Sell in may and go away: O grande enigma dos mercados financeiros

Sempre que nos aproximamos do quinto mês do ano, é mais frequente ouvir nos media especializados e nos comentários de diferentes analistas a seguinte frase “Sell in May and go away “.

Este padrão sazonal é um dos grandes enigmas dos mercados financeiros atuais e, sem dúvida, constitui outro exemplo de quão difícil é encontrar uma explicação lógica para muitas das diretrizes, que ocorrem recorrentemente nos mercados de ações de todo o planeta. Podemos investir em ações internacionais para tirar proveito deste padrão bem conhecido, mas é importante que procuremos um corretor barato, de acordo com os corretores que comparamos na Rankia, tanto para bolsa de valores nacional quanto internacional, Degiro será o mais barato para esse tipo de investimento.

Para se aproximar desta estratégia, apresentarei as conclusões de um dos estudos mais completos sobre esse padrão sazonal por parte dos académicos Ben Jacobsen e Sven Bouman, publicados na prestigiada American Economic Review.

O que é e qual  a origem da frase Sell in May and go Away?

Este padrão sazonal baseia-se no pressuposto de que a rentabilidade obtida no período Outubro-maio é maior do que a rentabilidade que seria obtida no resto do ano.

Portanto, a estratégia a seguir seria investir ou aumentar as nossas posições no mês de Outubro e mantê-las até o mês de maio, onde recuperamos a liquidez de nossas carteiras. Relacionado a esta directriz, também encontramos o Indicador de Halloween proposto por Michael O’Higgins, em que se baseia em comprar a 31 de Outubro e vender a 30 de Abril.

O mundo da Bolsa de Valores está uma espécie de twilight state de momento. Os potenciais compradores parecem ter “vendido em maio e ido embora” …. Financial Times, 30 de maio de 1964, p. 2

Esta frase é a referência mais antiga, encontrada na imprensa, falando sobre esse padrão sazonal. Desde então, mais de 150 investigações ou publicações foram preparadas em vários países sobre esta directriz.

Alguns deles adicionaram à frase de abertura de Sell in May and go away, o fim de “mas não se esqueça de voltar em Setembro” ou “mas compre novamente no St. Leger Day” (o St. Leger Day refere-se à data de uma corrida de cavalos clássica em Inglaterra a cada Setembro).

Esse padrão sazonal funciona realmente?

O estudo leva como base de referência a série de dados correspondentes aos principais índices de 37 países durante vários períodos de tempo ao longo de 10 anos. Os resultados do estudo são os seguintes:


Como pode ser visto na tabela, há evidências fortes de que a rentabilidade nos meses de Outubro a maio são superiores aos períodos de maio a Outubro. Em particular dos 37 países analisados apenas na Nova Zelândia ocorre o oposto. Ao mesmo tempo, mostra que o efeito é mais forte tanto nos países europeus quanto nos países emergentes.

Outro factor importante a observar é que a análise de séries históricas em 10 países com mercados financeiros organizados mostrou que este padrão foi cumprido por alguns séculos, por exemplo, no Reino Unido desde 1694.

Embora nos últimos 30 anos os retornos tenham sido inferiores aos alcançados nos períodos anteriores, neste caso, a Lei de Murphy não é cumprida, uma vez que o padrão continua a ser cumprido.

Para analisar a sazonalidade, é aconselhável usar a ferramenta Seasonality Chart, disponível no site do StockCharts, que permite uma análise mais detalhada dos períodos e índices que deseja estudar.

Como podemos ver no gráfico a seguir sobre o retorno do IBEX no período 1998-2017, os retornos mais baixos estão concentrados entre os meses de Maio e Setembro.

Movendo a análise para o S & P500, podemos ver que os retornos mais baixos estão concentrados entre os meses de maio e setembro nos últimos 20 anos.

Finalmente, analisamos o Eurostoxx 50 e podemos chegar às mesmas conclusões. Como você diria um anuncio de televisão bastante mau, embora, popular Coincidência?

Qual é a causa da satisfação deste padrão sazonal?

Talvez seja este o ponto que maior controvérsia gera em torno dos padrões sazonais. O estudo tenta verificar uma a uma as possíveis explicações que foram dadas ao longo da história para explicar esse padrão. As explicações mais frequentes foram:

Os resultados são mais elevados neste período porque se assumem mais riscos

Uma das teorias indica que os maiores retornos foram uma compensação pela assunção de maior risco. O estudo mostra que, na maioria dos países, o desvio padrão nos dois períodos é muito similar, mesmo em vários países, os valores de risco mais elevados estão no período de maio a Outubro (quando a rentabilidade é menor). Portanto, esta hipótese é rejeitada.

O padrão não é mais do que numa derivação do “efeito de Janeiro”

Esta hipótese sugere que os altos rendimentos no período são devidos ao padrão sazonal de Janeiro, segundo o qual os rendimentos nas bolsas de valores neste mês são muito superiores ao resto do ano. O estudo realiza uma análise dos rendimentos do período excluindo o mês de Janeiro e ainda assim cumprindo o padrão sazonal. Portanto, esta hipótese é rejeitada.

Influência da evolução das taxas de juros:

A explicação baseia-se na teoria de que os bancos centrais oferecem taxas de juros mais baixas nesse período e tendem a elevá-los entre maio e Outubro. foi feita uma análise estatística que mostrou que não existe tal correlação.

Volume de negócios:

Uma das mais comentadas é esta explicação baseada no fato de haver mais volume de negociação num período do que no outro. O estudo mostra que, embora o volume de negociação seja geralmente um pouco maior de Novembro a Abril na maioria dos países, a diferença não é suficientemente significativa para ser considerada válida.

Influência do sector agrícola:

Esta hipótese baseia-se no fato de que o padrão é uma conseqüência do movimento de um setor específico e não da economia global de um país. Especificamente, a hipótese agrícola sugere que os agricultores pedem empréstimos no final da primavera e no verão para comprar as sementes das culturas; Essa demanda de crédito aumenta as taxas de juros e gera uma falta de liquidez no mercado. No outono, quando as colheitas são colhidas e vendidas e os empréstimos são reembolsados, as taxas de juros caem e a liquidez aumenta. Para verificar esta suposição, é analisado se em países agrícolas o efeito é ainda maior. Os resultados mostram que não há relacionamento e mesmo em países menos agrícolas o efeito é ainda maior. Para excluir outro setor, eles realizaram um estudo de dados transversais entre países e setores e o resultado foi o mesmo: não há evidências de que o efeito esteja relacionado ao tamanho relativo de um setor.

Feriados e Férias:

Outra das explicações mais populares baseia-se no fato de que com a chegada do verão e o aumento das temperaturas, o número de operadores operacionais é significativamente menor. Mesmo essa teoria também afirma que a diminuição do efeito nos últimos 30 anos deve-se à introdução de aparelhos de ar condicionado que permitem a continuação do trabalho nos “Verões quentes” de Nova York ou Londres. O estudo mostra que não há relação quando o mesmo efeito ocorre no hemisfério sul quando no período de maio a Outubro estão nos meses de inverno.

Tipos de notícias:

Neste ponto, eles argumentam que o número de notícias positivas é maior que o número de notícias negativas neste período e vice-versa. Como esperado, os resultados mostraram que a causa também não está presente.

Qual foi o resultado este ano nos principais índices?

Na tabela a seguir, podemos apreciar o caracter bullish marcado que os últimos 6 meses tiveram.

Evolução dos mercados desde 31/10/2016 a 28/04/2017

 

Será que a famosa correrão anunciada nos mercados vem conjuntamente com o padrão sazonal?

À luz dos dados, pelo menos eu estaria muito atento.

Conclusão

Sem dúvida e em vista dos dados, “Sell in May and Go Away” é um padrão sazonal que é cumprido em muitos países e índices. A sua causa continua a ser um enigma difícil de resolver, enquanto isso é melhor ter em mente quando fazemos os nossos investimentos e, assim, obter os melhores retornos de nossos investimentos.

É bom ter em mente que, nessas estratégias de investimento, uma das chaves do sucesso é ter um corretor que lhe permite operar com baixas comissões, como transacção ou manutenção ou custódia. Desta forma, podemos tirar o máximo proveito do lucro que esta estratégia poderia nos oferecer. Para isso, existem diferentes corretores, como Degiro, que nos permitem operar em mercados de acções nacionais e internacionais a preços muito competitivos.

Sobre o autor

Juan Diego Quilez
Gestor do Rankia Portugal

    Onde Investir com Bolsonaro na Presidência

    Onde Investir com Bolsonaro na Presidência

    O Plano O economista de Jair Bolsonaro é Paulo Guedes, um conhecido liberal e ex-banqueiro que desenhou o plano de governação focado em reformas e privatizações. O "Tripé" O programa...