XTB Market update – 10 de outubro de 2018

Despertar dos Mercados
Por Carla Maia Santos, Senior Broker

Os mercados seguem a negociar sem uma tendência definida.

A questão orçamental italiana, que tem feito abanar as bolsas europeias, está relativamente calma, com o Ministro da Economia Giovanni Tria a dizer que fará tudo o que estiver ao seu alcance para acalmar os mercados financeiros. As yields das obrigações largam os máximos com esta declaração.

Mas os mercados aguardam expectantes por uma definição do orçamento.Nos EUA, Trump diz que a FED está a aumentar as taxas de juro muito rapidamente face à baixa inflação e à estrutura forte da economia. Dá assim a entender que não concorda com o quarto aumento das taxas de juro ainda este ano, pois coloca em causa o crescimento bolsista.

Hoje, os EUA irão emitir dívida a 10 anos, de forma a compensar os desvios orçamentais. Vai tentar-se perceber se a China, a segunda maior detentora de dívida norte-americana, a seguir à própria FED, vai de alguma forma retaliar a guerra comercial imposta pelos EUA, ficando de fora desta oferta. Este evento criará bastante volatilidade nas yields.

Esta sexta-feira iniciar-se-à a Época de Resultados norte-americana, podendo definir o rumo das bolsas, neste último trimestre do ano.

Em Portugal, a Galp ‘dá cartas’ com os analistas a aumentarem a perspetiva da empresa, favorecida pelo aumento do preço do petróleo. Os furacões que passam pelo Golfo do México colocam em causa a oferta do ouro negro.

O BCP segue a negociar no verde com a JP Morgan a melhorar a sua perpetiva para o Banco Português.
A Altri desvaloriza mais de cinco porcento, depois de Paulo Fernandes, administrador e acionista da Altri ter alienado parte da sua posição acionista e a JP Morgan deixar de ter uma posição qualificada. Estas posições vendedoras alertam os pequenos investidores que aproveitam para seguir as pisadas das grandes posições e tomam mais-valias.

Sessão Asiática
Por David Silva, Senior Broker & Affiliate Manager

Num momento em que não há a divulgação de dados económicos relevantes e que possam agitar os mercados financeiros, os investidores mantêm o seu foco nos possíveis efeitos da guerra comercial (recorde-se que a China, no passado fim de semana, decidiu reduzir o rácio de reservas mínimas dos bancos para aumentar a liquidez no mercado) e também nas negociações para um acordo entre o Reino Unido e a Europa. As bolsas asiáticas voltaram a mostrar uma pequena recuperação, depois das fortes quedas das últimas sessões.

O destaque da madrugada de hoje vai para o discurso do presidente da FED, durante o encontro de banqueiros na Indonésia, ao referir que estão previstos mais aumentos de taxa de juro para os próximos encontros e que estes irão fomentar a expansão da economia. John Williams referiu também que com a medida que a política monetária normalizar, será cada vez mais difícil prever o que a FED irá fazer.

Apesar de um final de sessão de recuperação do EURUSD, o USD já se encontra a valorizar face ao EURO na manhã de hoje, o que permite novas quedas em EURUSD.Também as bolsas da praça asiática tiveram um bom de desempenho no dia de hoje, sendo que, dos principais índices bolsistas, apenas o neozelandês fechou a sessão no vermelho.


Ações
Por José Correia, Senior Broke
Google (GOOG.US) – a Google irá recorrer da decisão do regulador europeu da concorrência para não pagar uma multa de 4,3 mil milhões de euros relacionada com excessiva dominância do sistema Android. Margaret Vestager, a comissária europeia da concorrência, afirmou que a empresa norte americana está envolvida em atividades que minam as hipóteses dos seus concorrentes inovarem e competirem saudavelmente em condições de mercado normais. Em causa está o facto de os fabricantes de telemóveis precisarem de inserir o Chrome e aplicação de busca para terem acesso ao Google play, a loja de aplicações online. São oportunas entradas vendedoras no ativo, a favor da tendência de médio-prazo, colocando o take-profit nos 1100 dólares.

Análise Técnica
Forex
Por Pedro Amorim, Senior Broker
AUDCAD H4- fantástico suporte respeitado

Temos vindo a aconselhar posições curtas neste par cambial desde agosto.

Depois de uma consolidação de curto prazo devido às negociações do NAFTA, o AUDCAD voltou a cair novamente devido a boas perspetivas sobre um bom acordo entre Canadá e EUA.

O Canadá fez um acordo comercial com os EUA e o México, o que levou a uma forte recuperação no CAD, também ajudada pela valorização recente no petróleo e na baixa perspetiva do AUD devido ao sentimento sobre a disputa comercial entre a China e os EUA, o que provocou um movimento muito poderoso, como podemos ver no gráfico de 4 horas.

A nível técnico, vimos o AUDCAD a fazer suporte no nível 0.915, o que nos pode dar oportunidades ótimas para uma recuperação após esta queda.

A ideia seria atingir os mínimos relativos anteriores (0.93309) e dependendo do sentimento do mercado, poderia-se ajustar o target nos mínimos relativos superiores (0.97000).

O stop loss do primeiro long trade deve ser 0.91018, abaixo do suporte.chart (52)


Forex
Por Eduardo Silva, Head of Sales
Libra dispara com o optimismo em torno de um acordo
O momentum altista é evidente, o otimismo domina o sentimento dos investidores e o discurso espelha a confiança dos intervenientes em torno de um compromisso. Apesar de recomendar longos no breakout da neckline do H&S que podemos ver no gráfico, alerto para a volatilidade nesta fase final das negociações. Qualquerheadline no sentido oposto pode inverter a direção do preço, logo, recomendo que a gestão de risco seja uma preocupação total.
Entradas longas com stop abaixo da neckline e tp na amplitude do H&S representa o melhor rácio de risco\retorno para esta entrada de curto prazo.
chart (50)-2
chart (51)-1
Declaração de Risco
A X-Trade Brokers Dom Maklerski S.A. não se responsabiliza por decisões de investimento que se baseiem em informações contidas nesta newsletter. Nenhuma da informação aqui contida deverá ser entendida como recomendação de investimento, garantia de lucro ou de risco significativamente menor. Os investimentos baseados no uso de produtos derivados com alavancagem financeira são, por natureza, especulativos e poderão resultar tanto em lucros como perdas significativas, as quais poderão superar os montantes inicialmente depositados.

Sobre o autor

Rankia