Crédito Pessoal: Quais os Prós e Contras? - Rankia Portugal
Entrar Criar conta
Acesso
Entrar em Rankia

Bem-vindo à sua comunidade financeira

Informe-se, debata, compartilhe experiências; aprenda sobre como economizar e investir. Faz parte da maior comunidade financeira, já somos mais de 750.000 desde 2003. Você se inscreve?

Crédito Pessoal: Quais os Prós e Contras?

Subscrever Agora

Selecione os temas que lhe interessa e personalize a sua experiência no Rankia

Enviaremos uma Newsletter cada quinze dias com as novidades de cada categoría que escolheu


Quer receber notificações dos nossos eventos/webinars?


Crédito Pessoal

 

O crédito pessoal, permite-nos solicitar uma determinada quantia de dinheiro e restituí-la em prestações fixas, num prazo acordado de antemão. É de fácil acesso, podendo inclusive ser contratado por telefone ou através da internet. E permite fazer face a situações urgentes, quando se precisa de liquidez com brevidade.  

O que faz com que o crédito pessoal, seja cada vez mais, uma das primeiras opções a considerar quando se pretende fasear pagamentos. No entanto pode não ser a melhor opção já que se trata de um financiamento e assim invariavelmente acarreta taxas e implica o pagamento de prestações, pelo que se pode revelar uma escolha pouco económica.

O que é um Crédito Pessoal?

De acordo com o Banco de Portugal, o crédito pessoal é uma modalidade de crédito aos consumidores, que se destina a financiar a aquisição de bens e serviços mas que também pode ser contratado sem um fim específico.

Trata-se de um contrato de crédito com montante, prazo e modalidade de reembolso previamente definidos. E com critérios de regulação específicos como, por exemplo o valor máximo da TAEG (Taxa Anual de Encargos Efetiva Global) que é fixado pelo Banco de Portugal e que varia de acordo com a finalidade do empréstimo a contratar.

Um crédito pessoal tem várias taxas associadas que devem ser tomadas em consideração, já que influenciam diretamente o montante total imputado ao consumidor (MTIC). E neste sentido a TAEG e o MTIC, que refletem os custos totais do crédito, devem ser os valores utilizados para comparar diferentes propostas de crédito.

Tipos de Crédito Pessoal?

Como vimos esta modalidade de crédito pode ser contratada tanto com como sem uma finalidade específica e por isso existem vários tipos de crédito pessoal. Destacamos os que se seguem:

Crédito Rápido

Este tipo de crédito oferece um processo célere e simplificado, a que se acede normalmente por telefone ou pela internet; e distingue-se por não implicar a abertura de uma conta bancária e por permitir uma resposta em menos de 48 horas.

Este tipo de crédito pessoal é muitas vezes a primeira opção a ser considerada dado que, por um lado, se apresenta como uma solução para fazer face a situações urgentes e, por outro, permite uma certa “privacidade” ao consumidor que não terá de divulgar a finalidade do empréstimo.

No entanto existem aspetos a ter em conta ao solicitar um crédito rápido. Por exemplo, entre outros, existe uma grande diferença na TAEG apresentada pelas várias entidades, e é necessário fazer uma boa pesquisa para garantir que se está a fazer a opção certa.

Crédito especializado

O crédito especializado é um crédito pessoal com uma finalidade específica. Pode destinar-se a pagar despesas de saúde, financiar os estudos, fazer uma viagem, comprar uma viatura, adquirir energias renováveis, colmatar os gastos de lazer ou cerimónias, fazer obras em casa ou comprar móveis e até mesmo a investir em pequenos negócios.

Um crédito especializado pode assim ser solicitado para vários fins. No entanto, seja qual for a finalidade pretendida, esta deve ser sempre comunicada ao banco para que se consigam as condições de financiamento mais proveitosas, já que a TAEG, as modalidades de pagamento e o valor da prestação diferem consoante o tipo de crédito solicitado.

Crédito consolidado

O crédito consolidado consiste em agregar várias prestações de créditos numa só. Ao fazê-lo consegue-se uma prestação total mais reduzida, uma taxa de juro mais acessível e um prazo de empréstimo mais alargado, o que poderá ajudar a gerir dívidas contraídas e evitar o sobre-endividamento.

Optar por um crédito consolidado pode ser a melhor opção quando se precisa de diminuir as prestações mensais a pagar, uma vez que os juros serão menos. O que até pode implicar que se consiga liquidar a dívida total mais rapidamente.

No entanto convém lembrar que as melhores condições estão associadas à consolidação de créditos com hipoteca. No caso do crédito consolidado sem hipoteca os prazos de pagamento não são tão longos e as taxas de juro não são tão baixas.

Vantagens e desvantagens de um empréstimo pessoal

São vários os motivos que nos levam a considerar um crédito pessoal. Quer seja para, por exemplo, fazer face a despesas inesperadas, pagar despesas de saúde, financiar os estudos, ou até liquidar outros créditos, o crédito pessoal surge como uma opção.

No entanto se por um lado um crédito pessoal é tido como uma opção muito conveniente e até vantajosa, por outro não nos podemos esquecer que também acarreta algumas desvantagens, que devem ser tidas em consideração antes de se firmar o contrato de crédito.

O crédito pessoal tem como vantagens a rapidez e a facilidade no acesso; a possibilidade de fazer o pedido online e a flexibilidade tanto no montante do empréstimo como no prazo de pagamento. Assim pode ser muito conveniente quando se precisa de, por exemplo, responder a situações urgentes ou regularizar dívidas.

Além disso, porque todo o processo pode ser feito online e a maioria das instituições financeiras permite fazer simulações, podemos facilmente ficar conhecer as condições dos empréstimos e fazer comparações entre as diferentes propostas das várias entidades, e tomar uma decisão mais informada e vantajosa.

Contudo o crédito pessoal também tem desvantagens. Por um, lado no mercado dos créditos pessoais a publicidade é muito agressiva o que pode induzir em erro e levar ao endividamento. Por outro as taxa de juros podem chegar a ser bastante altas e as penalizações no caso de incumprimento também são muito elevadas. Pelo que é necessário uma boa pesquisa e análise antes de se tomar a decisão de contrair um crédito pessoal de forma a evitar futuros dissabores.

Contratar um crédito pessoal é uma boa opção?

Na verdade, pesando vantagens e desvantagens, um crédito pessoal tanto pode ser uma boa como uma má opção. Tudo irá depender das nossas prioridades ou necessidades em determinada altura. Assim se para alguns um crédito pessoal pode ser uma péssima ideia, para outras acaba por ser a melhor solução e apenas precisam descobrir qual o melhor crédito para a sua situação específica.

O importante é que na altura de se contrair um crédito nos lembremos de:

  • Ponderar se a utilização do crédito justifica assumir uma prestação mensal;
  • Não esquecer os juros associados e ter em conta todas as taxas, especialmente a TAEG;
  • Verificar também se existem comissões e taxas adicionais no crédito pessoal, como seguros, entre outros;
  • Ter ainda em consideração a taxa de esforço: quanto menor for o peso da prestação no rendimento mensal melhor;
  • Ter em mente que o não pagamento do crédito implica restrições a futuros créditos, coloca a ficha do cliente bancário na CRC (Central de Responsabilidades de Crédito), e pode levar ao endividamento e à penhora de bens.
  • Considerar alternativas como usar cartões de crédito, cheques pré-datados, leasing, ou até socorrer-se dos subsídios de férias e 13 mês.

E por fim, seja qual for a nossa escolha o importante é que façamos uma boa gestão das nossas economias de forma a que não percamos controlo sobre o nosso dinheiro.

Credits: Business photo created by freepik – www.freepik.com

Artigos Relacionados

Deixar uma Resposta

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments