Entrar Criar conta
Acesso
Entrar em Rankia

Bem-vindo à sua comunidade financeira

Informe-se, debata, compartilhe experiências; aprenda sobre como economizar e investir. Faz parte da maior comunidade financeira, já somos mais de 750.000 desde 2003. Você se inscreve?

Irving Fisher: conheça este economista americano

Subscrever Newsletter

Selecione os temas que lhe interessa e personalize a sua experiência no Rankia

Enviaremos uma Newsletter cada quinze dias com as novidades de cada categoría que escolheu


Quer receber notificações dos nossos eventos/webinars?


A Biografia de Irving Fisher indica que Irving Fisher foi um economista americano de renome da primeira metade do século XX. Deixou um grande respeito entre os seus colegas e ensinou teoria monetária, ciclos económicos e políticas estabilizadoras

Quem era Irving Fisher?

Irving Fisher foi responsável pela comunicação e ensino das suas ideias sobre economia nos Estados Unidos e para o mundo. Nasceu em Saugerties, Nova Iorque, a 27 de Fevereiro de 1867, deixando Nova Iorque a 29 de Abril de 1947. É conhecido como um economista, estatístico, inventor, e uma força motriz por detrás das suas ideias económicas.

Carreira de Irving Fisher: Teorías económicas

Irving Fisher conseguiu transcender tanto que deixou para a posteridade e as gerações futuras diferentes conceitos económicos que levam o seu nome, como, por exemplo:

  • A equação de Fisher
  • Hipótese de Fisher
  • A taxa Fisher
  • Teorema da separabilidade de Fisher
  • Para além dos efeitos e consequências sobre os mercados e a economia em geral.

Teorema de Fisher

O teorema de Fisher ou teorema da separação de Fisher é uma teoria promovida pelo célebre economista e matemático Irving Fisher em meados do século XX. Através deste teorema indica que existem certos critérios para realizar investimentos ideais de modo a maximizar os lucros e as possibilidades de consumo de um indivíduo ou empresa, conforme o caso.

Fisher exemplifica o seu teorema através de um empresário que procura maximizar a “taxa de retorno dos custos“. O que ele procura é obter o maior valor atual do investimento feito.

O teorema postula que, quando os mercados de capitais estiverem perfeitos, as decisões dos investidores basear-se-ão apenas no rendimento esperado e na taxa de juro. A situação pessoal do decisor é excluída, pois este aspecto não tem qualquer influência. Por outras palavras, se puder financiar as suas necessidades de investimento através de um empréstimo bancário, os seus gostos de consumo temporário não devem influenciar as suas decisões de investimento.

A sua teoria aponta para a existência de uma diferença entre as decisões de consumo e de financiamento, uma vez que existem indivíduos ou empresas com capital suficiente para financiar outros indivíduos ou empresas que não têm um determinado montante de capital para realizar os seus projectos. Nesta base, ambas as partes, aquela que empresta e aquela que recebe o financiamento, podem ter acesso a um benefício económico mútuo.

Teoria da Deflação da Dívida

A teoria da “Deflação da Dívida” surge da Grande Depressão de 1929, do que Fisher tentou explicar com base nas crises e no ciclo económico, formando a “teoria da deflação da dívida“, de acordo com a sua teoria a crise deveu-se ao rebentar de uma bolha de crédito, gerando efeitos negativos na economia real como nos casos seguintes:

  • Cortes de despesas e aumentos nas vendas em liquidação para fazer face a dívidas e pagamentos de juros.
  • Redução da oferta de dinheiro em empréstimos bancários
  • Queda das taxas de juro nominais e aumento das taxas de juro reais ajustadas à deflação.
  • Queda abrupta nos preços dos ativos
  • Queda do património líquido das empresas e, simultaneamente, aumento das falências
  • Rentabilidade decrescente dos investidores
  • Aumento da produção, declínio do comércio e do emprego/desemprego
  • Aumento da perda de confiança
  • Aumento da quantidade de dinheiro não gasto e não investido
  • Dívidas não pagáveis, mesmo que estejam a ser pagas.
  • Todas estas recessões, reduções e mal dados formam um círculo vicioso que conduz a uma grande depressão económica.

Dinheiro e o nível de preços

A teoria quantitativa do dinheiro refere-se à determinação do nível de preços, estabelecendo uma relação direta entre a quantidade de dinheiro e o nível geral de preços. Fisher estabelece a sua teoria quantitativa da moeda, baseada na equação da troca, afirmando que o valor das transações realizadas numa economia é equivalente à mesma quantidade de dinheiro que circula nessa economia tantas vezes como o número de vezes que o dinheiro muda de mãos. Refletido na seguinte fórmula:

P . Q = M . V

Onde:

  • P = nível de preços
  • Q = nível de produção
  • M = quantidade de dinheiro
  • V = velocidade de circulação de dinheiro, o número de vezes que o dinheiro muda de mãos:  

Teoria dos juros e do capital

Numa outra das suas teorias, Irving Fisher, tenta explicar o interesse pela forma de consumo, preferindo os bens presentes aos bens futuros; aquilo a que chamou a “impaciência de gastar“, escolhendo os bens presentes em vez dos bens futuros.

Ele também argumenta contra as teorias de produtividade que expõem uma dependência de interesse na produtividade física do capital, uma vez que não é suficiente para demonstrar a produção de valor.

Fisher sublinha o objectivo da produtividade do capital, em termos de rendimento. Quanto à produtividade do capital, segundo Fisher “oportunidade de investir” não é um elemento individual, uma vez que reflecte as unidades de rendimento a obter no futuro e deixa no caminho uma unidade de rendimento presente, sendo a chamada “impaciência de gastar” o que influencia a escolha entre o rendimento presente e futuro, sendo a mesma, a justificação do interesse.

Equação de Fisher

A equação de Fisher postula que a taxa de juro nominal do mercado é constituída por dois componentes: o retorno real do capital e a compensação pela depreciação do poder de compra do dinheiro.

Procurando definir a taxa de juro aparente ou nominal como sendo o produto da taxa de juro real e da taxa de inflação esperada da economia. 

Fórmula (1+ia) = (1+π).(1+ir) 

Onde:

  • ia= Taxa de juro nominal ou aparente 
  • iπ= Taxa de inflação
  • ir= Taxa real de rendimento do capital. 

A equação de Fisher é útil para rever o resultado económico real de um investimento, e para a análise que nos permite conhecer o objectivo económico a fim de podermos realizar investimentos a curto e médio prazo. A Fisher associa os seguintes factores:

  • Inflação (esperada ou real, dependendo da análise).
  • A taxa de juro nominal (definida como a taxa aparente).
  • A taxa de juro real (ou taxa de rendimento real do capital).

Livros publicados

O economista Irving Fisher, para o melhor e para o pior, deixou para trás cerca de 10 livros escritos sobre economia matemática, diferentes teorias sobre valor e preço, capital, teoria monetária e até mesmo estatística. Também ensinou na Universidade de Yale durante 35 anos. E vários livros foram escritos sobre ele:

  • 1928, The Money Illusion, New York: Adelphi Company.
  • 1911, The Purchasing Power of Money: Its Determination and Relation to Credit, Interest, and Crises. Percorra as ligações dos capítulos da Biblioteca de Economia e Liberdade (LE&L)
  • 1933, “The Debt-Deflation Theory of Great Depressions”, Econometrica
  • 1096, A Natureza do Capital e do Rendimento, por Irving Fisher
  • 1996, The Works of Irving Fisher. editado por William J. Barber et al. 14 v. Londres: Pickering & Chatto.

Para muitos, Irving FIsher em teoria era um economista admirado, enquanto para outros, na prática e a nível pessoal, nunca o conseguiu provar.

Ler mais tarde - Preencha o formulário para guardar o artigo como PDF
Consent(Obrigatório)
Encontre a sua corretora
Quer começar a investir ou escolher uma corretora que melhor se adapte às suas necessidades? Quer dar os seus primeiros passos na bolsa de valores ou mudar para uma corretora que melhor se adapte às suas necessidades?
  • Ajudamos a encontrar s corretora certa para si
  • Investigação independente, gratuita e não vinculativa
  • Preencher este questionário em menos de 1 minuto

Artigos Relacionados

Provavelmente já ouviu a falar sobre a volatilidade, mas sabe o que é? Para investidores iniciantes, esse termo pode parecer complicado de entender e é um conceito importante se quer investir no mercado fina...

Deixar uma Resposta

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments