Como fazer comparação de fundos de investimento? - Rankia Portugal
Entrar Criar conta
Acesso
Entrar em Rankia

Bem-vindo à sua comunidade financeira

Informe-se, debata, compartilhe experiências; aprenda sobre como economizar e investir. Faz parte da maior comunidade financeira, já somos mais de 750.000 desde 2003. Você se inscreve?

Como fazer comparação de fundos de investimento?

Subscrever Agora

Selecione os temas que lhe interessa e personalize a sua experiência no Rankia

Enviaremos uma Newsletter cada quinze dias com as novidades de cada categoría que escolheu


Quer receber notificações dos nossos eventos/webinars?


Como fazer comparação de fundos de investimento?

Como fazer comparação de fundos de investimento? Um fundo de investimento é um instrumento financeiro comparável a um grande cofrinho para onde convergem os recursos de pequenos e grandes poupadores. A gestão do “cofrinho” é confiada a uma sociedade gestora de investimentos que oferece a vantagem de um serviço profissional de investimento a todos os aforradores que, de outra forma, com pouco capital disponível ou sem as competências necessárias, não o poderiam pagar. Um gestor de fundo investe em vários tipos de ativos, como dinheiro, títulos, ações e imóveis. A decisão sobre o que comprar depende do objetivo de investimento do fundo.

Importância da Comparação de Fundos de Investimentos

Os fundos de investimento são instituições de intermediação financeira cujo objetivo é aplicar o capital levantado pelos poupadores. O objetivo é a criação de valor, através da gestão de um conjunto de ativos, para os gestores do fundo e para os poupadores que nele investiram.

Os fundos investem em diferentes tipos de ativos subjacentes, ajudando  a distribuir o risco de investimento. Se  investir num pequeno número de empresas comprando as suas ações, ficará inteiramente exposto aos destinos dessas organizações. Ao investir num fundo, no entanto, as suas economias são investidas em centenas de empresas, tornando-o menos dependente do sucesso ou fracasso de uma única empresa e criando um portfólio diversificado.

Fundos de ações

Os riscos associados às ações podem ser reduzidos a investir em fundos de ações. Um gerente seleciona uma variedade de ações de modo a reduzir a dependência do desempenho duma única empresa. Além disso, a escolha das empresas nas quais pretende investir fica ao critério do profissionalismo e experiência do gestor, que irá selecionar os títulos para os quais antevê as melhores perspetivas. A maioria dos fundos de ações se enquadra em uma das seguintes categorias:

  • Fundos orientados para o crescimento – o objetivo é o crescimento do capital a longo prazo. O gestor do fundo seleciona as empresas com melhor potencial em termos de valorização do preço das ações.
  • Fundos Orientados à Renda – que visam gerar renda atrativa para os investidores. O gestor seleciona as empresas que pagam dividendos regulares e cujo preço das ações tende a ser menos volátil do que as outras empresas.

Fundos de títulos

Investir um componente da sua carteira em fundos de obrigações pode ser uma boa maneira de obter maior diversificação e estabilidade. Os fundos de obrigações podem ser de diferentes tipos e variam conforme o tipo de obrigações em que investem: desde obrigações governamentais a obrigações empresariais; de títulos com vencimentos curtos para aqueles com vencimentos mais longos; desde obrigações emitidas em países desenvolvidos até às de países emergentes. Títulos são empréstimos contraídos por empresas (títulos corporativos) ou governos (títulos do governo) para levantar capital.

Na verdade, são declarações de crédito que prometem reembolsar o montante emprestado numa data definida e pagar uma taxa de juros fixa ao longo da duração do empréstimo. No geral, os títulos do governo são considerados mais seguros do que as ações, pois é um estado soberano que garante o seu pagamento. Os títulos corporativos, por outro lado, estão sujeitos ao risco de a empresa não ser capaz de honrar o seu empréstimo ou de não pagar os juros.

Fundos equilibrados e de alocação de ativos

Esta categoria é dividida em fundos balanceados tradicionais e fundos de alocação dinâmica de ativos (também chamados de fundos balanceados de nova geração). Enquanto os primeiros são caracterizados por uma carteira estática composta por ações, títulos e dinheiro, os últimos seguem uma estratégia de alocação de ativos dinâmica em que a composição dos fundos é regularmente otimizada temporalmente, de modo que os investimentos são sempre orientados para as classes de ativos que são mais provavelmente registará desempenhos positivos num determinado ponto do ciclo económico. Esta disciplina introduz duas outras classes de ativos com o objetivo de aumentar a diversificação e melhorar o desempenho: imóveis e commodities.

Dinheiro e fundos de liquidez

Esses fundos investem em títulos monetários de curto prazo para depositar o capital que pode ser necessário no curto prazo. A vantagem para o investidor pessoa física é a possibilidade de se beneficiar de taxas de juros mais altas, normalmente vedada a ele como poupador privado.

Fundos imobiliários

Os fundos imobiliários podem representar a solução ideal para quem pretende limitar o risco associado à compra de um único imóvel e reparti-lo por múltiplos ativos. Obviamente, sempre existe o risco de desaceleração do mercado imobiliário, embora alguns fundos reduzam esse fator de risco investindo em diferentes países ou em diferentes tipos de imóveis. A maioria dos fundos imobiliários concentra-se no ramo comercial, como escritórios, armazéns e lojas, mas alguns incluem também uma componente residencial. Via de regra, esses fundos distribuem receitas regulares, mas também oferecem a possibilidade de reinvesti-las para quem busca um crescimento de longo prazo.

Fundos imobiliários tradicionais

Os fundos imobiliários tradicionais investem diretamente no tijolo. O fundo trata da pesquisa imobiliária, negociações de compra e venda, pesquisa de inquilinos e manutenção predial. O retorno dos investidores consiste em quaisquer reavaliações das propriedades detidas pelo fundo, bem como uma componente de arrendamento. É importante notar que fundos imobiliários tradicionais podem ser difíceis de vender, por isso nem sempre é possível fazer investimentos quando necessário. Suas instruções de venda podem atrasar ou restringir os saques. Além disso, o valor de uma propriedade é o resultado de julgamentos subjetivos e não de cálculos objetivos.

Fundos de empresas imobiliárias

Existem também fundos como o Fidelity Funds Global Property Fund, que investem em ações de empresas imobiliárias, como empresas de construção, cadeias de hotéis, construtoras e proprietários de unidades comerciais. Os investidores estão lucrando com o aumento das ações. Além disso, eles podem receber rendimentos na forma de dividendos pagos sobre as suas ações. Um fundo imobiliário global pode deter ações de empresas conhecidas como REITs (Real Estate Investment Trust). Os REITs (introduzidos na Itália com a sigla SIIQ – Listed Real Estate Investment Companies) estão listados na bolsa de valores e suas ações refletem o valor das propriedades detidas. Em troca das isenções fiscais concedidas a eles, os REITs devem transferir uma grande parte da receita de aluguel para os investidores (até 100% em alguns mercados).

Como fazer comparação de fundos de investimento?

Para comparar fundos mútuos, precisa ter vários objetivos em vista. O primeiro é a comparação de desempenho das diferentes empresas que escolheu. Isso significa observar como a empresa resistiu aos altos e baixos do mercado de ações em busca de danos.

  1. Faça uma comparação com o mercado de referência e com produtos semelhantes.
  2.  Avalie a continuidade da gestão.
  3. Analisar os índices de eficiência do fundo de investimento.
  4. Avalie os dados coletados.
  5. Conclusões.

Dicas para fazer comparação de fundos

Existem vários fundos de investimento que podem valer a pena examinar. Ao fazer esse tipo de pesquisa, é melhor escolher alguns fundos de investimento diferentes. Para comparar fundos, precisa ter vários objetivos em vista. O primeiro é a comparação de desempenho das diferentes empresas que escolheu. Isso significa observar como a empresa resistiu aos altos e baixos do mercado de ações por vários anos. Embora isso não indique sucesso futuro, permite que saiba se a empresa de fundo mútuo está à altura do trabalho. Pode encontrar gráficos históricos de preços de fundos e tabelas dos seus retornos de 1, 3 ou 5 anos na web e em vários guias do mercado financeiro. Também precisará ver quais tipos de despesas existem para os diferentes fundos mútuos, pois eles variam para cada empresa de fundo mútuo. Esses custos incluem custos administrativos, custos de publicidade, compra e venda de ações e títulos e também taxas de administração. Como a maioria desses custos são arcados pelo cliente, é melhor pesquisar essas informações a fundo.

Artigos Relacionados

Deixar uma Resposta

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments