Análise SWOT: o que é e como fazer

Análise SWOT: o que é e como fazer

Certamente já ouviram falar da Análise SWOT, mas hoje vamos aprender a utilizar esta análise para estudar os fatores externos e internos que afetam uma empresa. Ao realizar a análise SWOT de uma empresa, aprenderemos a identificar as forças, oportunidades, fraquezas e ameaças de uma empresa.

O que é a Análise SWOT?

A análise SWOT é uma ferramenta de planeamento estratégico amplamente utilizado pelas empresas. Consiste numa análise interna, revendo pontos fortes e fracos, e uma análise externa, revendo as oportunidades e ameaças da empresa.

swot

Ao realizar esta análise, procuramos os principais pontos fortes da organização, que podem ser os recursos, a qualidade, etc. E, por outro lado, conhecer e reforçar as fraquezas que podem prejudicar os negócios da empresa. Procuraremos também factores externos que possam afetar a nossa organização, tanto de forma positiva como negativa. Por exemplo, fatores tais como uma nova regulamentação podem afetar muito o nosso negócio e os nossos lucros.

Precisamos de ser claros sobre estes factores para que possamos antecipar e lidar com as ameaças e aproveitar as oportunidades. É assim que iremos desenvolver uma estratégia empresarial sólida e tomar decisões tendo em conta os factores mais importantes.

Como realizar uma Análise SWOT?

Para realizar uma boa análise SWOT, é aconselhável que todos os departamentos da organização participem. É também importante que no final da análise seja simples e prático para que todos possam compreender os resultados e tomar decisões com base nos mesmos. Vamos utilizar um modelo de análise SWOT com quatro quadros. Nos fatores internos, avaliamos fatores como a produção, marketing, organização, pessoal e finanças. Enquanto nos fatores externos estudamos fatores como o sector, o mercado, o ambiente e a concorrência.

  • Forças: devemos acrescentar os atributos ou pontos positivos que nos podem ajudar a alcançar os nossos objectivos. Estão relacionados tanto com os recursos materiais e as suas condições de utilização, como com os recursos humanos e o seu nível de formação para gerar os melhores resultados.
  • Oportunidades: aqui devemos ter em conta as condições externas, revisando a indústria e outros factores tais como regulamentos que podem afetar positivamente o nosso objectivo. Estes são aspectos que, embora não possamos controlar, podemos aproveitar para melhorar ou fazer crescer a nossa empresa.
  • Fraquezas: neste quadrante devemos acrescentar o que é prejudicial ou os fatores que podem ser desfavoráveis para o nosso objetivo. São factores internos, pelo que a opinião do pessoal desempenha um papel fundamental, e como é algo que se reflecte no exterior, a opinião dos clientes também conta.
  • Ameaças: acrescentaremos o prejudicial, tudo o que pode ameaçar a nossa sobrevivência e o potencial ganho de resultados no exterior. Não podemos controlar estes aspectos, mas podemos contra-atacar para lidar com eles.

Para desenvolver a análise, temos de criar 4 listas:

  • Criar uma lista dos pontos fortes atuais
  • Criar uma lista dos pontos fracos atuais
  • Criar uma lista de oportunidades para o futuro
  • Criar uma lista de ameaças para o futuro

As listas devem ter informações reais e pontos especificados de uma forma simples e fácil de compreender. Uma vez que temos todas as listas, devemos avaliar os resultados obtidos e definir as estratégias a curto e longo prazo.

Análise SWOT: Exemplos

Vamos ver  alguns exemplos de pontos fortes, fraquezas, oportunidades e ameaças que podemos incluir ao realizarmos a nossa análise SWOT.

Alguns exemplos de pontos fortes para a nossa SWOT são

  • Qualidade do nosso produto
  • Recursos humanos motivados
  • Serviços de alto nível
  • Avaliação positiva dos clientes
  • Certificações, reconhecimentos ou prémios recebidos
  • Aumento da procura

Alguns exemplos de oportunidades para a nossa SWOT são:

  • Forte crescimento na indústria
  • Alta procura de produtos relacionados
  • Taxas baixas
  • Necessidade de expansão e novos investimentos
  • Participação em eventos de mercado
  • Épocas altas

Alguns exemplos de fraquezas para a nossa SWOT:

  • Salários inferiores a média
  • Problemas financeiros
  • Falta de formação do pessoal
  • Má localização da empresa ou negócio
  • Diminuição da qualidade do produto ou serviço

Alguns exemplos de ameaças à nossa SWOT:

  • Elevada concorrência
  • Baixo potencial de crescimento da nossa empresa
  • Aumento dos preços das matérias primas
  • Novas leis ou impostos que afetam o produto ou serviço
  • Projectos públicos que afetam a visibilidade ou acessibilidade dos clientes

Conclusão

A análise SWOT é como um check-up médico, é importante fazê-la regularmente para determinar a saúde da nossa empresa, e faz parte do planeamento estratégico da empresa. Recomenda-se fazê-lo a cada 6 ou 12 meses para determinar no que somos fortes e no que podemos melhorar, quais os elementos que estão de acordo com o crescimento da empresa e quais os factores que a estão a afectar para os modificar ou eliminar:

  • Forças e fraquezas: sendo fatores internos, estão sob o nosso controle, pelo que podemos determinar se permanecem, se melhoram ou se eliminam. Destes fatores depende a saúde interna da empresa, se for boa terá uma boa projecção para os utilizadores ou consumidores, e se for má, estes também a notarão. Neste aspecto, as fortalezas e fraquezas podem ser definidas não só pelo que o proprietário vê como bom ou mau, mas também pela percepção que outros têm, tanto trabalhadores como clientes.
  • Oportunidades e ameaças: são fatores externos, pelo que não dependem de nós, mas sim de como as aproveitamos ou as atacamos. Isto pode significar a diferença entre nós e a concorrência, entre crescimento e declínio.

Após realizar a análise SWOT, o passo seguinte será estabelecer os objetivos a curto, médio e longo prazo para melhorar ou eliminar as fraquezas, aumentar os pontos fortes, aproveitar as oportunidades e fazer os planos de contingência para atacar as ameaças. Tudo isto se traduz na geração do maior número possível de estratégias que serão depois avaliadas, aceites ou descartadas e depois postas em prática. Isto é feito através de 4 abordagens diferentes:

  1. Abordagem de sucesso: é detectada através da resposta à seguinte pergunta: Como posso usar os meus pontos fortes para aproveitar as minhas oportunidades?
  2. Abordagem de reação: Continua com a avaliação dos fortalezas mas agora contra as ameaças: Como posso usar os meus pontos fortes para diminuir as ameaças?
  3. Abordagem de adaptação: comparamos as oportunidades com as fraquezas: Como posso utilizar as oportunidades para corrigir as minhas fraquezas?
  4. Abordagem de sobrevivência: na qual comparamos as fraquezas com as ameaças: Como enfrentamos as ameaças?

É importante que os resultados da análise SWOT não se limitem a palavras ou uma reunião com empregados. É necessário um plano de acção, com objectivos realizáveis e calendarizados, para assegurar o cumprimento das estratégias criadas a partir da análise SWOT. Aqui também é importante dar prioridade à estratégia de acordo com a priorização das fraquezas e ameaças.

Sobre o autor

Rankia

Responder a este tópico

Bem-vindo(a) à comunidade!

Selecione os temas que lhe interessa e personalize a sua experiência no Rankia

Enviaremos uma Newsletter cada quinze dias com as novidades de cada categoría que escolheu


Quer receber notificações dos nossos eventos/webinars?


Ao continuar, aceita a política de privacidade