Os cisnes negros do Saxo Bank - Rankia Portugal
Entrar Criar conta
Acesso
Entrar em Rankia

Bem-vindo à sua comunidade financeira

Informe-se, debata, compartilhe experiências; aprenda sobre como economizar e investir. Faz parte da maior comunidade financeira, já somos mais de 750.000 desde 2003. Você se inscreve?

Os cisnes negros do Saxo Bank

Subscrever Agora

Selecione os temas que lhe interessa e personalize a sua experiência no Rankia

Enviaremos uma Newsletter cada quinze dias com as novidades de cada categoría que escolheu


Quer receber notificações dos nossos eventos/webinars?


cisnes negros

“2018 será uma verdadeira montanha-russa”

Será 2018 o ano em que o Bitcoin marcará máximos históricos acima dos $ 60.000 para de seguida descer $ 1.000 ?  Vivemos um crash instantâneo de 25% no S & P 500 para um pico de volatilidade desproporcional ou o eixo franco-alemão irá perder o controlo da UE?

Seguindo a tradição de selecionar as previsões mais surpreendentes, a fim de promover um diálogo sobre o que poderia agitar ou impactar os mercados em 2018, os cisnes negros deste ano cobrem uma ampla gama de cenários, incluindo o aumento do Bitcoin a máximos históricos acima dos US $ 60.000 para depois cair em seguida, para US $ 1.000 devido a uma estratégia da Rússia e China, uma queda instantânea do S & P 500, a recuperação davolatilidade ou a perda de poder do binómio franco-alemão na União Europeia.

No entanto, os cisnes negros não devem ser considerados como as perspetivas oficiais do Saxo Bank, mas eventos e movimentos de mercado atípicos que, se ocorrerem, teriam um grande potencial para alterarem as opiniões de consensuais.

Quanto a essas previsões selvagens para 2018, o chefe da estratégia em moeda estrangeira de Saxo, John J. Hardy, afirma:

A um ano atrás, muitos pensaram que 2017 seria um exercício volátil, dado o aumento aparentemente impossível para Trump e o impacto do Brexit. Em vez disso, tivemos um ano surpreendentemente silencioso que alimentou ativos de risco em todo o mundo sem uma correção relevante. Em 2018, acreditamos que regressem os riscos, relacionados com a volatilidade, porque ironicamente os longos períodos de calma e complacência nos mercados semeiam as sementes da volatilidade futura, já que os investidores subestimam a riscos de cauda e mantêm as apostas na continuação do ciclo.

Dito isto, as nossas previsões este ano não se referem apenas a um crash no mercado. Tornamo-nos escandalosos em tudo, passando pela perda de eficácia da política dos principais bancos centrais, uma nova crise política na UE, a China a desgastar o status da moeda reserva do dólar e uma nova primavera política no sul de África. Podemos ou não antecipar qualquer um desses eventos, mas essa não é a questão, o que queremos é estimular o debate e pensar sobre que rumo inesperado podem tomar os principais pontos de inflexão de 2018

Estes são os Cisnes Negros do Saxo Bank para 2018:

1-O Federal Reserve perde a independência e o Tesouro dos EUA pega as rédeas

Tanto os republicanos como os democratas competem para encurralar o voto populista à medida que nos aproximamos das eleições legislativas de 2018, com uma ausência de disciplina orçamentaria e com cortes de impostos do Partido Republicano causando um enorme deficit de renda que vai piorar à medida que os Estados Unidos entrem em recessão. A fraqueza económica, juntamente com maiores taxas de juros e uma inflação mais alta deixarão o Fed sem resposta sobre a política monetária. O Fed torna-se o bode expiatório do fraco desempenho da economia, um mercado de títulos em crise e um agravante da desigualdade. O Tesouro assume poderes de emergência e obriga o banco central a limitar os rendimentos das obrigações de longo prazo do governo dos Estados Unidos para 2,5% para evitar um colapso do mercado obrigacionista, uma política levada a cabo pela última vez após a Segunda Guerra Mundial.

2. O Banco Japonês é forçado a abandonar o controle da curva de rendimentos

A política de controle da curva de desempenho do Banco do Japão depende das reduzidas taxas de juros globais e baixos rendimentos, e em 2018 esse cenário simplesmente não se manterá. À medida que a inflação aumenta, os retornos aumentam também, e o resultado é um colapso do iene. Em última análise, o banco central deve recorrer a medidas de tipo QE, mas não antes de USDJPY chegar a 150, depois disso, desvaloriza-rá rapidamente para 100.

3. A China lança o Petro-Renminbi

A China é o maior importador de petróleo, e muitas das nações produtoras estão mais do que felizes por realizarem transações em iunes. Com o poder e alcance global dos EUA a diminuírem e, dado o sucesso do futuro das commodities em iuanes, a decisão do Mercado Internacional de Energia de Xangai em lançar um futuro do petróleo bruto baseado no iunane é um sucesso retumbante. A introdução do petro-iuane faz com que o CNY seja apreciado em mais de 10% relativamente ao dólar, o que leva o USDCNY abaixo de 6.0 pela primeira vez na história.

4. Picos de volatilidade após uma queda súbita nas bolsas

Os mercados mundiais estão cada vez mais cheios de sinais e maravilhas, e o colapso da volatilidade observada em diferentes classes de ativos em 2017 não foi uma exceção. Os mínimos históricos nos índices VIX e MOVE correspondem a altos históricos nos mercados de acções e mercado imobiliário, e o resultado não é mais do que uma bomba prestes a explodir enquanto o S & P 500 perde 25% do seu valor rapidamente, num movimento espetacular remanescente do flash/crash vivido em 1987. Muitos fundos curtos em volatilidade são aniquilados por completo e um investidor anónimo que havia apostado forte em volatilidade rentabiliza no seu investimento cerca de 1000% convertendo-se instantaneamente numa lenda.

5. Eleitores dos EUA inclinam-se para à esquerda nas eleições de 2018

As mudanças demográficas nos EUA, com a geração dos menores de 35 anos a superarem em numero o grupo de baby boomers pós-guerra, terá um impacto dramático sobre a política em 2018. A revolta geral dos eleitores mais novos perante a imagem de Trump, a crescente lacuna de desigualdade agravada ainda mais pela reforma fiscal dos Republicanos e uma nova geração de candidatos democratas que não têm medo de recorrer ao estilo populista do esquerdista Sanders move-se em massa para a geração milenar para as urnas em novembro. Os democratas organizam o debate sobre a reforma tributária para estimular o gasto social com estímulos fiscais, mas o deficit dispara. Os rendimentos dos títulos do Tesouro dos EUA aos 30 anos excedem 5%.

6 O Império Austro-Húngaro ameaça assumir o controle da UE

A divisão entre os principais membros da UE e os membros mais cépticos e mais novos do bloco expandirá para um abismo intransponível em 2018 e, pela primeira vez desde 1951, o centro político de gravidade da Europa passará do binómio franco-alemão para a CEE. O bloqueio institucional da UE logo preocupa os mercados financeiros. Depois de alcançar novos máximos contra as moedas do G10 e muitas moedas emergentes a finais de 2018, o euro enfraquece rapidamente até a paridade com o USD.

7. Os investidores fogem de Bitcoin enquanto os governos contra-atacam

O Bitcoin atinge seu nível máximo em 2018 acima de US $ 60.000 com uma capitalização de mercado de mais de US $ 1 trilião graças à chegada do contrato de futuros sobre o Bitcoin em Dezembro de 2017 que levará a uma participação maciça de investidores e fundos. Em pouco tempo, no entanto, a Rússia e a China movem-se habilmente para marginalizar e até mesmo proibirem as criptomoedas, não autorizadas a nível nacional. Depois de marcar o seu nível máximo em 2018, o Bitcoin aparecerá em 2019 para níveis próximos do seu “custo de produção fundamental, em US $ 1.000.

8. A África do Sul floresce

Em 2018, depois de uma surpreendente mudança de eventos, extende-se uma onda de transição democrática na África subsariana. A demissão forçada do presidente de longo prazo do Zimbabwe, Robert Mugabe, no final de 2017 desencadeia uma onda de mudanças políticas em outros países africanos. O sul-africano Jacob Zuma é forçado a deixar o o poder e o congressista Joseph Kabila enfrenta manifestações sem precedentes que o empurram para a fuga do país. No entanto, a África do Sul é o principal vencedor já que a sua moeda, a ZAR, torna-se o favorito do grupo de mercados emergentes e aumenta 30% contra as moedas do G3. Isso leva a África do Sul a registar as maiores taxas de crescimento do mundo, bem como os países fronteiriços.

9. Tencent destrona a Apple como o rei do mercado por capitalização

A China, que ainda é o país mais populoso do mundo e tem um nível de vida, cada vez mais alto continua a abrir os seus mercados de capitais e os seus programas de reforma estão a impulsionar um aumento no sentimento dos investidores. Isto é particularmente evidente nas ações de tecnologia chinesas, com os títulos do líder de mercado Tencent reavaliadas em 120% no ano de 2017. No final de 2017, a Tencent foi colocada no top 5 mundial em termos de capitalização de mercado, aproximando-se dos US $ 500.000 milhões e até mesmo eclipsando o Facebook. No entanto, em 2018, Tencent superará outros gigantes tecnológicos ao reavaliar-se em mais 100%, com o seu enorme tamanho, rouba a coroa do mercado mundial da Apple com uma capitalização de mais de US $ 1 trilião.

10. É o seu momento. As mulheres partem o “teto de vidro”

Na última geração, as mulheres começaram a atingir níveis de educação mais altos que os homens, nas universidades dos EUA licenciam-se 50% mais mulheres do que homens. As mulheres também representam quase metade de todos os licenciados em Finanças. Apesar disso, em 2017, apenas 6,4% dos CEOs na lista Fortune 500 são mulheres, embora em média ganhem mais do que seus homólogos masculinos.

A mudança está por vir, não porque seja “justo”, mas porque coincidência ou não, o potencial das mulheres é uma forma de crescimento das nossas economias desenvolvidas de baixa produtividade e envelhecimento. Em 2018, o velho e machista ” Men´s Clubs ” não são mais do que membros reformados em que as mulheres ocupam a primeira posição na maioria de 60 da lista de 500 das empresas na Fortune ate ao fim do ano.

Artigos Relacionados

O que são Triple Tops e Bottoms ? É um tipo de padrão gráfico usado para a análise técnica, com o fim de prever a inversão do movimento dos preços de um ativo. Os Triple Tops têm 3 picos ou pontas. O que é u...
Evergrande escapa à falência? Hoje falamos sobre as notícias! Os ursos à espera da grande queda nos mercados terão de...

Deixar uma Resposta

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments