Como criar uma empresa

criar uma empresa

Criar uma empresa pode ser uma forma de criar o seu próprio emprego. Trata-se de uma alternativa possível para alguém que esteja desempregado ou para quem resolva entrar no mercado de trabalho criando a própria empresa.

A maioria das empresas nascem em torno de uma ideia ou oportunidade de negócio, identificada com base nos conhecimentos técnicos e na experiência do criador.

Como criar uma empresa?

Para criar uma empresa a ideia inicial deve ser analisada através de um plano de negócios. Este plano ajudará a refletir sobre a forma como a empresa se irá posicionar no mercado e permitirá minimizar os imprevistos.

Como fazer um plano de negócios?

O plano de negócios não é mais do que um documento que sistematiza e apresenta o seu projeto e que dá corpo à sua estratégia.

Como deve ser estruturado?

Não há formas mágicas para estruturar um plano de negócios. Segundo o IAPMEI- Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação, uma boa estrutura engloba os seguintes tópicos:

  • Apresentação do criador e do projeto
  • Contextualização do mercado e da envolvente externa
  • Definição de metas e objetivos
  • Estratégia comercial
  • Estrutura da empresa
  • Elaboração de previsões financeiras
  • Controlo e gestão do negócio
  • Investimento necessário
  • Anexar documentos e outra informação

Que informações deve conter?

Apresentação do projeto

Fundamental incluir este cartão-de-visita para potenciais investidores. Aponte para um sumário executivo que não vá além das duas páginas e que seja simples de ler, sem erros de ortografia. Como uma sinopse ou um trailer podem vender bem um filme, assim também o seu sumário executivo (munido dos números fortes e mais esclarecedores) pode ser fundamental para conseguir fazer avançar o seu negócio.

Não se esqueça de ali incluir o nome do negócio, identificação do produto ou serviço, assim como:

  • Do sector;
  • Da missão;
  • Dos mercados potenciais;
  • Dos seus pontos fortes e fracos;
  • Das qualidades relevantes dos empreendedores para o projeto;
  • Dos motivos que tornam a ideia inovadora;
  • Da estrutura necessária (recursos humanos e investimento).

E não esquecer, o que poderá ser o atrativo para investidores, incluindo margem de tempo até começar a gerar resultados líquidos positivos.

Junte a isto uma descrição bem elaborada sobre o negócio a criar, apontando as vantagens, o que o torna inovador e potencialmente vencedor.

Contextualização do mercado e da envolvente externa

Conhecer o mercado que se vai enfrentar é um ponto-chave a incluir no plano. Como se caracteriza o mercado, em que estado de desenvolvimento está, qual a concorrência a enfrentar e a tipologia de clientes são variáveis importantes nesta equação de negócio.

Quais são as metas e objetivos

Ter metas e objetivos bem traçados e definidos é fundamental para o sucesso de um plano de negócios. Nesta área deverão estar assinalados os principais objetivos a cumprir segundo a natureza do plano.

Estratégia comercial

Definidas as necessidades dos clientes no mercado onde se posicionará o produto é tempo de elaborar uma estratégia comercial.

O Marketing deverá passar pela identificação de clientes, segmentação de clientes alvo, a definição dos meios a utilizar para potenciar as vendas, a criação de suportes à estratégia de imagem e comunicação bem como pela formação da equipa de vendas.

Elaboração de previsões financeiras

Nas suas previsões financeiras a incluir no plano de negócios devem constar:

  • Projeções de break even (momento a partir do qual um projeto deixa de perder dinheiro e começa a gerar receitas para recuperar o capital investido),
  • Projeções de vendas, projeções de cash flow (fluxo de caixa),
  • O que vai exigir o tratamento financeira de alguns documentos de previsão.

Além disso, devem constar documentos que justificam os custos com pessoal necessário ao investimento, bem como a projeção de financiamento e outros serviços externos indispensáveis.

Controlo e gestão do negócio

Um bom caminho para cativar investidores é mostrar rigor e segurança nos seus números e estratégia.

É fundamental mostrar que mantém um apertado controlo em áreas como as vendas, os dados financeiros e a produção. Este controlo será mais eficaz se recorrer a ferramentas de software que permitam a sistematização da informação nestas áreas.

Investimento necessário

Nesta área não deverá nunca deixar de incluir o investimento que acarreta o seu negócio, assim como o tipo de investimentos e a forma de os cumprir, através da planificação das amortizações. Os prazos são também determinantes para perceber o período do investimento ligado ao negócio.

O que o faz melhor?

Claro que para dar corpo ao guião perfeito que pretende aqui criar, deve poder contar com uma boa equipa, mas o sucesso do empreendedor depende de outros implícitos no plano  que podem fazer a diferença:

  • Simplicidade de apresentação e aplicação
  • Objetividade, metas e organização, que passam por objetivos a concretizar, as pessoas responsáveis, orçamentos detalhados. Se o seu plano não é realista e não se fundamenta em alicerces concretizáveis está a cometer erros no seu documento estratégico.
  • Bom planeamento financeiro, sustentado em bons documentos de previsão e realista.

Fazer um teste ao plano

Se tem o seu plano concluído, está na hora de fazer o teste para saber se tem o que precisa para ter êxito. Será que o plano dá respostas sobre a ideia, os seus fundadores, a sua educação e formação, a sua experiência profissional, a sua reputação no mercado empresarial ou feitos de empreendedorismo? Faça perguntas que procuram boas respostas no seu plano.

  • O plano é realista nos objetivos e formas de sucesso?
  • O plano contempla os riscos potenciais?
  • Quem são os empreendedores e que reputação mantêm ao nível pessoal e profissional?
  • Qual é a equipa que vai levar avante o projeto?
  • Têm a melhor equipa para o tipo de projeto?
  • O que move os empreendedores?
  • Como podem responder aos fatores de risco do negócio?
  • Estão os empreendedores preparados para tomar decisões difíceis?

Dica do Rankia

Um jovem empresário pode criar a sua empresa num formato de empresa individual, com ou sem responsabilidade limitada, ou constituir uma sociedade comercial. Os empresários em nome individual (ENI) e os estabelecimentos individuais de responsabilidade limitada (EIRL) são exemplos de formas de constituição individual de uma empresa. As sociedades comerciais por quotas e anónimas são modalidades habituais de constituição e organização empresarial.

Conta poupança boas vindas Openbank

Banco Finantia

0

Sobre o autor

António Fernandes

Responder a este tópico

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *