Entrar Criar conta
Acesso
Entrar em Rankia

Bem-vindo à sua comunidade financeira

Informe-se, debata, compartilhe experiências; aprenda sobre como economizar e investir. Faz parte da maior comunidade financeira, já somos mais de 750.000 desde 2003. Você se inscreve?

Investir em fundos? Vantagens e desvantagens dos fundos de investimento

Subscrever Newsletter

Selecione os temas que lhe interessa e personalize a sua experiência no Rankia

Enviaremos uma Newsletter cada quinze dias com as novidades de cada categoría que escolheu


Quer receber notificações dos nossos eventos/webinars?


Os fundos de investimento são um veículo de investimento com uma série de vantagens e desvantagens que o investidor deve conhecer. Os fundos podem ser o produto ideal para um perfil de investidor e um que não cobre as necessidades dos outros. Portanto, é essencial conhecer bem as principais vantagens e desvantagens dos fundos de investimento para determinar se os fundos se ajustam ao que precisamos.

Porquê investir em fundos de investimento?

Por muito conhecimento que tenhamos adquirido e quantos livros de Warren Buffet tenhamos lido, quando se trata disso, é difícil vencer o mercado sem estarmos totalmente dedicados e sem sermos capazes de o combinar com as nossas obrigações diárias. Neste caso, pode ser mais fácil dedicar algum tempo à investigação dos diferentes tipos de fundos disponíveis e, dependendo da nossa filosofia de investimento, escolher um destes: valor, crescimento, dinamismo…

Se olharmos para o que o mercado de fundos de investimento geridos activamente tem para oferecer, é difícil deixar alguém insatisfeito. Pode escolher por distribuição geográfica, sector ou dimensão das empresas e aceder a carteiras diversificadas que seriam muito mais complexas e dispendiosas numa base individual. Em sites como o Morningstar ou Citywire pode descobrir quantos fundos estão disponíveis e como os seus gestores são classificados.

Outra razão importante são as vantagens fiscais oferecidas pela facilidade de transferir de um fundo para outro sem ter de pagar impostos e poder deixá-lo como herança aos seus filhos, maximizando assim o poder dos juros compostos.

Leia também: “Como investir em fundos de investimento“.

 

Vantagens e desvantagens de investir em fundos de investimento

 
Vantagens Desvantagens
Gestão de investimentos realizada por profissionais Alguns fundos cobram taxas excessivas
pouco tempo dedicado Penalidade ao transferir entre fundos
Facilidade de rastreamento Confiança total na empresa de gestão
Tributação favorável fundos ativos falsos
Oferta variada e tipos de fundos no mercado Existem alternativas mais baratas
Segurança e maior tranquilidade em nossos investimentos Perda de tempo de investimento com transferências entre fundos
Baixas barreiras à entrada: ações mais acessíveis Dúvidas sobre retornos: eles podem superar o índice?
Diversificação de nossos investimentos Delegue a gestão total dos seus investimentos
Fácil acesso ao investimento em renda fixa Não tem voz na tomada de decisões de fundos
Multidão de mercados e países Alguns não são totalmente transparentes

Vantagens dos fundos de investimento

1- Gestão profissional

Uma das características dos fundos de investimento é serem  administrados por uma equipe de profissionais qualificados, com conhecimento e experiência  no setor.

Assume-se que esta gestão é uma mais-valia que se refletirá na rentabilidade ou proteção do capital. Em outras palavras, um retorno acima do mercado com volatilidade ou risco mais ajustado .

Acessar um fundo nos dá a segurança de que há toda uma equipe humana por trás dele, que cuidará de nossos interesses e que o fará em tempo integral. Um serviço 24 horas por dia, 7 dias por semana para nossas economias e investimentos.

Essa é uma das grandes vantagens dos fundos em relação a investir diretamente em ações por conta própria . Um investidor individual raramente seria capaz de gastar tempo integral rastreando seus investimentos para conclusões eficientes, o que os fundos de investimento fazem.

Neste ponto, deve ter cuidado com o gerenciamento ativo falso . Ou seja, fundos que alegam realizar estratégias de investimento para superar o mercado, quando na verdade replicam o que os índices de ações fazem (seja pela composição da carteira ou porque seu desempenho é semelhante). Ou seja, são fundos de gestão passiva que tentam parecer ativos e cobram comissões por essa suposta análise. Quando falarmos sobre as desvantagens dos fundos de investimento tradicionais, ampliaremos as informações.

2- O tempo

Investir no mercado de ações leva tempo e esforço. Quando um investidor compra ações , ele mesmo deve acompanhar sua evolução, fazer uma análise da empresa, ajustar os pesos da carteira, certificar-se de que ela está bem diversificada…

Em suma , investir por conta própria consome nosso valor mais precioso, o tempo.

Com um fundo de investimento, podemos “esquecer” parte desse trabalho com muito mais facilidade do que com uma carteira de ações, o que nos poupará muito tempo e esforço em análises e operações.

Muitos investidores não valorizam adequadamente esse fator. Outras questões prevalecem, como a rentabilidade potencial que eles acreditam que podem obter por conta própria. No entanto, nosso tempo também tem seu preço.

Uma maneira de levar isso em consideração é medir o retorno adicional que pode ser obtido no mercado de ações (se for o caso) em horas dedicadas. No final das contas, é possível que o cálculo esteja abaixo do SMI ou do dinheiro pelo qual estaríamos dispostos a trabalhar.

Um fundo de investimento economiza tempo, dedicação e muito do estresse de acompanhar o mercado em tempo integral

3- Acompanhamento fácil

Imagine uma carteira com 50 títulos. Quanto trabalho  seria actualizá-los quinzenalmente ou mensalmente?? Monitorar fundos de investimento é muito mais fácil. Este é outro de seus pontos a favor .

Por um lado, os fundos atualizam diariamente os seus valores patrimoniais líquidos, pelo que  é fácil saber o valor real de qualquer uma das nossas posições , bem como o seu comportamento.

Além disso, nas planilhas de avaliação dos fundos temos inúmeros índices já calculados que facilitarão sua análise e acompanhamento. Isso dá tranquilidade aos investidores, pois após algum evento no mercado poderemos saber algum tempo após o fechamento do mercado o real valor do nosso investimento.

Por outro lado, uma carteira de fundos mútuos tende a ser menor do que uma carteira de ações. Em vez de baixar 50 títulos, é normal ter apenas 4 ou 5 fundos em sua carteira.

4- Tributação favorável

Um dos pontos a favor é a tributação, já que permite atrasar o pagamento das mais-valias até o momento da venda. Com os fundos, podemos transferir o património entre os fundos sem ter que fazer a venda efetiva, e assim ajustar o pagamento do imposto para o momento em que ele é mais favorável. Se, por exemplo, fosse o caso de não querermos estar em nenhum produto financeiro e estarmos em liquidez, também podemos fazê-lo, transferindo o dinheiro para fundos monetários.

Esta é uma  vantagem muito importante em relação aos ETFs , para os quais você precisa passar pela caixa registradora toda vez que quiser gastar seu dinheiro em outro ETF. E a mesma coisa acontece com as ações, com as quais você tem que pagar impostos toda vez que vende ou faz um ajuste na carteira.

Essa vantagem dos fundos de investimento pode ser quantificada? Sim, a economia representa entre 19% e 26% dos benefícios em cada mudança.

Essa vantagem é especialmente importante no longo prazo, graças ao poder dos juros compostos.

5- Todos os tipos de estratégias ao nosso alcance

Existem fundos para todos os gostos. Existem muitas estratégias em fundos de investimento, e qualquer estratégia em que possamos pensar, se funcionar, pode ter um fundo que a aplique. Também temos estratégias não convencionais, como mercados neutros, multi-estratégia ou fundos de valor típicos. Toda essa gama de possibilidades permitirá adotar qualquer tipo de estratégia, dependendo do momento do mercado ou de nossos gostos pessoais. Estas estratégias são definidas na sua vocação de investimento, que deve ser respeitada pela empresa gestora do fundo e que marcará a filosofia de investimento, bem como uma série de pontos-chave que o gestor do fundo deve respeitar.

6- Transparência e segurança

Atualmente, há dúvidas sobre a solvência e confiabilidade de muitos corretores, especialmente aqueles especializados em derivativos, com sedes fora do país. Por outro lado, os fundos de investimento não têm esse problema, pois os reguladores de cada país impõem um grande número de exigências para a constituição de um fundo, além do constante controle sobre eles. Alguns investidores, por ignorância, temem que as suas economias desapareçam repentinamente se assinarem um fundo, e isso é algo que não pode acontecer, dado que o regulamento impõe muitas barreiras, como a diferença entre a administradora e a empresa depositária, bem como presença de um regulador. No nosso caso, o referido regulador é o CMVM, que monitora os dois anteriores.

7- Poucas barreiras à entrada

Os fundos de investimento exigem um pequeno investimento inicial, uma vez que são compostos por investimentos de baixo valor para facilitar a entrada no fundo por novos investidores. Ao entrar num fundo, devemos adquirir uma participação mínima, que será equivalente ao valor patrimonial líquido do referido fundo. Este valor é geralmente muito baixo, o que permite a entrada para todos os tipos de investidores, o que significa que não tem barreiras à entrada. Em fundos especializados, existem critérios mínimos de capital, mas na maioria dos fundos isso não é o caso. No caso de o ter, o mais habitual é que seja uma participação mínima de € 1000.

8- Diversificação

Esses fundos devem atender a critérios de gestão de risco, o que leva a uma diversificação eficiente. Os fundos devem distribuir os seus ativos entre vários investimentos, protegendo o investidor de possíveis erros na seleção de ativos pela empresa gestora. Isso reduzirá o risco suportado pelo investidor. Além disso, para o investidor, seria impossível comprar a mesma carteira que o fundo numa base pessoal para as comissões de alta compra e venda, por outro lado, o fundo com grande riqueza, pode fazê-lo a um custo muito baixo.

9 – Acesso a obrigações

Para muitos investidores, é difícil aceder a obrigações, pelo capital mínimo exigido, ou simplesmente pela falta de conhecimento de como fazê-lo.

Portanto, se quisermos investir em renda fixa, fazê-lo por meio de um fundo de investimento é uma boa alternativa, já que podemos aceder a muitos títulos e obrigações que não estão disponíveis para o investidor individual por causa do seu capital mínimo alto.

Além disso, o processo de contratação de um fundo de investimento é muito mais simples do que investir em dívida corporativa ou em títulos do Tesouro, para dar dois exemplos.

10- Acesso a mercados exóticos

Está a tornar-se mais fácil ter acesso a mercados exóticos, mas há muitos investidores que não investem por causa da ignorância ou da desconfiança. Os fundos de investimento colocam ao nosso alcance qualquer mercado que possamos imaginar. Do capital russo, à dívida de alto rendimento de algum país asiático. Os fundos de investimento dão nos uma nova gama de possibilidades que podem ajudar o investidor como um complemento às estratégias usuais nos mercados.

Desvantagens dos fundos de investimento

1- Custos

Um fundo de investimento tem vários custos que devem ser considerados. É verdade que os custos não são “pagos” pelo investidor, uma vez que estão incluídos na rentabilidade final do fundo, mas a longo prazo são percebidos.

Há muitos estudos académicos sobre o assunto, e todos concluem que existem fundos que cobram taxas excessivas, superiores ao valor que o gestor é capaz de criar. Quais comissões são pagas pela contratação de um fundo de investimento?

Uma desvantagem dos fundos é que esses custos estarão sempre presentes. A taxa de administração é paga independentemente de o fundo ganhar ou perder dinheiro, como é normal, pois é o que alimenta o gestor.

Ao investir em fundos de investimento, os custos finais do fundo devem ser bem avaliados através das despesas correntes , e tentar selecionar aqueles com as menores comissões

2- Penalizam os movimentos

Alguns fundos têm custos de assinatura e venda, são poucos, mas existem. Esses custos podem ser altos, pois são baseados no património em que nos inscrevemos.

Os gestores justificam dizendo que o objetivo dos fundos é canalizar a poupança no longo prazo e que não é um produto para negociação.

Tem que olhar com cuidado antes de entrar num fundo, para ter certeza de que eles não têm altas comissões de subscrição e reembolso, ou podemos ficar com medo ao sair do fundo.

Outra opção, pode ser que o fundo esteja atingindo o limite de subscrição e eles não queiram que o fundo seja fechado aos investidores, então adicionariam essas comissões para que demore mais tempo para atingir o máximo permitido.

3- Confiança na empresa de gestão

Este é um ponto chave. Ao investir num fundo de investimento, estamos a dar o nosso dinheiro a uma sociedade gestora para que ela possa fazer o que entender com ele.

Isso não é tanto uma desvantagem dos fundos em si, pois é uma questão de percepção para a maioria dos investidores. E é que o público em geral confia na banca tradicional e, apesar de terem bons produtos, a banca de investimento costuma ser a melhor alternativa.

Há muitos pequenos gestores, com tradição e experiência que possuem excelentes fundos, mas sem saber o nome, muitos investidores duvidam se é um bar de praia financeiro. Não devemos ser influenciados pela “marca” do fundo, e abrir as nossas mentes a mais sociedades gestoras . Se você tiver dúvidas, aqui damos as chaves para  escolher um fundo de investimento .

4- Fundos ativos falsos

É uma sombra que sobrevoa o setor de gestão de ativos. Os gestores realmente fazem alguma coisa? Essa é uma pergunta que, infelizmente, é difícil de responder. Mais e mais fundos estão vindo à luz que estão cobrando altas taxas para os participantes, enquanto eles estão seguindo o índice sem fazer nada. Este é um dos maiores riscos a que o investidor comum está exposto, a falsa gestão ativa. Existem razões como o Tracking Error e a sua relação com as comissões que eles nos dizem para ajudar, como explicamos com o Ratio Value. Portanto, devemos analisar bem o fundo antes de entrar, já que, se cairmos nas garras de um desses fundos, teremos um enorme custo de oportunidade.

5- Substitutos a um custo menor

A forte emergência dos ETFs foi, felizmente, um golpe para a indústria de fundos. Os ETFs são produtos de investimento que visam replicar um índice a um custo muito baixo, o que os torna um substituto quase perfeito para fundos de investimento de gestão passiva. Portanto, se não confiamos na capacidade dos gestores para vencer os mercados, e concluímos que a gestão passiva é a melhor alternativa a longo prazo, os ETFs podem ser uma alternativa razoável aos fundos de investimento. Mesmo para o gestão ativa, se bem feito.

6- Tempo fora do mercado entre transferências

É fácil fazer transferências entre fundos, sem custos em muitos casos e não paga pelos ganhos de capital, mas não é automático. Se fizermos uma ordem de transferência, nosso dinheiro permanecerá no “limbo” por um período indeterminado. Primeiro deve fazer o reembolso do fundo que nós subscrevemos, então nosso corretor deve processar o pedido para que chegue ao novo fundo de destino, e finalmente o fundo de destino deve processá-lo até que tenhamos o novo fundo na conta. Este período é muito variável, dependendo principalmente da agilidade dos fundos, que em alguns é nula. Se é um investidor que dói estar fora do mercado um dia por razões não relacionadas às suas decisões, uma transferência de fundos de investimento pode ser muito frustrante.

7- Eles excedem os seus índices?

Rentabilidade é o motor da maioria das decisões de investimento. Há uma dúvida razoável sobre se os fundos como um todo são capazes de vencer os mercados. Há muita literatura sobre isso, muito tendenciosa, dependendo dos emitentes (cada um olha ao seu lado), então a conclusão final deve ser tomada pelo investidor. Existem índices e indicadores para tentar saber se um fundo que venceu o mercado pode continuar a fazê-lo, mas é difícil. Além disso, no longo prazo, muitos gestores tendem a dar retornos, no melhor dos casos, iguais aos índices. Existem fundos que vencem os índices, mas seremos capazes de encontrá-los?

8- Não gerir pessoalmente os investimentos

Estamos a investir? Muitos investidores consideram que subscrever um fundo de investimento não é investir. Compra e venda, decidir se sair de um mercado como outro, é um sentimento que não podemos ter com os fundos. Podemos mover-nos entre eles, e acima do peso um ou outro de acordo com nossas expectativas, mas não é o mesmo.

Há investidores que querem delegar a gestão dos seus ativos, e querem ter controle absoluto do seu dinheiro, e isso é algo que os fundos de investimento não podem lhe dar.

9- Não ter uma “voz” na gestão

Existem muitos estilos diferentes de investimento, mas nos fundos o investidor não tem voz. Se compra um negócio, como um restaurante, consegue ter uma opinião sobre os investimentos que devem ser feitos, como os acionistas de uma empresa cotada, mas nos fundos que não é possível. O gestor descreve a sua maneira de investir, se gosta bem, e se não estiver lá, tem a porta.

Alguns investidores podem não concordar que a sua única alternativa é estar dentro ou fora, não para o lado, o que os levará a não delegar os seus ativos nesses produtos, e procurar aconselhamento financeiro ou carteiras administradas com maior impacto do participante no negócio. tomada de decisão.

10- Nem todos são transparentes

Os fundos devem fornecer informações aos investidores sobre a sua gestão e operação. Mas e se eles não o fizerem? E se essa informação não for informação relevante? Existem fundos mais opacos do que outros.

Alguns não atualizam os valores de liquidação diariamente (tenho visto atrasos de uma semana) e já não falamos de informações relevantes. Em algumas gestoras de fundos, não é fácil saber os movimentos que eles fizeram, bem como a opinião do gestor. Existe muita informação a ser fornecida, mas neste ponto algumas gestoras fogem do assunto. Isso pode gerar desconfiança nesse tipo de produto e ser um problema em momentos tensos de mercado.

Vale a pena investir em fundos de investimento?

Existem carteiras de fundos de investimento de alta qualidade. São produtos que são muito úteis e podem atender às necessidades dos investidores, mas na prática sempre surgem problemas. Tudo depende da importância de cada investidor para cada uma das vantagens e desvantagens referidas, e outras que foram deixadas no encanamento.

Na nossa opinião, há uma questão fundamental que devemos nos perguntar para determinar se é o nosso produto: Acha que é possível vencer o mercado?

Manual de Fundos de Investimento

Ler mais tarde - Preencha o formulário para guardar o artigo como PDF
Consent(Obrigatório)

Artigos Relacionados

Deixar uma Resposta

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments