O que esperar dos resultados dos gigantes da tecnologia dos Estados Unidos

Peter Garnry, diretor de estratégia de ações do Saxo Bank

  • O setor de tecnologia dos EUA aumenta surpreendentemente 39% este ano
  • Os investidores apostam para que a Amazon se torne a maior retalhista do mundo
  • A mudança do seu negócio legado para a nuvem deve ajudar a Microsoft para melhorar suas margens
  • YouTube, a busca móvel e a infira-estrutura da nuvem devem contribuir significativamente nas contas Alphabet

Esta é a primeira grande semana dos resultados comerciais nos EUA. Entre as 79 empresas que já reportaram as suas contas do terceiro trimestre no S & P 500, cerca de 80% apresentaram melhorias na parte inferior e na parte superior da declaração de renda. Exceder as expectativas em termos de renda e lucro por ação é de 1% e 5%, respetivamente. A receita  aumentou em 6,5% relativamente ao ano anterior e os BPAs uns 9,4%. Portanto, temporada agora é positiva nos EUA, enquanto que na ronda Europeia houve alguma  deceção após as primeiras publicações de resultados.

Nos EUA, esta semana, as três principais empresas que irão publicar contas pertencem ao grupo de grande tecnologia: Amazon, Microsoft e Alphabet. O setor de tecnologia dos EUA teve uma subida de 39% este ano graças ao sentimento que se fortaleceu ao longo do ano, desta forma, os investidores vêem neste setor um nicho único que oferece um crescimento constante nas receitas e nos lucros. Mas com grandes expectativas, vem o risco de quedas como bem sabemos, isto, se não for cumprido esperado.

Amazon: Como é encarado um supermercado físico num império de comércio eletrónico ?  

Com a última aquisição de Whole Foods, por parte da Amazon, a atenção  centra-se na entrada da empresa no mercado de mercearia física. É esperado que a empresa continue a crescer em 25% ao ano, impulsionada por uma forte demanda no seu negócio de comércio eletrónico (AWS). O enfoque incansável da Amazon  no crescimento da parte alta da conta de resultados (receitas e lucros) sacrificam as margens operacionais e traduz-se num retorno sobre o ROIC de 3,6%, consideravelmente inferior ao custo do capital, de cerca de 10%. Os acionistas estão dispostos a manter o preço das ações apesar da destruição de capital / valor no curto prazo pois apostam que a Amazon se torne o maior retalhista do mundo. Estas são as “keys” a ter em conta nos  resultados do terceiro trimestre:

  • Amazon apresenta os resultados do terceiro trimestre na quinta-feira após o fecho do mercado.
  • Os analistas esperam um BPA de US $ 1,88, o que significaria uma diminuição de 11% em relação ao ano anterior e receitas de US $ 41,4 bilhões de dólares, aumentando 27%.
  • Os investidores exigirão informações específicas sobre a integração e Estratégia Whole Foods. Sabemos que a Amazon reduziu drasticamente os preços para aumentar as vendas de alimentos, mas como se encaixará a loja física na estratégia da Amazon.
  • A AWS aumentou a receita em 42% em relação ao ano anterior, para US $ 4,1 bilhões no segundo trimestre de 2017 e esperamos crescimento no 35% no terceiro trimestre de 2017. A AWS é o principal motor de receitas no negócio da Amazon que apoia a expansão rápida no comércio eletrónico e presumivelmente também a expansão de Whole Foods, já que os preços dos supermercados reduzirão os lucros operacionais em alguns pontos percentuais.
  • Os fornecedores de terceiros na plataforma Amazon também serão um ponto de foco principal para os investidores, já que este segmento é o o segundo maior com receita de US $ 7 bilhões no segundo trimestre, em comparação com o negócio de varejo de US $ 23,8 bilhões. O negócio de vendas de terceiros também é fundamental para a Amazon evitar a concorrência da Alibaba, que planeia uma rápida expansão internacional.
  • O nosso modelo quantitativo tem uma classificação neutra para o Amazon.

Microsoft: EM direção à nuvem

A Microsoft está totalmente focada em entrar na nuvem, mudando os seus negócios herdando da nuvem, o que, a longo prazo, deveria ajudar a melhorar as suas margens.  A empresa também está em competição no novo negócio híbrido de nuvem clássica com a parceria VMware-Amazon.  No negócio de CRM baseado em nuvem, a aquisição do LinkedIn é considerado crítico para competir contra o Salesforce.com. Com o preço da ação a subir 35% este ano e em níveis recorde, há grandes expectativas. Aqui estão as “keys” para assistir as contas apresentadas esta semana:

  • A Microsoft publica na quinta-feira após o fecho de mercado.
  • Os analistas esperam que o BPA seja $ 0.72, abaixo de 5% em comparação com o mesmo período do ano passado, e receitas de US $ 23,6 bilhões aumentando 6% ao ano.
  • Concentre-se no negócio da nuvem Azure com um crescimento de 98% no último trimestre, obtendo uma participação de mercado no negócio da nuvem que ainda é dominada pela Amazon, embora a Microsoft ofereça aplicações na nuvem e a Amazon ofereça principalmente infira-estruturas na nuvem. As margens operacionais da Azure expandem-se drasticamente de forma saudável.
  • Espera-se que as receitas na categoria de telefones e superfícies (computadores portátil) sejam fracos.
  • A maior vantagem potencial sobre o rendimento pode vir da adoção por parte da empresa do novo Windows 10.
  • O nosso modelo quantitativo tem uma classificação positiva para o stok com base em fatores fundamentais e técnicos.

Alphabet: Vida regulamentada

Alphabet, o pai do Google, está na mira dos reguladores que analisam o comportamento da empresa, já que é considerada monopolista em alguns casos. A Comissão da UE multou-a em 2.400 € milhões de euros e há mais três cobranças em curso. Apesar dos ventos contra na regulação, o mecanismo de lucro do Google ainda é forte levando em consideração a participação no mercado publicitário. YouTube, pesquisa móvel e  a infira-estrutura da nuvem também devem contribuir significativamente para um crescimento no terceiro trimestre. As “keys” para assistir nas contas trimestrais são:

  • Alphabet publica resultados do terceiro trimestre na quinta-feira após o fecho de mercado.
  • Os analistas esperam um BPA de US $ 9,92, aumentando 10% ao ano e algumas receitas de US $ 22,1 bilhões de dólares, o que implicaria uma melhoria de 21% em relação ao terceiro trimestre de 2016.
  • Os investidores centram-se nas multas anti monopólio da UE. A Google recorre da multa de 2,4 mil milhões de euros no Tribunal Geral da UE, no entanto, mais multas vêm a caminho. A Google está a considerar dividir o seu serviço de compras para evitar multas adicionais.
  • A pesquisa móvel continua a aumentar e o Google tem a maior percentagem de mercado com seu sistema operacional Android. Anúncios para dispositivos móveis ainda representam apenas 67% do total de receitas publicitárias da empresa, em comparação com 83% do Facebook.
  • O YouTube é o principal motor de crescimento futuro, mais importante uma vez que o conteúdo do vídeo será o mercado de publicidade mais rápido em linha nos próximos 5-10 anos.
  • O nosso modelo quantitativo tem uma classificação negativa para Alphabet,impulsionado por fracos fatores técnicos em relação aos seus pares globais.

Sobre o autor

Rankia

Responder a este tópico

Bem-vindo(a) à comunidade!

Selecione os temas que lhe interessa e personalize a sua experiência no Rankia

Enviaremos uma Newsletter cada quinze dias com as novidades de cada categoría que escolheu


Quer receber notificações dos nossos eventos/webinars?


Ao continuar, aceita a política de privacidade