Como irão reagir os mercados, perante as decisões dos bancos centrais

 

John J Hardy, chefe da estratégia de câmbio no Saxo Bank

  • A seleção do novo presidente do Fed tornou-se numa espécie de reality show
  • A extensão das compras do BCE durante seis meses seria percebida como agressiva
  • Os níveis chave no EURUSD são 1.1660-70 e 1.1880
  • Os emissores de dívida de alto rendimento continuarão a emitir em euros porque é mais barato

Os mercados aguardam a reunião de quinta-feira do Banco Central Europeu e do seu plano acerca do ritmo de ajuste dos estímulos monetários. Enquanto isso, as ações europeias e americanas vão bem e os rumores de que em breve irá ser anunciado um novo presidente da Reserva Federal aumentou os rendimentos dos títulos do Tesouro dos EUA. para 10 anos em 2,42%. Mas a seleção do novo líder do Fed tornou-se numa espécie de reality show. Ontem o  presidente Trump exigiu que um grupo de senadores levantasse as mãos para ver se preferiam John Taylor ou Jerome Powell para o cargo. Assume-se que este tipo de questões devam ser levadas de forma séria e Trump aborda a questão de uma forma bastante infantil.

Na Europa, tem havido rumores de que o programa de compra de ativos do BCE será reduzido para € 25 bilhões por mês, o que iria totalizar  225.000 milhões de euros em nove meses. A duração das compras durante seis meses seria percebida como agressiva, pois é esperado que se estendam por nove meses. Quanto mais durar, mais fáceis serão as medições.

Na pendência da nova rota do BCE, o euro mostra-se forte, exceto pelo par EURUSD. Os pares EURJPY, EURAUD, EURSEK e EURNOK estão próximos dos máximos e o EURCHF estabeleceu novas altas anuais.

No EURUSD, a área de apoio chave no curto prazo está em 1.1660-70, abaixo desta área é suportada em 1.1500. Para que o EURUSD caia para 1.1500, o BCE teria que surpreender sendo muito dovish, talvez anunciando uma menor redução da compra de ativos do que o previsto pelo mercado e sugerindo que o programa não terminará até o final de 2018.

Por outro lado, o EURUSD poderia reagir por cima se o BCE for agressivo, por exemplo, com uma redução maior do que o esperado nas compras e / ou estender o  programa por apenas seis meses. Nesse caso, a chave seria em 1.1880, máximos do mês passado. Uma rutura de alta deste nível implicaria um aumento para 1.2000 e até uma tentativa de subir ao topo em 1.2092. No entanto, é necessário ter em mente que também há importantes eventos futuros em torno do USD, como a nomeação do candidato a presidente da FED por parte de Trump a reunião do FOMC da próxima quarta-feira ou a reforma tributária. Estes eventos poderiam representar riscos tanto às ” altas ” como para as ” baixas ” para o EURUSD.

Além disso, se o presidente do BCE, Mario Draghi, for agressivo, poderia aumentar o rendimento dos títulos europeus e, de acordo com Bloomberg,  os rendimentos do “bund” podem até chegar a 0,63%. A minha companheira especializada em renda fixa do Saxo Bank, Althea Spinozzi, indica que isso não mudaria tanto já que os investidores famintos viam assim uma desculpa para entrar no mercado de títulos num momento de fraqueza e os rendimentos seriam reduzidos. Portanto, os emissores de dívida de alto rendimento continuariam a emitir dívida denominada em euros, seria ainda mais barato em comparação com outros mercados de títulos.

0

Sobre o autor

Rankia

Responder a este tópico