McDonald’s: Buy the rumour, sell the fact exagerado cria oportunidade de entrada

A McDonald’s Corp dispensa introduções, sendo a maior cadeia de fast-food do mundo, conhecida maioritariamente pela sua oferta no segmento de hambúrgueres. O modelo de negócio da McDonald’s é decomposto em restaurantes próprios e franchises, com a última modalidade a representar 92% das localizações da cadeia. A McDonald’s está presente em mais de 100 países, com o mercado doméstico a representar 35% das receitas de 2017. A empresa negoceia na bolsa de Nova Iorque com uma capitalização bolsista de USD 123 mil mi. A McDonald’s é uma das empresas na lista de aristrocratas de dividendos, que incluiu empresas que aumentaram dividendos em anos consecutivos.

Racional

  • Reestruturação bem sucedida: O presidente executivo em funções da McDonald’s, Steve Easterbrook, encetou uma reestruturação das operações a partir de 2015, com elevado sucesso. A reestruturação, que ainda está a ser aplicada, tem como objectivo, entre outros, reduzir a exposição da McDonald’s a lojas próprias e aumentar a % de franchises (o objectivo e 95% das localizações operarem sobre este formato) e incrementar a digitalização das operações da empresa.
  • Buy the Rumour and Sell the Fact: A McDonald’s foi expressivamente penalizada após a divulgação de resultados, num movimento de buy the rumour, sell the fact pelo mercado, que descontou a solidez destes (o tráfego aumentou pela primeira vez nos últimos 5 anos) e os efeitos positivos da reforma fiscal nestes.
  • The best is yet to come: A introdução do Menu $1 $2 $3, entregas de comida, actualização das lojas Experimenta o Futuro (com um maior foco na experiência digital), e a reintrodução do McCafe, deverão sustentar o crescimento na quota de mercado da empresa.
  • Corte Adicional de Custos: A McDonald’s pretende obter poupanças adicionais de 5% a 10% de custos administrativos anuais, o equivalente a USD 120 mi – USD 140 mi, até ao final de 2019. A empresa já cortou, até 2017, USD 500 mi de despesas administrativas. Este corte adicional nas despesas administrativas permitirá que a rubrica atinja (segundo estimativas da empresa) USD 1,8 mil mi – USD 1,9 mil mi em 2019, representando menos de 2% das receitas consolidadas (vs. aproximadamente 10% em 2016).
  • Perspectivas futuras de crescimento: A equipa de gestão da McDonald’s definiu como objectivos futuros um crescimento de vendas globais entre 3% a 5%, margens de EBITDA de cerca de 45% e um crescimento de um dígito em nível médio a alto nos lucros por acção.
  • Avaliação fundamental a prémio face à média histórica mas a desconto face aos congéneres: A McDonald’s apresenta um perfil de múltiplos de enterprise value que encontram-se acima da média histórica dos últimos 5 anos. Tal prémio é justificável pelo sucesso do processo de reestruturação da empresa e as perspectivas futuras positivas. Face aos principais concorrentes do segmento, a McDonald’s no entanto, negoceia com um perfil de múltiplos a desconto (com a excepção do múltiplo de EV/Sales), não obstante a sua posição dominante no segmento de fast-food. A McDonald’s também apresenta uma estrutura operacional mais eficiente, com margens de EBITDA e resultado líquido acima da maioria dos congéneres, beneficiando em grande parte das superiores economias de escala que a sua dimensão proporciona.

  • Riscos: A McDonald’s opera numa esfera global (+100 países) pelo que poderá ser penalizada por retaliação de alguns países no evento de uma guerra comercial em seguimento das tarifas colocadas pelos EUA. As mudanças nos hábitos alimentares dos consumidores – cada vez mais preocupados com nutrição e saúde – reflectem uma disparidade entre a oferta da McDonald’s e a procura dos consumidores. A empresa tem respondido a este enquadramento introduzindo alternativas saudáveis ao seu menu.

Acede a toda a informação de McDonald´s elebaborada por Big Research

Este documento foi preparado exclusivamente para fins informativos, baseando-se em informações disponíveis para o público em geral e recolhida de fontes Research consideradas de confiança. O BIG não assume qualquer responsabilidade pela correcção integral da informação disponibilizada, nem deve entender-se nada do aqui constante como indicador de que quaisquer resultados serão alcançados. Chama-se particularmente a atenção para o facto de que os resultados previstos são susceptíveis de alteração em função de modificações que se venham a verificar nos pressupostos que serviram de base à informação agora disponibilidade. Adverte-se igualmente que o comportamento anterior de qualquer valor mobiliário não é indicativo de manutenção de comportamento idêntico no futuro, bem como que o preço de quaisquer valores pode ser alterado sem qualquer aviso prévio. O BIG poderá disponibilizar informação adicional, caso tal lhe seja expressamente solicitado. Este documento não consubstancia uma proposta de venda, nem uma solicitação de compra para a subscrição de quaisquer valores mobiliários.

Sobre o autor

BiG Research

    Melhores corretoras de Bolsa em Portugal

    Melhores corretoras de Bolsa em Portugal

    Estas são as comissões que nos cobraram em 2017 as principais corretoras de bolsa do mercado português.  A melhor corretora para um investidor não tem que ser a melhor “broker” para outro. O...