Diferenças entre um consultor independente e um consultor não independente

consultor independente

Quais são características diferenciam um consultor independente de outro que não é? Analisamos os tipos de consultor financeiro que existem atualmente, os seus prós e contras, para saber qual é a melhor opção para investir as suas poupanças.

O lançamento, em janeiro de 2018, da nova diretiva europeia sobre Mercados e Instrumentos Financeiros, também conhecida como MIFID II, trouxe consigo um marco regulatório comum para promover a transparência e a segurança no setor de investimento. Com a sua entrada em vigor, foi também obrigatória a realização de certificações que comprovam o profissionalismo e a formação em assessoria financeira.

Mas uma das razões mais importantes para a implementação desta diretriz foi a necessidade de maior transparência financeira: a partir de janeiro de 2018, tanto as instituições financeiras quanto os conselheiros devem informar ao investidor se o parecer fornecido é independente ou não, oferecendo apenas produtos que se adaptem ao perfil de risco do investidor; Eles também devem indicar quais comissões são cobradas e de onde vêm.

Uma das consequências mais claras é encontrada quando se vai ao banco em busca de assessoria financeira: a entidade deve indicar se comercializa os seus próprios produtos financeiros ou aconselha de acordo com as necessidades do cliente.

Mas como um consultor independente é diferente de um que, não é?

Consultor Financeiro Independente vs Consultor não independente

Podemos diferenciar se um orientador é independente ou não baseado numa série de características:

Pagamento do serviço

A principal característica que diferencia um consultor independente de outro que não é, é quem paga pelo serviço. Se for um consultor não independente, é a própria entidade ou gestor que pagará o acompanhamento, de modo que as despesas do investidor serão menores. Se, por outro lado, ele for um consultor independente, os seus honorários terão de ser pagos pelo beneficiário final.

Carteira de produtos

Por outro lado, um consultor não independente terá um portfólio de produtos relacionados ao banco para o qual ele trabalha. O consultor independente terá um número mais diversificado de produtos financeiros, de diferentes entidades, que podem ser oferecidos ao investidor. Isso não significa que um consultor não independente ofereça um produto que não se encaixe no seu perfil, mas que, mesmo que seja bom, pode não ser o melhor.

Orientação ao cliente

No aconselhamento independente, a orientação ao cliente é essencial, com análise periódica e avaliação do investimento e monitoramento constante, adequando-se às necessidades do investidor; tudo isso para construir lealdade e criar uma reputação, pois depende do trabalho deles. O consultor não independente também leva em consideração o seu cliente, embora, por sua vez, ele deva atender às necessidades da entidade para a qual trabalha, o que pode levar a um conflito de interesse.

    Sobre o autor

    Henrique Garcia
    Analista de Mercados