O ambiente familiar influencia a qualidade de um gestor?

Ao tomar decisões financeiras, os investidores frequentemente delegam a consultores ou gestores profissionais. Portanto, é vital que eles sejam capazes de identificar os mais capazes para gerir os seus ativos. Mas, quais são os aspectos influenciam a qualidade de um gestor?

Oleg Chuprinin, da Universidade de New South Wales, e Denis Sosyura, da Universidade de Michigan, conduziram um estudo analisando a influência da ascendência familiar na qualidade da gestão. Para isso, foram recolhidos e analisados dados individualmente sobre a riqueza e os rendimentos dos pais dos gestores.

Como regra geral, os gestores de fundos vêm de famílias mais abastadas do que a média. O rendimento familiar média em que um gestor de recursos cresce é 154% superior à média de seus respectivos países. Da mesma forma, dentro do próprio grupo, há uma grande dispersão em termos de riqueza familiar. Enquanto o quartil superior dos gestores classificou a riqueza dos pais como “ultra-ricos” com uma renda média no percentil 99 em todo o país, o quartil mais baixo vem de famílias com rendimentos abaixo da média nacional, percentil 42.

Como regra geral, gestores de familiares mais ricas conseguem estudar em universidades melhores, enquanto os de famílias mais humildes tendem a estudar pós-graduações.

Bem, a principal conclusão do estudo é que os gestores de famílias mais ricas obtêm um desempenho significativamente menor do que aqueles de famílias menos ricas.

Por que essa lacuna ocorre? Para entender por que as diferenças ocorrem, primeiro, duas das fontes de rentabilidade na administração de um fundo são analisadas: esforço e capacidade.

Em referência ao primeiro, eles referem que os gestores de famílias menos ricas se esforçam mais porque obtêm maior utilidade marginal para o pagamento de incentivos por resultados. Estes são mais ativos no trabalho, realizam operações com mais frequência e têm objetivos claros no horizonte. Por exemplo, se passarmos de um quartil para o próximo património familiar mais baixo, o volume de negócios do fundo aumenta em 4,5%.

Com relação ao segundo, refere o estudo, os gestores das famílias mais pobres têm uma capacidade inata maior, pois somente aqueles com maiores capacidades poderão superar as barreiras à entrada no setor.

Se observarmos os dois fatores, descobriremos que a diferença de desempenho entre os gestores de diferentes tipos de famílias é encontrada na Security Selection. Como no caso anterior, se descermos para o quartil inferior de acordo com a riqueza, esse fator melhora em 39%.

Em relação ao Market Timing, não foram encontradas diferenças significativas. Embora seja um fator que, a longo prazo, tem pouca influência no desempenho de uma carteira, como vimos no artigo sobre sua importância.

Então há uma pergunta a responder e isto é, o que condiciona essas diferenças?

Geralmente, no estudo, eles descobriram que os gestores com ascendência mais rica enfrentam menos procura para progredir profissionalmente. É provável que aumentem por razões não relacionadas ao seu desempenho, enquanto os mais pobres dependem muito de seu desempenho.

Em conclusão, uma vez analisada a relação entre o histórico familiar dos gestores dos fundos e seus resultados profissionais, fica evidente que os gestores das famílias mais abastadas conseguem gerar retornos ajustados pelo risco menores do que os de origem mais humilde. Uma família de grande poder aquisitivo pode ser uma influência quando se trata de superar barreiras à entrada na indústria, de modo que gestores menos talentosos enfrentam barreiras menores à entrada.

Além disso, as promoções e demissões dos gestores, condicionadas por objetivos, não são as mesmas para todos. Foi demonstrado que os gestores mais pobres são mais condicionados ao seu track record (histórico).

Portanto, é claro que ao selecionar um fundo de investimento, é importante focar a atenção no gestor também, e conhecer suas informações biográficas pode nos ajudar a incluir este critério que, como vimos, é mais relevante do que o que poderia parecer a priori.

Se quiser aprender mais sobre Fundos de Investimento, pode fazer download do nosso manual de gratuitamentemanual fundos
0

Sobre o autor

Filipe Silva

Conteúdo – Rankia Portugal

Responder a este tópico

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *