Como obter financiamento para empresas - Rankia Portugal
Entrar Criar conta
Acesso
Entrar em Rankia

Bem-vindo à sua comunidade financeira

Informe-se, debata, compartilhe experiências; aprenda sobre como economizar e investir. Faz parte da maior comunidade financeira, já somos mais de 750.000 desde 2003. Você se inscreve?

Como obter financiamento para empresas

Subscrever Agora

Selecione os temas que lhe interessa e personalize a sua experiência no Rankia

Enviaremos uma Newsletter cada quinze dias com as novidades de cada categoría que escolheu


Quer receber notificações dos nossos eventos/webinars?


financiamento para empresas

Como obter financiamento para empresas? Seja um empreendedor ou empresário que queira expandir os seus negócios, pergunta-se: Como faço para obter financiamento para minha empresa? Empréstimos bancários, entradas de capital de risco ou sistemas de garantia são algumas maneiras de obter financiamento para sua empresa. Deve sempre ter em mente que o dinheiro que eles emprestam tem um preço.

Como obter financiamento para empresas?

Antes de procurar financiamento para sua empresa, deve saber o que realmente precisa, ou seja, elaborar um plano de negócios que reflita os recursos disponíveis para a empresa, a previsão de despesas, o período das suas vendas, o valor e execução de pagamentos e prazos de amortização dos investimentos.

Com tudo isso, ainda não respondemos à pergunta: Como obter financiamento para sua empresa?

A próxima coisa que devemos nos perguntar é se queremos que a fonte de financiamento seja própria ou externa:

  • Financiamento próprio significa os recursos monetários disponíveis para a empresa, família, amigos e capital contribuído que não exigem reembolso, como subsídios.
  • O financiamento externo são empréstimos bancários, capital de risco, empréstimos patrimoniais e plataformas de financiamento coletivo .

Como obter financiamento para sua empresa?

Existem diferentes fontes de financiamento para obter fundos para sua empresa:

1. Capital de Risco

O capital de risco é uma atividade financeira desenvolvida por entidades especializadas que contribuem com capital temporariamente, entre 3 e 5 anos, para empresas não financeiras ou imobiliárias e que não estão cotadas nas bolsas de valores.

O objetivo desse tipo de financiamento é contribuir para o desenvolvimento e expansão da empresa.

2. Créditos bancários

As instituições financeiras estão a redefinir as suas políticas de concessão de crédito para as empresas e as expectativas são muito boas para 2014, onde o financiamento bancário deve inverter a tendência de cinco anos consecutivos de financiamento em baixa.

Nos últimos meses, os bancos vêm promovendo crédito para empresas e especialmente para PMEs.

  • Linhas PME Investe da Caixa Geral de Depósitos: uma nova linha específica para financiar os projetos tecnológicos da sua empresa, com soluções de financiamento para investimentos na área da Indústria 4.0.

  • Liderança no Apoio às PME do Banco BPI, 19% do valor total das operações contratadas, no conjunto das linhas PME Investe e PME Crescimento, correspondendo a um valor global de cerca de 2.318 milhões de euros. Com o BPI poderá aceder às Linhas de Crédito destinadas ao apoio do investimento e gestão de tesouraria das PME.
  •  Linhas especiais de crédito para empresas do Santander. O Santander está comprometido em apoiar as empresas portuguesas em todos os momentos, especialmente nos mais difíceis. Por isso, em colaboração com o Estado, disponibilizamos Linhas de Crédito específicas para proteger a sua empresa e o seu negócio. No total, são 3 mil milhões de euros de apoio às empresas portuguesas.

3. Empréstimos participativos

Os empréstimos participativos se enquadram entre o financiamento bancário e o financiamento de ações. São utilizados em empresas que não podem recorrer a financiamentos bancários devido ao seu nível de risco, mas são capazes de gerar rentabilidade devido ao seu nível de risco.

4. Crowdfunding

Por meio das plataformas de crowdfunding, uma empresa pode obter os fundos necessários sem precisar recorrer ao financiamento bancário. São contribuições financeiras ou doações feitas pelo usuário da plataforma para que o projeto de negócios de uma empresa seja realizado ou para que uma empresa possa expandir e continuar sua atividade.

Seedrs

Seedrs é a maior plataforma de financiamento coletivo (equity crowdfunding) europeia que permite aos investidores financiar startups. Apenas a partir de 10 euros, qualquer investidor pode dar financiamento para empresas que considera terem potencial de crescimento futuro.

Esta Fintech permite assim às PME aumentarem o seu negócio de forma simples e totalmente online.

5. Raize

Raize é uma bolsa de investimento colaborativo para PME. Esta startup atua como um intermediário de financiamento para empresas, fazendo a ligação entre estas e os investidores com capital para investir. Existem três formas de obtenção de crédito na Raize:

  • Adiantamento de faturas;
  • Apoio de tesouraria;
  • e investimentos.

Em primeiro lugar, no que ao adiantamento de faturas diz respeito, esta é uma forma de financiamento para empresas que permite às PME anteciparem o recebimento de faturas dos seus clientes, funcionando essas mesmas faturas como garantia do pagamento do crédito.

No que concerne aos outros dois tipos de financiamento – para apoio de tesouraria e para realização de investimentos -, estes são reembolsados mensalmente, num prazo de pagamento de seis a 60 meses, tendo ainda a possibilidade de se ter um período de carência (a PME só pagará juros num determinado período inicial do empréstimo). Nestes dois tipos de financiamento para empresas da Raize, é necessário que o negócio tenha, no mínimo, dois anos de atividade.

Por último, a Raize disponibiliza ainda um tipo de financiamento designado por “Start”: este destina-se às PME mais jovens (com menos de dois anos de atividade) que apresentem não só uma boa capacidade financeira, como também um potencial de crescimento.

6. Edebex

Edebex veio revolucionar a gestão das tesourarias das PME, contribuindo para aumentar os níveis de liquidez financeira. Esta Fintech belga entrou no mercado português através de uma parceria com o banco BNI Europa, permitindo, desde então, às PME vender as suas faturas não liquidadas aos investidores que as queiram comprar.

São apenas necessários seis passos para a concretização deste financiamento para empresas:

  1. A PME coloca a sua fatura à venda no site da Edebex (o valor mínimo são 5 mil euros) e a solvabilidade do devedor dessa fatura é de imediato verificada;
  2. A Edebex verifica, junto do devedor, todas as características da fatura não liquidada;
  3. Um investidor compra a fatura em questão;
  4. A PME recebe o valor correspondente à fatura na sua conta, em média, em 72 horas;
  5. Após a transferência do proprietário da dívida (da PME para o investidor), a Edebex informa o devedor da atual situação;
  6. O devedor da fatura efetua o pagamento da mesma na respetiva data de vencimento.

Esta torna-se uma alternativa de financiamento para empresas mais simples e acessível a startups e outras pequenas e médias empresas comparativamente com os tradicionais produtos financeiros.

Ao conseguirem obter investimento de forma rápida, estes negócios auferirão maior liquidez e, consequentemente, conseguirão realizar uma melhor gestão das suas finanças. Tal como a Raize, a Edebex também não tem quaisquer custos associados, não exigindo cauções nem garantias.

Artigos Relacionados

Neste artigo vamos falar de contas poupanças. Uma conta poupança é uma conta onde nós temos nas nossas economias que poupamos por um espaço de tempo para uma necessidade que poderemos ter no futuro, como com...
Taxas de juros compostos são os juros de um empréstimo ou depósito calculado com base no principal inicial e nos juro...

Deixar uma Resposta

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments