A importância de ter Fundo de Emergência

fundo de emergência

Tendo em conta a situação que vivemos atualmente, em plena crise pandémica, muitas pessoas viram reduzidos os seus rendimentos e muitos passaram e estão a passar por dificuldades financeiras, pois embora tenha havido uma redução dos seus rendimentos, as despesas mantiveram-se praticamente inalteradas. Para evitar que tais dificuldades em tempos de crise, é fundamental a criação de um fundo de emergência.

O que é um fundo de emergência?

Um fundo de emergência é um dos conceitos mais importantes das finanças pessoais pois é a base para o caminho rumo à liberdade financeira. Deste modo, o fundo de emergência consiste numa poupança que devemos fazer para colocar de parte algum dinheiro para ficar de reserva para situações de verdadeira necessidade e emergência.

Onde deve de ser colocado o dinheiro do fundo de emergência?

O dinheiro poupado que é destinado para o fundo de emergência deve de ser colocado num local com elevada liquidez, ou seja, numa conta em que, em caso de necessidade, seja rápida a sua movimentação, como é exemplo uma conta de depósitos a prazo.

Quanto dinheiro deve ter um fundo de emergência?

O fundo de emergência não tem nenhum valor mínimo obrigatório e varia consoante a pessoa. O valor recomendado para um fundo de emergência deve de ser o suficiente para que uma pessoa consiga viver sem qualquer outro rendimento durante um ano. A título de exemplo, imagine-se uma pessoa que tenha um total de despesas mensais no valor de 600€ para viver confortavelmente, sendo assim esta pessoa deve de ter um fundo de emergência no valor de 7.200€ (600€ x 12 meses), pois se lhe faltar o salário ou se for despedido, por alguma razão externa, durante o período de um ano consegue viver normalmente, dando assim tempo suficiente até encontrar outro emprego e voltar a receber um salário.

Quando se deve começar a “construir” o fundo de emergência?

Não existe uma altura especifica para dar início à “construção” do fundo de emergência, mas este deve de ser visto como a primeira coisa a fazer ao nível das finanças pessoais, por isso quanto mais cedo melhor.

Como começar a poupar para o fundo de emergência?

Para começar a construir o fundo de emergência é necessário poupar, ou seja, colocar de parte algum do dinheiro do salário recebido para que não seja gasto, mas sim armazenado. Para fazer tal poupança não existe um valor fixo que deve de ser poupado, porque este varia consoante os rendimentos da pessoa, mas existe sim uma percentagem do salário, em que é recomendado que 10% do salário seja destinado para o fundo de emergência. A título de exemplo, uma pessoa que receba 800€ de salário líquido por mês, colocaria 80€ (800€ x 10%) por mês para constituir o seu fundo de emergência, ficando com 720€ para gerir todas as suas despesas e gastos mensais.

De forma a ser mais fácil às pessoas colocar esta poupança em prática e não ceder a tentações, devem, assim que o salário “caía” na sua conta, mover o valor destinado ao fundo de emergência para uma outra conta apenas com esse fim, de forma a que esse dinheiro já não faça parte da equação para as despesas e gastos do mês.

Após concluído o fundo de emergência no valor que previamente estabeleceu, estará finalmente pronto para ir mais além nas finanças pessoais e começar a investir.

7+

Sobre o autor

Rúben José

Aluno da Licenciatura de Finanças e Contabilidade do ISCTE-IUL

Responder a este tópico

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *