ETFs e CEFs: qual é a diferença?

Os ETFs e os CEFs são muitas vezes considerados como o mesmo tipo de fundo, mas não é esse o caso. Vamos analisar em conjunto quais são as características que marcam as diferenças muito importantes para os fins de investimento.

ETFs e CEFs? Qual é a diferença?

Os Exchange Traded Funds (ETFs) são fundos que exploram um índice subjacente para acompanhar o desempenho de várias empresas e são muitas vezes privilegiados devido à sua conveniência e ao facto de permitirem investir em empresas nas quais não seria possível investir normalmente.

Os Closed End Funds (CEFs) são fundos fechados geridos ativamente que podem parecer muito semelhantes aos ETFs, e são, mas o sistema subjacente é substancialmente diferente. Os CEFs não seguem um índice, e o estilo de gestão oposto cria diferenças substanciais para os investidores que levam a preferir um ou outro.

Comissões

As comissões ETF são inferiores às comissões CEF. Isto deve-se ao facto de as ETFs serem carteiras geridas passivamente, explorando o índice subjacente por conseguinte, os custos de gestão serem mais baixos. As comissões de negociação das ETFs também são inferiores às das CEF e, neste caso, a motivação é o baixo turnover da carteira.

Alavancagem

Para os ETFs, não existe nenhum alavancagem na estratégia de investimento do fundo. Os CEFs têm uma elevada flutuação e a maioria delas são exploradas, o que significa que se os gestores de carteira tomarem decisões corretas, a alavancagem será favorável, caso contrário a alavancagem poderia prejudicar fortemente a carteira.

Distribuição de impostos

Tendo em conta a estratégia de gestão de carteiras oposta (os ETFs são geridos passivamente enquanto os CEFs são geridos ativamente), existe uma influência sobre o volume de negócios e, portanto, sobre a distribuição de impostos. A um turnover baixo, como o dos ETFs, corresponde a uma baixa probabilidade de distribuição de impostos, enquanto um turnover elevado, como o dos CEFs, corresponde a uma elevada probabilidade de distribuição de impostos.

Transparência

Os CEFs são fundos fechados e a sua transparência é relativa, dado que são fundos geridos ativamente. Pelo contrário, os ETFs dispõem de uma grande transparência, o que constitui, sem dúvida, uma característica muito boa. A transparência dos ETFs deve-se ao facto de que, embora um ETF possa ser mais ou menos transparente, declara o índice subjacente, razão pela qual é possível tirar partido da transparência total simplesmente procurando informações sobre o próprio índice ou procurando informações declaradas pelos sponsors do fundo.

Valor do capital próprio

Os ETFs são negociados, em regra, pelo valor patrimonial neto (NAV) sem qualquer grande desconto ou prémio. Os CEFs, pelo contrário, são normalmente negociados com prémios ou descontos aplicados ao NAV. Isto deve-se sempre à gestão ativa do fundo. Na verdade, estas medidas são aplicadas para tentar aumentar a procura, equilibrando o todo.

Conclusão: ETFs e CEFs

Não há vencedor nem perdedor nesta comparação, trata-se de fundos de natureza diferente e o seu sistema de gestão marca as principais diferenças. Cabe a si, decidir qual é o melhor investimento para si com base no que precisa e com base no tipo de abordagem que gostaria de ter no mercado.

 

Se quer saber mais sobre ETFs, pode descarregar o nosso manual de forma gratuita

Manual de ETF: começar com ETFs do Zero

Sobre o autor

Diana Costa

Content Specialist for Rankia Portugal

 

Responder a este tópico

Bem-vindo(a) à comunidade!

Selecione os temas que lhe interessa e personalize a sua experiência no Rankia

Enviaremos uma Newsletter cada quinze dias com as novidades de cada categoría que escolheu


Quer receber notificações dos nossos eventos/webinars?


Ao continuar, aceita a política de privacidade