Os lucros de CTT caem 44%

Os Correios de Portugal (CTT) obtiveram um resultado líquido consolidado atribuível a acionistas dos CTT de 17,7 milhões de euros, valor 44% abaixo do atingido no primeiro semestre de 2016.

EBITDA e Resultado Líquido recorrentes decrescem 15,8% (-9,8 M€) e 22,8% (-7,8 M€), respetivamente, essencialmente como consequência da perda das receitas da Altice (5 M€), da queda do tráfego de correio endereçado, superior à estimada, da aquisição da Transporta com as respetivas integração e reestruturação atualmente em curso e a contribuir negativamente para os resultados e da fase de evolução do Banco CTT ainda com impacto negativo nas contas consolidadas.

Segundo a opinião da companhia “Os resultados do primeiro semestre de 2017 evidenciam a forte aposta nas alavancas de crescimento, Expresso e Encomendas e Serviços Financeiros/Banco CTT como componente chave da estratégia implementada para alcançar o crescimento dos rendimentos consolidados dos CTT”.

A apresentação de resultados foi não bem recibida pelo mercado, baixando as acções um 3%.

CTT: Perspetivas futuras

Segundo a publicação na CMVM “Os CTT encontram-se a analisar oportunidades de crescimento não orgânicas para consolidar as suas áreas de negócio de aposta em termos de crescimento futuro. A concretização destas oportunidades poderá potenciar o acelerar do crescimento anteriormente referido e maximizar ainda mais as economias de escala e de gama do Grupo”

Sobre o autor

Fabio Rodrigues

    Onde Investir com Bolsonaro na Presidência

    Onde Investir com Bolsonaro na Presidência

    O Plano O economista de Jair Bolsonaro é Paulo Guedes, um conhecido liberal e ex-banqueiro que desenhou o plano de governação focado em reformas e privatizações. O "Tripé" O programa...