É possível investir no setor imobiliário com ETFs?

Embora o preço das residências tenha oscilado nos últimos anos (causado por bolhas e depressões), sempre esteve aumentando a longo prazo. Nesse sentido, o mercado imobiliário poderia ser um setor perfeito para investimentos de longo prazo. Em seguida, veremos como o preço da habitação evoluiu nos últimos anos.

Evolução do preço da habitação e rendas

Muitas foram as notícias que nos chegaram ultimamente tentando aumentar o preço da habitação e dos arrendamentos.  O preço da habitação subiu acentuadamente nos últimos anos, e do ponto de vista dos analistas é esperado que continue esta tendência.

Abaixo está uma imagem que mostra isso.

Fonte: Trading Economics

Como podemos ver na imagem anterior, o índice de preços internos, neste caso no Reino Unido tem sido otimista nos últimos 30 anos. Também é apreciado que já tenha atingido o máximo alcançado durante o boom imobiliário de 2008.

Esse aumento de preço que estamos experimentando atualmente é devido a vários fatores, incluindo:

  • Aumento do preço do arrendamento: Se o preço do arrendamento sobe, os incentivos para possuir uma casa são maiores, tanto para evitar o pagamento de rendas altas ou para alugá-los e obter uma maior rentabilidade.
  • Crescimento Económico: Nos últimos anos, parece que já estamos recuperados da crise económica porque o crescimento do PIB tem sido consistente na maioria dos países desenvolvidos.
  • Taxas de juro favoráveis: estamos enfrentando atualmente um cenário de taxas de juros muito baixas, causadas pelas políticas de QE dos bancos centrais. Nesse sentido, financiar uma casa também é mais barato.

Da mesma forma, o preço do arrendamento das casas e escritórios também avançou significativamente nos últimos anos. Um exemplo claro disso tem sido a evolução do preço do arrendamento na cidade de Londres.

A cidade de Londres é uma das cidades mais caras para se viver devido ao alto custo da habitação. Não parou de aumentar nos últimos 15 a 20 anos devido a um aumento na procura de arrendamento. De acordo com dados do governo de Londres (london.gov.uk), em 1990, apenas 10% das casas eram para arrendar, enquanto em 2020 eles esperam chegar a 40%.

A procura de arredamento tem sido muito mais pronunciada no centro de Londres, Inner London, causando também um aumento nos preços na mesma proporção que a procura. O aumento do preço dos arrendamentos afetam os imóveis para uso residencial e para os escritórios, pois o centro de Londres também é considerado o centro financeiro da Europa e muitas empresas têm suas sedes distribuídas nessa área. Imagem abaixo.

Por todas estas razões, se estivermos interessados em investir em imóveis, podemos fazê-lo investindo em ETFs imobiliários.

Um ETF para investir em todo o setor imobiliário

Algumas das muitas vantagens dos ETFs imobiliários é que nos permite ter um investimento muito mais diversificado sem ter que gastar muito capital.

Uma das formas mais tradicionais de investir no setor imobiliário foi comprar uma casa com o objetivo de alugá-la, mas essa forma de investimento exige que tenhamos dinheiro suficiente para comprar a casa e também ficamos expostos a riscos como a desvalorização da área. desastres naturais … etc. Com um ETF evitaríamos esses problemas, porque eles diversificam o investimento em diferentes empresas do setor e não precisaríamos de tanto capital inicial (comprar uma casa) para começar a investir.

No caso do setor imobiliário no Reino Unido, temos o “iShares UK Property UCITS”, um dos ETFs mais negociados. Ele teve um retorno anualizado nos últimos 5 anos de 8,99% quando o benchmark BenchMark foi colocado em 9,25%, então a replicação é mais do que adequada. Abaixo apresentamos as principais posições do referido ETF.

Fonte: iShares UK

Como podemos ver na tabela anterior, é um ETF altamente diversificado por subsetores, bem como a maior empresa imobiliária comercial do Reino Unido (Land Securities Group).

Desta forma, podemos dizer que os ETFs Setoriais são um bom investimento se acreditarmos que qualquer setor específico aumentará a longo prazo, sem arriscar nenhuma empresa em particular.

Sobre o autor

Juan Diego Quilez
Gestor do Rankia Portugal