Que características tiveram as ICOs de 2017? - Rankia Portugal
Entrar Criar conta
Acesso
Entrar em Rankia

Bem-vindo à sua comunidade financeira

Informe-se, debata, compartilhe experiências; aprenda sobre como economizar e investir. Faz parte da maior comunidade financeira, já somos mais de 750.000 desde 2003. Você se inscreve?

Que características tiveram as ICOs de 2017?

Subscrever Agora

Selecione os temas que lhe interessa e personalize a sua experiência no Rankia

Enviaremos uma Newsletter cada quinze dias com as novidades de cada categoría que escolheu


Quer receber notificações dos nossos eventos/webinars?


características tiveram as ICOs de 2017

Com o final do ano, estamos prontos para fazer um breve resumo de como estiveram as ICOs em 2017. Indubitavelmente, este 2017 foi a explosão das criptomoedas, queremos mostrar quais as tendências das ofertas iniciais das criptomoedas (ICOs).

Para isso, dispomos do estudo realizado pelo ICOVEND, cujo CEO é Raúl López, uma das principais plataformas espanholas de análises ICOs. Este foi um estudo bastante completo e baseia-se na análise de aproximadamente 200 ICOs, com mais de 10.000 dados analisados e 2125 sites visitados.

Características das ICOs

Vamos tratar das características mais importantes das ICOs. Estas foram:

  • A duração média das ICOs neste 2017 foi de 24 dias.
  • O número médio de equipa por projecto foi de 8 pessoas.
  • A coleta média totalizou 14,7 milhões de dólares.
  • O preço médio do token adquirido nas ICOs ascendeu a 1,13$, o que representa um retorno médio de 193,30%.

 

As plataformas usadas para criar os tokens mais usados foram:

  • Ethereum: Responsável pela criação de 86,75% dos tokens.
  • Waves: Utilizada para criar 4,82% dos tokens.
  • NEM: A plataforma criou 2,41% dos tokens.
  • Counterparty: Também criou 2,41% dos tokens.
  • Qtum: Criou 1.20% dos tokens.
  • Outros: Outros acumulam cerca de 2,41%.

 

As formas de mineração das criptomoedas mais utilizadas foram:

  • Proof of Work: Este método de mineração é baseado no fato de que os mineiros, através de processadores, resolvem enigmas ou problemas matemáticos para obterem uma recompensa, que será a criptomoeda em questão. Ele foi usado em 36% dos ICOs.
  • Proof of Stake: É um sistema de mineração no qual um valor é atribuído a cada moeda que corresponde à quantidade de moedas que o titular receberá quando passar um determinado período de tempo sem usar a moeda em questão. O valor obtido aumenta com a acumulação de moeda. Este método foi utilizado em 28% das ICOs. Além disso, 33% adicionais das ICOs mudarão em breve de ” Proof of Work ” para ” Proof of Stake ”.
  • PoM e DPoS: os outros 2% são atribuídos a essas formas de mineração.

 

 

Veremos as despesas das ICOs e como se dividem:

  • Desenvolvimento do projeto: Representa 44% do total de despesas.
  • Project Marketing: Representa 17% do total de despesas.
  • Em áreas legais: 11% do total das despesas são-lhes destinados.
  • Outras despesas: Representa 28% do total de despesas.

 

 

Agora, vamos proceder para ver quais foram as principais categorias das ICOs lançadas:

  • Infra-estrutura: As Icos utilizadas para financiar projetos de infraestrutura foram 36% do total de ICOs.
  • Comércio e Investimento: Representaram 14% do total das ICOs.
  • Finanças: As ICOs neste segmento representaram 11% do total das ICOs.
  • Quanto às ICOs utilizadas para financiar projectos de pagamento e armazenamento de dados, representaram 8% cada.

 

 

E você, quais acha que foram as melhores ICOs de Espanha durante este 2017?

Artigos Relacionados

Com o preço da Bitcoin a atingir novos máximos este ano, os investidores estão procurando maneiras de sacar da Bitcoin e usá-lo para comprar online, em lojas ou sacar dinheiro em caixas eletrónicos. Este gui...
A criptomoeda Stellar refere-se a uma moeda digital ou virtual desenvolvida pela Stellar Development Foundation. A mo...
Quase três vezes mais instrumentos baseados em moedas criptográficas e spreads atrativos formam os dois pilares da no...

Deixar uma Resposta

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments