Guia prático para comprar uma casa

comprar uma casa

Neste artigo vamos apresentar um guia indicando os pontos-chave da comprar de uma casa. Cada compra-venda é um mundo e vamos expor aqui os pontos-chave da compra-venda de uma casa, que não têm que coincidir com todos os casos (diferente percentual de avaliação, tributação diferente, prazo diferente, características diferentes andar pessoal, novo ou em segunda mão, etc.)

1.- Encontre um andar ao seu gosto:

Aqui não podemos ajudar, deve ser decisão sua, pesquisar muitas casas, perguntar a muitos agentes imobiliários, lidar com muitos consultores imobiliários , etc.

2.- Formalizar o contrato promessa compra e venda

O contrato de promessa compra e venda, razão pela qual o comprador e o vendedor são obrigados a comprar e vender, respectivamente, a propriedade, neste contrato é fixado tanto a entrega inicial (como um sinal), como o preço final e prazo de validade do referido contrato.

3.- Escolha o tipo de crédito habitação que lhe mais dá jeito

Neste ponto deve encontrar a melhor propostas que lhe mais convém, como por exemplo a melhor taxa de juro, comissões, tipo de taxa de juro e o melhor banco para ser parceiro.

4.-Avalie a casa

Seguir o conselho de um “especialista” faz perder muito tempo, ao avaliar através de uma instituição financeira, intenção em negociar com muitos bancos. Se a sua intenção é negociar com diferentes bancos, avalie-se por conta própria, certificando-se de que os bancos com os quais vai negociar leve este avaliador, uma vez que tenha a avaliação.

5.- Negociar as condições

Sem dúvida, a coisa mais importante, pode pedir uma oferta inicial que servirá para eliminar 3 ou 4 entidades, com as negociações restantes até que obtenha algumas condições que se adequem ao que está à sua procura. Não olhe apenas para o diferencial (se for para variável), as comissões são importantes. Cuidado com os links, uma oferta muito boa que leva um seguro de vida associado, pode ser pior do que outro.

6. Peça a provisão de despesas

Deve incluir, Impostos, Taxas de Notário, Despesas Administrativas, Imposto sobre atos legais documentados, etc. Pedir que seja o mais apertado possível, instituições financeiras, pagar (no seu nome) impostos dependendo do risco que eles assumem, existem entidades que fornecem esse risco em 140% (o mais “económico”) outros em 200% , essa diferença faz com que a provisão de despesas em uma entidade ou outra seja muito diferente, tenha isso em mente.

7.- Escolha a melhor oferta

A partir deste momento simplesmente tem que deixar-se ir, o seu gestor na entidade será encarregado de entrar em contato com o notário, a agência, etc.

8.- Solicite uma cópia do contrato do crédito habitação

E também pedir para rever com o seu gestor, fazer todas as perguntas que tem, acho que esse contrato vai ligar ao banco por 35 anos então tem que ter muito clareza sobre o que assina.

9.- Assinatura em cartório notarial

As pessoas dão muita importância, neste ato o notário lerá duas ações, a compra e o crédito habitação. A venda da compra é padrão, então não pode afetá-la, o crédito habitação tem que ser a mesma que leu com o seu gestor (ponto 8), levar uma cópia ao notário e pontuar o que o notário ler, verificar que não há cláusula diferente para aqueles que conhecia. Por outro lado, e sempre que comprar um chão de segunda mão, peça ao vendedor os últimos recibos (eletricidade, água, gás, contribuição e comunidade) e verifique se eles são pagos. Peça também que eu lhe dê as chaves do apartamento. Neste ato deve ter o seguro de incêndio obrigatório em favor do banco, no entanto, após 15 dias tem para formalizar este seguro,

10.- Desfrute do a sua casa

Em alguns dias (ou semanas, depende do notário) terá sua cópia simples da escritura e terá uma casa, que por ser o assunto é ser feliz.

 

Sobre o autor

Henrique Garcia
Analista de Mercados