Como investir em fundos de investimento

investir em fundos de investimento

Como investir em fundos de investimento? Os fundos de investimento podem ser uma alternativa atrativa para investir em diferentes mercados financeiros, embora possa ser difícil escolher o fundo de investimento que melhor se adequa aos seus objetivos.

Como investir em fundos de investimento

Maneiras de investir

No mundo financeiro, existem várias maneiras para ter os nossos investimentos para além do tradicional fundo de investimento. Podemos ter em Unit Linked ou PPR (em formato seguro) que nos vai permitir uma vantagem fiscal, podemos ter em fundo de pensões (só se pode resgatar no momento da reforma), SICAV ou produtos de estruturados. Temos mais recentemente no mundo financeiro os ETFs, sendo fundos/índices, mas estão cotados como se fosse uma ação.

Cada um deles tem a sua finalidade (investimento puro, poupança a longo prazo, obter vantagens fincais, entre outros) e a escolha de cada um deles deve ser analisada.

Porquê investir em fundos de investimento?

Por muito conhecimento que tenhamos adquirido e quantos livros de Warren Buffett tenhamos lido, é difícil vencer o mercado sem uma dedicação completa e ser capaz de o combinar com as nossas obrigações diárias. Neste caso, pode ser mais fácil dedicar algum tempo à investigação dos diferentes tipos de fundos e, dependendo da nossa filosofia de investimento, escolher um destes: valor, crescimento, dinamismo?

Se virmos o que o mercado de fundos de investimento geridos ativamente tem para oferecer, é difícil para qualquer um ficar insatisfeito. Pode escolher por distribuição geográfica, sector ou dimensão das empresas e aceder a carteiras diversificadas que seriam muito mais complexas e dispendiosas individualmente. Em sites como o Morningstar ou Citywire pode descobrir quantos fundos estão disponíveis e como os seus gestores são classificados.

Outra razão importante são as vantagens fiscais que oferecem, com a facilidade de transferir de um fundo para outro sem ter de pagar impostos e poder deixá-lo como herança aos nossos filhos, aumentando ao máximo o poder dos juros compostos.

Como analisar um investimento

Como sou um Português e gosto de futebol, tenho 7 mandamentos quando escolho um fundo de investimento:

1.     Rating do fundo – Existem vários sítios onde podemos saber as notações do fundo de investimento. Um dos principais pode ser através da mornigstar

2.     Comissões do fundo – há diversos tipos de comissões, como a comissão de estrada e/ou saída, comissão de gestão e poderá ter uma comissão de desempenho

3.     Gestão ativa ou passiva – um fundo com gestão ativa é um fundo que tem uma gestão mais dinâmica, com operações constantes. Um fundo com gestão passiva não tem operações na sua gestão, apenas deixa os seus ativos “rolar”

4.     Sector e gestão do fundo – o que o fundo pode investir, o tipo de ativos e a política de investimento.

5.     Desempenho e rácios técnicos de risco:

  • Alpha: é usado em finanças como medida de desempenho. A Alpha, muitas vezes considerado o retorno ativo de um investimento, mede o desempenho de um investimento em relação a um índice de mercado ou referência que é considerado como representando o movimento do mercado como um todo. O excesso de retorno de um investimento em relação ao retorno de um índice de referência é o alfa do investimento.
  • Beta: é uma medida da volatilidade, ou risco sistemático, de um título ou carteira em comparação com o mercado como um todo. Beta é usado no modelo de avaliação de ativos de capital (CAPM), que calcula o retorno esperado de um ativo com base em seu beta e nos retornos de mercado esperados.
  • Volatilidade: é uma medida estatística da dispersão de retornos para um determinado título ou índice de mercado. A volatilidade pode ser medida a usar o desvio padrão ou a variação entre os retornos desse mesmo índice de segurança, ou de mercado. Comummente, quanto maior a volatilidade, maior a segurança.
  • Índice de sharpe: Avalia a relação risco / rentabilidade. Permite comparar os diversos fundos para determinar o mais eficiente.
  • R-Squared: é uma medida estatística que representa a percentagem de um fundo ou movimentos do título que pode ser explicada por movimentos num índice de referência. Por exemplo, um R-Squared para um fundo de obrigações versus o Barclays Aggregate Index identifica a proporção de variação do fundo que é previsível a partir da variação do Barclays Aggregate Index. O mesmo pode ser aplicado a um fundo de ações em comparação ao Standard and Poor’s 500 ou a qualquer outro índice relevante.

6.     Comentários: Os comentários de especialistas e media sobre a performance e as projeções do fundo devem ser considerados na nossa análise

7.     Diversificação: Um bom fundo de investimento deve ser bem diversificado para não colocar muito risco num só emitente.

Como investir?

Uma vez esclarecido qual o fundo de investimento que melhor se adapta às nossas necessidades, a melhor forma de investir é através de contribuições regulares. Desta forma, quando o mercado descer, compraremos muito mais ações, beneficiando muito mais nas subidas subsequentes. Além disso, eliminaremos o efeito do momento da entrada, algo que será útil para os investidores menos experientes.

 

Manual de Fundos de Investimento

Sobre o autor

Rankia

Responder a este tópico

Bem-vindo(a) à comunidade!

Selecione os temas que lhe interessa e personalize a sua experiência no Rankia

Enviaremos uma Newsletter cada quinze dias com as novidades de cada categoría que escolheu


Quer receber notificações dos nossos eventos/webinars?


Ao continuar, aceita a política de privacidade