Entrar Criar conta
Acesso
Entrar em Rankia

Bem-vindo à sua comunidade financeira

Informe-se, debata, compartilhe experiências; aprenda sobre como economizar e investir. Faz parte da maior comunidade financeira, já somos mais de 750.000 desde 2003. Você se inscreve?

Onde investir 2.000€?

Subscrever Newsletter

Selecione os temas que lhe interessa e personalize a sua experiência no Rankia

Enviaremos uma Newsletter cada quinze dias com as novidades de cada categoría que escolheu


Quer receber notificações dos nossos eventos/webinars?


Investir dinheiro no banco é, regra geral, a opção mais comum. Aliás, é a principal opção dos portugueses. O montante dos depósitos a prazo ultrapassou ou 87 milhões de euros no ano passado. Contudo, a inflação pode fazer com que o valor do dinheiro baixe, ao longo do tempo, e não raras vezes as taxas de juro dos depósitos bancários não igualam ou excedem a taxa de inflação.

Deixamos-lhe algumas sugestões de investimento com um capital inicial de 2.000 €.

Investimento com um capital inicial de 2.000 €

Depositar dinheiro é seguro e tem a vantagem de acumular juros. Em Portugal, existem várias opções no que diz respeito ao primeiro investimento e com uma quantidade limitada de capital. Seguem algumas opções para investir pouco dinheiro. Saiba que as mesmas estão por ordem crescente de acordo com o seu nível de risco. Ou seja, à medida que vai a avançar no artigo, perceberá até que ponto está disposto a arriscar no que diz respeito a investir dinheiro.

Ações

As ações representam parte do capital social de uma empresa e ao investir com pouco dinheiro em ações, passa a ser automaticamente detentor de uma parcela de ativos e de ganhos da empresa em questão.

Não é necessário ter muito dinheiro para investir na Bolsa de Valores. Semanalmente, as Bolsas de todo o mundo apresentam excelentes oportunidades para investir. Ao comprar e vender ações, poderá obter rentabilidades acima dos 100%, podendo ainda ganhar uma percentagem dos lucros da empresa onde investiu. Atualmente, investir mil euros é sinónimo de bons retornos.

Antes de aplicar o seu dinheiro, escolha uma boa corretora, pois  vai funcionar como intermediário entre si e o mercado de valores.  Importa também dizer que o corretor lhe cobrará uma comissão sobre o valor de compra e venda das ações, pelo que deve também ter em conta esse montante na altura de investir.

Depósitos a prazo

Os depósitos a prazo são produtos financeiros de baixo risco que lhe garantem alguma rendibilidade. Existem vários montantes mínimos de subscrição às taxas de juro mais ou menos apelativas, podendo igualmente fazer reforços quando mais lhe convier.

Atualmente, estas taxas são poucos apelativas, mas poderá ser uma solução de investimento válida. Poderá começar por investir num destes produtos e ir fazendo reforços mensais.

Certificados de Aforro

Os Certificados de Aforro são títulos de dívida pública emitidos pelo Estado, podendo estes ser adquiridos apenas por pessoas singulares. Uma das características que o difere é o valor reduzido da sua subscrição, com o propósito de venda em grandes quantidades.

O montante para subscrição é de um euro, sendo que a quantidade mínima por cada subscrição é de 100 unidades e a máxima de 250 mil. O seu prazo é de 10 anos a partir da data de cada subscrição.

Certificados do Tesouro

Também estes Certificados são produtos da dívida pública, mas diferem nos montantes mínimos de investimento. Aqui, o valor mínimo é de mil euros por conta. Outra grande diferença está na taxa de juro. Aqui, a taxa é fixa, mas cresce anualmente. A partir do segundo ano, há lugar a um prémio de remuneração, prémio esse que é somado à taxa de juro fixa. O prémio é definido através do crescimento médio real do PIB dos últimos 4 trimestres conhecidos até ao mês imediatamente anterior à data de pagamento de juros.

Planos Poupança Reforma

Um Plano Poupança Reforma é um investimento a longo prazo e pode ser um bom complemento à sua reforma. Estes planos são aplicados por sociedades gestoras de fundos de pensões ou por companhias de seguros, nas quais o seu dinheiro terá algum retorno, de acordo com a taxa de juro anual. Ou seja, entrega o valor que decidiu poupar, seja num depósito inicial ou em vários reforços periódicos e esse montante será rendibilizado até alcançar a idade da reforma. Os PPR estão associados a um risco de investimento baixo, risco esse que aumenta se escolher um fundo PPR. Nesta última opção, há um risco acrescido de perder dinheiro, mas também, ganhando, o valor será bem mais avultado.

Seguros de capitalização

Se pretende poupar a longo prazo, esta poderá também ser uma opção interessante. O que difere este tipo de investimento dos outros anteriormente referidos é, na maioria dos casos, a garantia de capital e uma taxa de retorno anual.

Estes seguros são, no fundo, aplicações que têm como propósito o investimento de capital para períodos superiores a um ano. Os elevados impostos sobre os juros obtidos são o lado negativo deste produto financeiro, sendo que as taxas cobradas estão dependentes do prazo de resgate.

Fundos de tesouraria

Quando comparados com outros fundos de investimento, os fundos de tesouraria apresentam um risco mais baixo pois, por lei, estes fundos estão obrigados a investir em ativos que por serem facilmente transacionáveis, representam uma liquidez elevada. Usualmente associados aos fundos de tesouraria estão o Papel Comercial e as Obrigações com prazo de vencimento inferior a um ano. De ressalvar que este tipo de fundo não investe em ações, títulos de participação ou outros produtos deste género.

Ler mais tarde - Preencha o formulário para guardar o artigo como PDF
Consent(Obrigatório)

Artigos Relacionados

Provavelmente já ouviu a falar sobre a volatilidade, mas sabe o que é? Para investidores iniciantes, esse termo pode parecer complicado de entender e é um conceito importante se quer investir no mercado fina...

Deixar uma Resposta

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments