo gravitacional e a sua proximidade com a Terra, a sua gravidade afeta o nosso planeta. O exemplo clássico é o das marés.

Não demora muito a perceber que estas 3 funções não podem ter qualquer relação com os mercados bolsistas.

Sobre o autor

Filipe Silva

Conteúdo – Rankia Portugal

Responder a este tópico

Bem-vindo(a) à comunidade!

Selecione os temas que lhe interessa e personalize a sua experiência no Rankia

Enviaremos uma Newsletter cada quinze dias com as novidades de cada categoría que escolheu


Quer receber notificações dos nossos eventos/webinars?


Ao continuar, aceita a política de privacidade