Que contas permitem mais de um titular

contas permitem mais de um titular

As contas bancárias conjuntas possuem algumas características especiais que as distinguem das restantes contas bancárias.

Tipos de contas bancárias

As contas bancárias podem ser singulares ou coletivas, isto é, com mais do que uma assinatura (mais do que uma pessoa detentora da conta). As contas coletivas têm assim vários titulares que podem ser pessoas singulares ou pessoas coletivas. Entre as contas bancárias coletivas encontramos:

  • Contas conjuntas

Este tipo de conta pode ter diversos titulares, por isso é uma conta que na prática várias empresas e empresas mercantis utilizam. A principal característica é a necessidade de a assinatura de todos os titulares para qualquer operação relacionada à conta, às vezes, um limite pode ser estabelecido pelo qual, dependendo da quantidade da operação pode ser feita por um único proprietário. Esse recurso pode levar a problemas de agilidade ao executar operações.

  • Solidárias

Os titulares podem dispor do saldo da conta a qualquer momento e sem a necessidade de assinaturas de outros titulares. Somente as operações que estabelecem relações contratuais na conta precisarão da assinatura de todos os titulares.

  • Mistas 

É a combinação dos anteriores. Um requisito é geralmente estabelecido nas assinaturas necessárias para realizar as várias operações.

Quanto às contas conjuntas, estas têm uma especificidade a destacar-se claramente: elas só podem ser movimentadas por todos os titulares da conta.

Vantagens e desvantagens das contas conjuntas

As contas conjuntas são conhecidas pela segurança apertada, dado ser precisa a autorização de todos os titulares para se fazer movimentações na conta. Desta forma, elas são ideais para casais, para uma empresa, ou mesmo para um condomínio, onde só se pode mexer na conta com o conhecimento de todos.

A desvantagem destas contas está na sua falta de prática. Quem precisar de movimentar dinheiro com urgência não o consegue sem o consentimento de todos os titulares. Em caso de falecimento, por exemplo, podem surgir situações delicadas, como o dinheiro ficar parado no banco, se os herdeiros não falarem entre si e não quiserem levantar o dinheiro em conjunto.

Sobre o autor

Henrique Garcia
Analista de Mercados

Responder a este tópico

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *