Taxas para a Uber, Cabify e Taxify

O novo decreto para regulamentar a actividade de empresas como Uber, Cabify e Taxify, depois de introduzidas alterações após o veto do Presidente da República, foi aprovado com os votos do PS, PSD e PAN.Resultado de imagem para uber e cabify e taxify

A Assembleia da República aprovou esta quinta-feira o novo decreto que cria o regime jurídico do transporte individual e remunerado de passageiros em veículos descaracterizados a partir de plataforma electrónica (TVDE), depois do veto do Presidente da República ao diploma.
As alterações aprovadas passam pela criação de uma contribuição de regulação e supervisão a ser paga pelas plataformas electrónicas como a Uber, Cabify ou Taxify, que terá uma percentagem única de 5% dos valores da taxa de intermediação que cobram em todas as suas operações.

E quando elas forem para a bolsa, vai investir nelas?

Dara Khosrowshahi, presidente executivo da Uber, disse em Davos que quer pôr a empresa na bolsa já em 2019 e que a empresa deverá começar a dar lucro em 2022.

Uber deverá dar lucro em cerca de três anos e entrar na bolsa já no próximo ano, anunciou o presidente executivo da empresa, Dara Khosrowshahi, à margem do Fórum Económico Mundial em Davos (Suíça). A operação é amplamente aguardada pelo mercado, pois será o primeiro teste de uma grande startup nos mercados bolsistas e submeterá a plataforma de transporte privado a um maior escrutínio público.

O muito aguardado IPO (oferta pública inicial) da Uber deverá, assim, chegar já em 2019 e poderá levar a empresa a expandir-se para novos mercados, afirmou Khosrowshahi, indo contra o novo administrador executivo Rajeev Misra, do SoftBank, que disse que a empresa está focada nos mercados norte-americano, europeu, latino-americano e australiano.

0

Sobre o autor

Henrique Garcia

Analista de Mercados

Responder a este tópico