Como fazer a cobertura de carteiras

cobertura de carteiras

Como fazer a cobertura de carteiras? A cobertura do portfólio visa minimizar o impacto das quedas de mercado no nosso portfólio de ações, sem a necessidade de venda de nenhuma das ações. Para isso, assumimos posições nos dois lados do mercado. De forma simples, se as nossas ações proporcionam-nos uma exposição “ascendente” no mercado; para cobrir o portfólio, abrimos uma posição “descendentes” no índice de referência.

Como fazer a cobertura de carteiras

Temos basicamente duas maneiras de cobrir um portfólio. O primeiro chamaremos de cobertura nominal e o segundo de cobertura pelo beta. Nos dois casos, usaremos o índice de referência como ativo de cobertura.

Dessa forma, a perda suportada pelo nosso portfólio será compensada pelos ganhos que obtivermos com a posição de baixa no índice. Se quisermos “refinar” ainda mais a cobertura do nosso portfólio, podemos usar uma medida de variabilidade das ações em relação ao índice, medida essa conhecida como “beta”. Num exemplo posterior, mostraremos como o beta de um portfólio é calculada.

Cobertura nominal

Este tipo de cobertura é o mais simples, mas não é de todo o mais assertivo. Consiste em posicionar-se curto (posição de venda) no índice, num valor nominal equivalente ao da nossa carteira. 

Embora as ações tenham um comportamento independente, os índices são médias ponderadas de uma seleção representativa dos valores de mercado. Por esse motivo, se o mercado cair, as ações e o índice também estarão em queda, e numa extensão semelhante.

Nesse sentido, para fazer a cobertura da nossa carteira, é suficiente vender o índice nominal, de modo que, se a nossa carteira cair 10%, a posição curta no índice compensará com um lucro semelhante.

Exemplo: Suponha que temos um portfólio de ações espanholas no valor de 50.000€. Para fazer uma cobertura nominal, devemos abrir a posição de venda como na imagem.   Neste caso, se houver uma queda de 10%, o nosso portfólio terá uma perda de 5000€. No entanto, com a posição curta no IBEX 35, naquela mesma queda, teremos um lucro aproximadamente de 5000€

Cobertura ajustada por beta 

Como sabemos, os títulos nem sempre se comportam exatamente como o índice. Nesse sentido, todas as ações têm o que é conhecido como beta. Explicado de forma simplificada, este beta indica de que forma a ação move-se em relação ao índice, em termos históricos.

 Por outras palavras, é um indicador da relação dos movimentos no preço da ação em relação a um índice. Por exemplo, uma ação com beta 0,67 indica que para cada 1% que o índice se mova, o preço da ação move-se, em média, 0,67%.

O beta global de uma carteira de ações indicará, portanto, a variação do portefólio em relação a cada variação no índice. O seu cálculo é apenas a média ponderada dos betas das ações que compõem o portfólio. Obviamente, calcular betas manualmente é um processo complexo. No entanto, a plataforma xStation 5 oferece os betas de todas as ações na seção “Análise de mercado / ações”.

Para ver exemplos deste cálculo e para conhecer outras formas de defender-se e até aproveitar as quedas do mercado em seu favor, veja o Vídeo-relatório da Equipa de Análise da XTB aqui.

0

Sobre o autor

André Pires

Analista na XTB Portugal

Responder a este tópico

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *