Vantagens e desvantagens dos fundos de investimento

ventagens e desventagens dos fundos

Os fundos são um veículo de investimento com uma série de vantagens e desvantagens que o investidor deve saber. Os fundos podem ser o produto ideal para um perfil de investidor e um, que não cubra a necessidade de outros. Portanto, é essencial conhecer bem os seus principais pontos fortes e fracos para determinar se ele se encaixa no que precisamos. A seguir, pode encontrar os principais vantagens e desvantagens dos fundos de investimento:

Fundos de investimento

Vantagens

Desvantagens

  1. Gestão Professional
  2. Tempo
  3. Rastreamento fácil
  4. Fiscalidade favorável
  5. Todos os tipos de estratégias dentro do nosso alcance
  6. Transparência e segurança
  7. Baixas Barreras à entrada
  8. Diversificação
  9. Acceso a renda fixa
  10. Acesso a mercados exóticos
  1. Custos
  2. Movimentos de pensalidade
  3. Confiança na empresa de gestão
  4. Fundos de ativos falsos
  5. Substitutos a um curto inferior
  6. Tempo for de mercado entre transferências
  7. Superar os seus índices
  8. Não gere pessoalmente os investimentos
  9. Não ter “voz” na gestão
  10. Nem todos são transparentes

Vantagens dos fundos de investimento

1- Gestão Professional

É gerido por uma equipe de profissionais qualificados, com conhecimento e experiência no setor, por isso é assumido que irá agregar valor que será refletido como um aumento nos retornos esperados pelo mercado, quer em termos de proteção de capital. Acessar um fundo dá-nos a certeza de que existe toda uma equipe por trás que garanta os nossos interesses. Raramente um investidor particular poderia dedicar uma disponibilidade total de tempo para manter o controle de seus investimentos chegando a conclusões eficientes, algo que fazem fundos de investimento.

2- Tempo

Se um investidor compra ações, o mesmo deve monitorar cada um desses valores, realizando as suas análises e conclusões através de uma análise aprofundada, algo que consome o nosso bem mais precioso, o tempo. Com um fundo de investimento, podemos “delegar” a carteira com bastante mais facilidade do que com uma carteira de títulos, o que irá economizar muito tempo, esforço e análise operacional. Muitos investidores não valorizam esse fator, mas apesar de acharmos que vamos obter retornos mais baixos com esses produtos, o nosso tempo tem o seu preço.

3- Rastreamento fácil

Os fundos atualizam diariamente os seus resultados líquidos por isso é fácil saber o valor real de qualquer das nossas posições assim como o seu comportamento. Além disso, nas folhas de avaliação de fundos temos uma infinidade de rácios já calculados que nos irão facilitar essa tarefa. Isto dá garantias aos investidores, uma vez que depois de algum sucesso no mercado podemos saber um tempo depois do fecho do mesmo o valor efetivo do nosso investimento.

4- Fiscalidade favorável

Uma das vantagens é a tributação, permitindo o pagamento atrasado de ganhos de capital até o momento da venda.

5- Todos os tipos de estratégias dentro do nosso alcance

Existem fundos para todos os gostos. Há uma abundância de estratégias nos fundos de investimento, e qualquer estratégia que nos possa ocorrer, se funcionar, é possivel haver um fundo para a mesma. Temos também estratégias pouco convencionais, como os mercados neutros, multe estratégia, ou os típicos fundos de valor. Toda essas gamas de possibilidades permitem-nos rodar qualquer estratégia baseada em timing de mercado, ou os nossos gostos pessoais. Estas estratégias são definidas na política de investimento, que deve respeitar a sociedade gestora de fundos e vai fazer a filosofia de investimento, bem como uma série de pontos-chave que o gestor do fundo deve obedecer

6- Transparência e segurança

Atualmente existe a dúvida sobre a solvência e a confiabilidade de muitos corretores, especialmente naqueles especializada em derivados, com domínios fora da Portugal. Em vez disso, o fundo de investimento não tem esse problema porque já que os reguladores de cada país impõem uma grande quantidade de requisitos para criar um fundo, par além de um controle constante sobre os mesmos. Alguns investidores, por desconhecimento, temem que as suas poupanças possam desaparecer de repente se, se inscreverem num fundo, e isso é algo que não pode acontecer, porque o regulamento impõe muitas barreiras, como a diferença entre a sociedade gestora e depositária, bem como a presença de um regulador.

7- Baixas barreiras à entrada

Os fundos de investimento requerem um baixo investimento inicial, visto que se compõe com participações de baixo valor, para assim facilitarem a entrada do fundo por novos investidores. Ao entrar num fundo, devemos adquirir um mínimo, que seja equivalente ao valor do ativo líquido do fundo. Este valor é geralmente muito baixo, o que permite a entrada a todos os tipos de investidores, o que significa que não há barreiras à entrada. Nos fundos especializados existem critérios mínimos de capital, mas a maioria dos fundos não. Se houver, o mais comum é ser uma aposta mínima de € 1000

8- Diversificação

Estes fundos devem atender a critérios de gestão de riscos, que os leva a fazer uma diversificação eficiente. Os fundos devem dividir seus bens entre os vários investimentos, protegendo o investidor de possíveis erros na seleção de ativos pela empresa de gestão. Isto irá reduzir o risco assumido pelo participante. Além do mais. para o participante seria impossível comprar a mesma carteira que o fundo a titulo pessoal devido  às elevadas comissões de compra e venda, pelo contrário o fundo ao ter um grande património pode fazê-lo a um custo reduzido.

9- Acesso de renda fixa

Para muitos investidores, é difícil ter acesso aos produtos de renda fixa, o capital mínimo exigido, ou simplesmente por não saber como. Portanto, se queremos investir em renda fixa, fazê-lo por um fundo de investimento é uma boa alternativa, porque podemos aceder a muitos títulos e obrigações que não estão disponíveis para os investidores individuais por causa de seu alto capital mínimo.

10- Acesso a mercados exóticos

É cada vez mais fácil aceder aos mercados exóticos, mas há muitos investidores que por ignorância ou desconfiança não dão o passo. Os fundos de investimento colocam-nos ao alcance quaisquer mercados que possamos imaginar. Desde renda fixa variável russa, a dívida de alto rendimento de algum país asiático. Os fundos de investimento dão-nos nova gama de possibilidades que podem ajudar os investidores para complementar as estratégias usuais nos mercados.

Desvantagens dos fundos de investimento

1- Custos

Um fundo de investimento tem diferentes custos a contemplar. É verdade que os custos não são “pagos” pelo investidor, porque eles estão incluídos no desempenho final do fundo, mas a longo prazo é contabilizado. Há uma abundância de estudos acadêmicos sobre o assunto, e todos concluem que há fundos que cobram comissões excessivas, maior do que o valor que é capaz de criar o gerente. Devemos avaliar bem os custos finais do fundo mediante as despesas correntes, e tentar selecionar os que têm menos comissões.

2- Movimentos de penalidade

Alguns fundos têm custos de subscrição e vendas são poucos, mas existem. Estes custos podem ser elevados, dado que são em função do património que temos subscrito. Os gestores de fundos justificam-se dizendo que o propósito dos fundos é canalizar poupança de longo prazo, que não é um produto para negociação. Há que estudar bem antes de entrar num fundo de forma a garantir que não tenham altas comissões e redenção, ou podemos ficar em choque na hora de sair do fundo.

3 Confiança na empresa de gestão

Este é um ponto chave. Devemos determinar se queremos confiar o nosso dinheiro a uma empresa de gestão e que a mesma tome as decisões que considere adequadas. O problema é que o público em geral confia apenas na banca tradicional e pese embora, tenham bons produtos, os bancos de investimento têm geralmente as melhores alternativas. Há muitas pequenas gestoras com tradição e experiência que têm recursos excelentes, mas não têm nome, e por essa razão muitos investidores duvidam e não aplicam o seu dinheiro. Há que dizer que não se deve deixar influenciar pela “marca” do fundo, deve abrir a mente para mais empresas de gestão

4- Fundos de ativos falsos

É uma sombra que paira sobre a indústria de gestão de ativos. O que fazem na realidade os gestores? Esta é uma pergunta que, infelizmente, é difícil de responder. Aparecem cada vez mais fundos que cobram taxas elevadíssimas aos detentores enquanto seguem o índice sem fazer nada. Este é um dos maiores riscos a que está exposto o investidor comum, falsa gestão ativa. Existem razões como o Tracking Error e a sua relação com as comissões que nos dizem e ajudam a saber como explicamos com o Ratio Value.Portanto, devemos analisar bem o fundo antes de entrar, porque se cairmos nas garras de um desses fundos custar-nos-á uma oportunidade enorme.

5- Substitutos a um custo inferior

A forte aparição dos ETF foi um duro golpe para a indústria de fundos. ETFs são produtos de investimento que visam replicar um índice a um custo muito baixo, o que os torna um substituto quase perfeito para os fundos de investimento de gestão passiva. Portanto, se não confiar na capacidade dos gestores para bater o mercado, e concluiu que a gestão passiva é a melhor alternativa a longo prazo, os ETFs podem ser uma alternativa razoável para fundos de investimento. Mesmo para gestão ativa, se bem feito.

6- Tempo fora de mercado entre transferências

É fácil fazer transferências entre fundos sem custos em muitos casos e não pagar ganhos de capital, mas não é automático. Se fizermos uma ordem de transferência, o nosso dinheiro permanece no limbo por um período indefinido. Em primeiro lugar deve fazer o reembolso do fundo que assinaram depois, o nosso corretor deve buscar a ordem para o novo destino/fundo alvo, e finalmente o fundo alvo deve processá-lo até que tenhamos o novo fundo na conta. Este período é muito variável, dependendo principalmente da agilidade dos fundos, em que alguns casos, é nula. Se for um investidor que se encontra fora do mercado por razões que lhe são alheias, uma transferência de fundos pode ser muito frustrante.

7- Superar os seus índices

Rentabilidade é o motor da maior parte das decisões de investimento. Existe uma dúvida razoável sobre se os fundos como um todo serão capazes de vencer o mercado. Há muita literatura sobre o assunto, altamente distorcida, dependendo do remetente (todo mundo olha para seu lado), de modo que a conclusão final deve ser feita pelo investidor. Há rácios e indicadores para tentar descobrir se um fundo que tenha batido o mercado se o pode continuar a fazê-lo, mas é difícil. Além disso a longo prazo, muitos gerentes tendem a dar retornos, na melhor das hipóteses, iguais aos índices. Há fundos que superaram os índices, mas seremos capazes de encontrá-los?

8- Não gere pessoalmente investimentos

Estamos nós a investir? Muitos investidores consideram que subscrever um fundo de investimento não é investir. Comprar e vender, decidir se deve sair de um mercado ou do outro, é a sensação que com os fundos não pode ter. Podemos mover-nos e ponderar uns e outros em função das nossas expectativas, mas não é o mesmo. Há investidores que querem delegar a gestão dos seus ativos, e ter total controle do seu dinheiro, e isso é algo que os fundos de investimento não lhe podem dar

9- Não ter “voz” na gestão

Existem inúmeros estilos de investimento diferentes, mas nos fundos o participante não tem voz. Se comprar um negócio, como um restaurante, você tem opinião sobre os investimentos a serem realizados como os acionistas de uma lista, mas nos fundos isto não é possível. O gerente descreve a sua maneira de investir, se gosta muito bom, e se não há a porta. Alguns investidores podem não concordar que a sua única alternativa seja estar dentro ou fora, e não ao lado, o que os leva a não delegar os seus ativos em certos produtos, e procurar aconselhamento financeiro ou carteiras geridas com maior impacto do participante na tomada de decisão

10- Nem todos são transparentes

Os fundos devem fornecer informações aos participantes sobre a sua gestão e operacionalidade. Mas e se não a dão? E se essa informação não é informação relevante? Há fundos mais opacos do que outros. Alguns não atualizam os valores líquidos diariamente (eu vi atrasos de uma semana), e não falamos de informações relevantes. Não é fácil saber os movimentos que alguns gestores fizeram, assim como a sua opinião. É como ser um participante “clinex” muita informação, se quiser subscrever, mas quando está dentro se viu eu não me lembro. Esta situação pode gerar desconfiança nestes produtos e ser um problema em momentos tensos de mercado.

Conclusão

Depende. Não há mais. Há carteiras de fundos de alta qualidade. Estes produtos são muito úteis e podem satisfazer as necessidades dos investidores, mas é na prática que se vêm os problemas. Tudo depende da importância que cada investidor para cada uma das vantagens e inconvenientes mencionados e outros que foram deixados de fora.

Na minha opinião há uma questão chave que devemos colocar para determinar se é o nosso produto: Você acha que é possível bater o mercado?

Se quiser aprender mais sobre Fundos de Investimento, pode fazer download do nosso manual de gratuitamentemanual fundos
+1

Sobre o autor

Filipe Silva

Conteúdo – Rankia Portugal

Responder a este tópico