Entrar
Acesso
Entrar em Rankia

Bem-vindo à sua comunidade financeira

Informe-se, debata, compartilhe experiências; aprenda sobre como economizar e investir. Faz parte da maior comunidade financeira, já somos mais de 750.000 desde 2003. Você se inscreve?

Bolsa de Valores: o que é e como funciona?

Subscrever Newsletter

Selecione os temas de seu interesse e assine nossa newsletter abaixo:

Subscription Type(Obrigatório)

A bolsa de valores é um assunto que pode parecer intimidante para aqueles que são novos no mundo do investimento. Contudo, compreender o que é a bolsa de valores e como funciona é essencial para qualquer pessoa que queira investir no mercado financeiro. Neste artigo, vamos explicar em termos simples as bases do mercado de ações, esclarecer termos técnicos e financeiros, dar exemplos e oferecer dicas úteis para principiantes. Junte-se a nós nesta aventura financeira!

O que é a bolsa de valores?

Da mesma forma que se precisarmos de comprar sapatos, vamos à sapataria, ou se precisarmos de comprar pão, vamos à padaria, existem grandes “lojas”, onde se compram e vendem os ativos financeiros. Estas “lojas” são as chamadas bolsas de valores.

A bolsa de valores é uma organização privada que oferece as condições necessárias para que as empresas que necessitam de capital e pessoas e/ou empresas que dispõem capital, possam realizar transacções de compra e venda de títulos, tais como ações de sociedades, obrigações do sector público e privado, certificados ou títulos de participação, entre outros instrumentos de investimento.

Assim, o objectivo das bolsas de valores é proporcionar aos agentes que intervêm, um lugar adequado para realizar as suas transacções, onde  se reúnem compradores e vendedores, dando lugar à formação de preços dos títulos de oferta pública, de acordo com a oferta e a procura.

As principais funções da bolsa de valores são as seguintes:

  • Contribui para o desenvolvimento do mercado de capitais, permitindo aos intermediários e clientes a negociação de títulos e instrumentos financeiros.
  • Facilita o fluxo de poupança e investimento no mercado de ações.
  • Realiza a colocação primária de instrumentos do mercado de acções e obrigações.
  • Proporciona um mercado secundário para a transacção de instrumentos financeiros.
  • Promove a regulação do mercado, favorecendo a livre determinação dos preços e a transparência nas operações.
  • Fornece serviços, sistemas e infra-estruturas para o mercado bolsista.

Mercado primário e Mercado secundário

As bolsas de valores são responsáveis ​​pela gestão e negociação de diferentes tipos de ativos financeiros. E o seu principal objetivo é captar as economias empresariais e pessoais. Existem dois tipos de mercados de ações: mercados primários e mercados secundários. A seguir vamos conhecer as diferenças, características e exemplos de cada um desses mercados.

O que é o mercado primário?

O mercado primário também é conhecido como mercado de emissão e é por meio dele que empresas e empresas emitem títulos que representam títulos que podem estar na forma de instrumentos de dívida, ou de rendimento fixo, ou de rendimento variável, ou títulos de risco.

O mercado primário é aquele onde os títulos são negociados pela primeira vez, ou seja, são aqueles emitidos diretamente pela empresa por meio de oferta públicaVamos ilustrá-lo com a compra de um veículo. Quando o cliente vai diretamente à concessionária e compra um veículo novo, participa do mercado primário desse veículo, ou seja, compra um item que não foi negociado anteriormente. No entanto, no momento em que decide vendê-lo, o próximo comprador não estaria a comprar no mercado primário, mas sim no mercado secundário, já que a operação de venda é entre pessoas físicas.

O que é o mercado secundário?

O mercado secundário é o mercado financeiro onde as movimentações e operações de oferta e procura de títulos são realizadas entre pessoas físicas, ou seja, entre investidores e poupadores que já adquiriram títulos de uma empresa ou de outro investidor. É a parte do mercado de capitais onde a oscilação dos preços é maior e começam as perdas ou ganhos dos títulos emitidos pelas empresas.

No mercado secundário, são negociados os títulos já emitidos anteriormente por meio de oferta pública ou privada e adquiridos por um investidor. A partir de então, tudo o que for feito com o referido título passa a fazer parte do mercado secundário, sendo responsável pelo registo de todos os movimentos de compra e venda que são realizados com os referidos títulos. É por isso que o mercado secundário tem um fluxo de operações maior do que o mercado primário.

Embora o mercado secundário seja dependente do mercado primário, o mercado secundário é absolutamente necessário para o funcionamento e a dinâmica do mercado primário, uma vez que depende do mercado secundário a eficiência e o cumprimento dos objetivos da emissão dos referidos títulos pelas empresas, é isto é, dos movimentos que são feitos posteriormente com os referidos valores. Isso significa que se não houvesse negociações dos títulos emitidos pela empresa em primeira instância pelo mercado secundário, o sistema econômico entraria em colapso e eu fluiria adequadamente.

Continuando com o exemplo da compra do veículo, mencionamos que se o cliente for diretamente à concessionária para comprar o carro, ele estaria a participar do mercado primário. Mas o que acontece se depois de dois anos decidir vendê-lo? Estaria a iniciar o mercado secundário para o referido veículo. Isso, claro, faz com que o valor do veículo varie entre um indivíduo e outro, assim como acontece com os valores emitidos pela empresa.

A diferença entre este exemplo e o mercado secundário é que um bem como um veículo tende a perder valor entre as compras. Mas no caso dos títulos, esse movimento pode aumentar o preço dos títulos, o que representa o retorno do investidor. Ninguém compraria um título se soubesse de antemão que só perderia valor.

Qual é o funcionamento da bolsa?

A bolsa de valores funciona sob uma dinâmica de mercado, onde a interacção entre oferentes e demandantes influencia o comportamento dos preços. Assim, se uma ação for muito procurada, o seu preço tende a subir; enquanto que se poucas pessoas estiverem interessadas em comprar essa ação, o seu preço tenderá a baixar.

No mercado de ações, o preço dos activos será também influenciado pela informação disponível sobre a empresa emissora, as informações sobre as suas actividades e resultados.

A negociação de títulos entre o vendedor e o comprador só pode ser feita através de um intermediário (corretor ou agente), responsável pela realização das transacções de compra e venda. É importante salientar que os intermediários cobram uma comissão por cada transacção (operação) que efectuam na bolsa.

Participantes

Para compreender como funciona a bolsa de valores, é importante compreender o papel de cada um dos agentes que intervêm na mesma:

  • Emissores: estas são as entidades que emitem os títulos que são negociados na bolsa de valores.
  • Reguladores: são as instituições que supervisionam o bom funcionamento do mercado bolsista e ditam normas para o seu controlo.
  • Intermediários: através dos quais o investidor pode comprar e/ou vender instrumentos financeiros na bolsa de valores. Existem dois tipos de intermediários:
    • Corretoras de bolsa
    • Agentes de bolsa
  • Investidores: são aqueles que investem o seu dinheiro em títulos a fim de obterem um retorno em troca. Podem ser locais ou estrangeiros e podem ser institucionais (bancos, companhias de seguros, fundos de investimento, fundos de pensões) ou não institucionais (pessoas singulares ou colectivas).

Que podes comprar e vender na Bolsa de Valores?

A Bolsa de Valores é um sítio onde diferentes tipos de activos financeiros são negociados. Através da Bolsa de Valores, é possível comprar e vender ações, obrigações, opções, futuros, ETFs e Fundos de Investimentos.

Ações

As ações são títulos que representam parte do capital de uma empresa e dão ao seu titular o direito de participar nas decisões da empresa e de receber uma parte proporcional dos seus lucros. As ações são um dos instrumentos mais populares e conhecidos na bolsa de valores.

Leia também 👉 Ações: o que são, como funcionam e como escolher

Obrigações

As obrigações são títulos emitidos por uma empresa, governo ou entidade pública, representando uma dívida do emitente para com o investidor. As obrigações oferecem um rendimento fixo ou variável e têm um vencimento fixo.

Leia 👉 O que são obrigações?

Opções

As opções são contratos que dão ao comprador o direito, mas não a obrigação, de comprar ou vender um activo a um preço especificado numa data específica. As opções são normalmente utilizadas como uma forma de bloquear o preço de compra ou venda de um activo.

Para mais informações 👉 Opções: o que é e como funciona?

Futuros

Os futuros são contratos que são utilizados para negociar o preço futuro de um activo, que é acordado entre comprador e vendedor num momento específico. Os futuros são utilizados principalmente para se protegerem contra flutuações de preços no futuro.

Aprenda sobre os futuros 👉 O que são contrato de futuros?

ETFs (Exchange Traded Funds)

Os ETFs são fundos de investimento que são negociados na bolsa de valores, como se fossem ações. Estes fundos de investimento investem numa vasta gama de activos financeiros, tais como ações, obrigações, mercadorias, moedas, etc.

Os ETFs oferecem aos investidores a oportunidade de investir numa vasta gama de activos financeiros. Os ETFs oferecem aos investidores uma forma fácil e acessível de diversificar a sua carteira de investimentos.

Para saber mais 👉 O que é um ETF? Saiba o que são e que vantagens trazem.

Fundos de Investimento

Os fundos de investimento são como um grupo de pessoas que se juntam para investir o seu dinheiro em diferentes activos, tais como ações, obrigações ou bens imobiliários, e são geridos por especialistas em investimento. Quando se investe num fundo de investimento, está-se a comprar uma parte proporcional do fundo e a beneficiar do rendimento do investimento conjunto.

Descubra como funciona um fundo de investimento 👉 O que é um fundo de investimento?

Divisas (Forex)

As divisas são moedas de diferentes países que são utilizadas como meio de troca em transacções internacionais. Os investidores podem comprar e vender moedas nos mercados financeiros de modo a lucrar com as flutuações das taxas de câmbio. Algumas das principais moedas negociadas nos mercados financeiros incluem o dólar americano, o euro, o iene japonês, a libra esterlina e o dólar canadiano.

Saiba mais 👉 Mercado Forex: o que é e como funciona?

Matérias-primas

As matérias-primas, chamadas também commodities, são recursos naturais que podem ser comprados e vendidos nos mercados financeiros. Exemplos de mercadorias incluem ouro, prata, petróleo, gás natural, commodities agrícolas como milho e soja, e metais industriais como o cobre e o ferro.

Os investidores podem comprar e vender contratos de futuros ou opções sobre estas mercadorias, permitindo-lhes lucrar se os preços subirem ou limitar as perdas se os preços baixarem.

Leia também 👉 Commodities: o que são, tipos e como funcionam

Definição dos preços na Bolsa

Na bolsa de valores, a definição de preços é um processo contínuo baseado na oferta e procura dos activos financeiros negociados na bolsa. Os preços destes activos flutuam constantemente dependendo de vários factores que afectam o seu valor, e os investidores precisam de estar atentos a estas mudanças de modo a tomarem decisões de investimento informadas.

Oferta e procura

Oferta e procura são os principais factores que determinam os preços dos activos na bolsa de valores. A oferta refere-se à quantidade de activos que os vendedores estão dispostos a vender no mercado, enquanto a procura refere-se à quantidade de activos que os compradores estão dispostos a comprar. Se a procura de um activo for maior do que a sua oferta, o preço sobe, enquanto se a oferta for maior do que a procura, o preço cai.

Fatores que afetam o preço dos ativos

Para além da oferta e procura, existem outros factores que afectam o preço dos activos na bolsa de valores. Um deles é a situação económica no país ou região onde se encontra a empresa emissora do activo. Alterações na economia, tais como inflação ou recessão, podem afectar significativamente o valor de uma empresa e, consequentemente, o preço das suas acções.

Outro factor que pode afectar os preços dos bens é a situação política ou social no país, ou região. Os conflitos políticos ou sociais podem gerar incerteza nos mercados financeiros e afectar negativamente os preços dos activos.

Indicadores dos mercados bolsistas

Os indicadores do mercado bolsista são ferramentas que os investidores podem utilizar para avaliar o desempenho do mercado e determinar a direcção em que os preços dos activos estão a evoluir. Um desses indicadores é o índice da bolsa de valores, que representa o valor médio das ações das empresas mais importantes cotadas na bolsa de valores.

Outros indicadores do mercado bolsista incluem taxas de juro, preços de matérias-primas e indicadores económicos como o PIB ou a taxa de desemprego. Estes indicadores podem afectar significativamente o preço dos activos financeiros, pelo que é importante que os investidores os acompanhem de perto.

Quantas bolsas de valores existem no mundo?

Cada país decide se deve criar um mecanismo entre aforradores e investidores. Actualmente existem mais de 70 países que criaram um mercado financeiro, mesmo nos países mais desenvolvidos pode haver mais do que um.

As bolsas são empresas privadas que se encarregam da organização dos sistemas electrónicos, da liquidação das encomendas, da cotação, etc. A sua principal função é facilitar a entrada das empresas de um país nos mercados financeiros e garantir a liquidez destes mercados.

Quais são as principais bolsas de valores do mundo?

Muitos confundem a bolsa de valores de um país com o principal índice negociado nesse mercado.

Por exemplo, a bolsa de valores espanhola não é a IBEX 35. O IBEX 35 é um índice que selecciona um grupo de ações cotadas no mercado espanhol.

As principais bolsas de valores mundiais são as seguintes:

Bolsas de valores americanas:

  • Nasdaq: mercado originalmente especializado em tecnologia e biotecnologia.
  • NYSE: principal bolsa de valores dos EUA
  • CME: especializada em futuros e opções

Bolsas de valores europeias

  • Xetra: Alemanha
  • Euronext: um gigante que tem comprado bolsas europeias como a italiana, portuguesa, francesa, holandesa.
  • OMX: Bolsas de Valores Nórdicas
  • SIX: A Suíça e agora controla o mercado espanhol BME.
  • Eurex: bolsa europeia de derivados

Bolsas asiáticas

  • Hong Kong
  • Tóquio
  • Shenzen
  • Singapur

Bolsas de Valores da América Latina

  • BMV e BIVA: Bolsas de valores mexicanas
  • Bolsa de Valores de Santiago
  • Bolsa de Valores de Buenos Aires

Hórario Bolsa de Valores

Em Portugal, o horário de abertura da bolsa é às 8:00h, coincidindo com o horário de abertura das principais bolsas europeias. O horário de negociação é entre as 8:00h e as 16:30h, hora de encerramento.

Cada bolsa tem horários de funcionamento específicos, que podem variar dependendo do país ou região onde está situada. Em geral, as bolsas de valores funcionam de segunda a sexta-feira, e estão fechadas aos fins-de-semana e feriados públicos.

Conhecer as horas de bolsa é importante para os investidores, pois permite-lhes planear as suas operações e tomar decisões de investimento informadas. Num artigo futuro, iremos analisar mais de perto o horário de abertura das principais bolsas mundiais e como estas afectam a negociação dos investidores.

Leia também 👉 Horário Bolsa: a que hora abre e fecha a bolsa?

Explicação dos termos da Bolsa

A bolsa de valores pode ser um mundo confuso, cheio de termos técnicos para pessoas novas no mundo do investimento. A seguir, explicaremos alguns dos termos mais comuns da bolsa de valores de uma forma simples e clara.

  • Índice de ações: Um índice de acções é um indicador que reflecte o desempenho de um grupo de acções na bolsa de valores. O índice de acções é calculado a partir do preço médio das acções incluídas no mesmo.

Leia também 👉 Principais índices mundiais: quais são?

  • Dividendo: Um dividendo é uma parte dos lucros distribuídos por uma empresa aos seus accionistas. O dividendo pode ser em dinheiro ou em ações.

Saber mais 👉 O que são dividendos?

  • Volatilidade: Volatilidade refere-se à variabilidade do preço de um activo financeiro ao longo de um determinado tempo. Um activo financeiro com alta volatilidade pode ter grandes flutuações de preços, enquanto um activo com baixa volatilidade terá flutuações menores.

Leia também 👉 Volatilidade: o que é e como afeta os investimentos

  • Lote: Um lote é o número mínimo de ações que podem ser compradas ou vendidas na bolsa de valores. O tamanho do lote pode variar dependendo da empresa emissora das ações.
  • Oferta e procura: A oferta refere-se à quantidade de um activo financeiro que os vendedores estão dispostos a vender no mercado, enquanto a procura refere-se à quantidade do mesmo activo que os compradores estão dispostos a comprar. O preço do activo é determinado pela oferta e procura no mercado.
  • Trading: O trading é uma actividade financeira que consiste na compra e venda de activos financeiros, tais como acções, moedas ou mercadorias, com o objectivo de obter lucro num curto tempo.
  • Indicadores técnicos: os indicadores técnicos são instrumentos utilizados na análise técnica para ajudar os comerciantes a tomar decisões de investimento no mercado financeiro. Estes indicadores baseiam-se em fórmulas matemáticas e estatísticas que aplicam cálculos diferentes aos dados de preço e volume dos activos financeiros.

Leia também 👉 Análise técnica: tudo o que necessita saber

Estes são alguns dos termos mais comuns da bolsa de valores. É importante que os investidores novatos compreendam estes termos de modo a tomarem decisões de investimento informadas.

Como pode investir na Bolsa?

A bolsa de valores é um mercado onde as ações de empresas cotadas são compradas e vendidas. A negociação é feita através de intermediários financeiros, tais como corretoras, que executam ordens de compra e venda em nome dos investidores.

Para começar a investir na bolsa de valores, a primeira coisa a fazer é abrir uma conta numa corretora de bolsa. Depois de o ter feito, deve transferir dinheiro para a conta e depois decidir em que ações pretende investir.

dois tipos de ordens que pode colocar na bolsa: ordens de compra e ordens de venda. Uma ordem de compra é quando se pede a corretora para comprar uma certa quantidade de ações de uma empresa a um preço específico. Por outro lado, uma ordem de venda é quando se pede ao corretor que venda uma determinada quantidade de acções de uma empresa a um preço específico.

É importante notar que os preços das ações variam constantemente devido a flutuações de mercado e eventos que podem afectar uma empresa específica.

Além disso, existem também outros instrumentos financeiros que são negociados na bolsa, como explicamos anteriormente. Cada um destes instrumentos tem as suas próprias características e factores de risco.

Para terminar esta secção deixamos algumas dicas:

  • Conhecer o básico: Antes de investir na bolsa de valores, é importante que tenha uma compreensão básica dos conceitos financeiros. Deve conhecer termos como ações, índices, dividendos, capitalização bolsista, entre outros.
  • Escolha uma corretora: Uma corretora é um intermediário que lhe permite comprar e vender acções na bolsa de valores. É importante pesquisar e comparar diferentes opções antes de escolher um corretor. Certifique-se de que possui uma plataforma de fácil utilização, taxas razoáveis e uma boa reputação.

Deixamos um artigo que explica o que é uma corretora e como funciona.

  • Definir a sua estratégia de investimento: Antes de investir, deve definir a sua estratégia de investimento. Isto inclui determinar o montante que está disposto a investir, o prazo do investimento e o nível de risco que está disposto a assumir.
  • Diversificar a sua carteira: Para minimizar o risco, é importante diversificar a sua carteira de investimentos. Isto significa investir em diferentes ações de diferentes sectores e empresas. Pode também considerar investir noutros produtos financeiros.
  • Acompanhar a evolução do mercado: É importante estar atento às notícias económicas e à evolução do mercado. Deve estar atento às notícias das empresas em que investiu e às mudanças nos índices bolsistas.
  • Mantenha a calma: A bolsa de valores é um mercado volátil e pode haver altos e baixos. É importante que se mantenha calmo e que não tome decisões impulsivas em tempos de incerteza. Mantenha uma perspectiva a longo prazo e não se deixe levar pelas emoções.

Investir na bolsa de valores pode ser uma opção interessante para aumentar as suas poupanças, mas é importante fazê-lo de forma responsável e informada. Para mais informações leia os nossos artigos:

👉 Como investir na Bolsa de Valores

👉 Como começar a investir do zero?

Devo investir na Bolsa de Valores?

Devo investir na bolsa de valores? Uma pergunta comum que muitas pessoas se colocam quando tomam decisões financeiras. A resposta não é simples e depende de muitos factores, mas aqui estão algumas considerações.

Quando se trata de investir na bolsa de valores, é essencial compreender que existem diferentes prazos em que estes investimentos podem ser feitos: curto, médio e longo prazo.

A curto prazo, os investimentos na bolsa são feitos com o objectivo de obter lucros rápidos num tempo relativamente curto, geralmente de alguns dias a algumas semanas. Os investimentos de curto prazo são mais arriscados devido à volatilidade do mercado e à dificuldade de prever o comportamento das ações num período tão curto.

A médio prazo, os investimentos na bolsa de valores são feitos com o objectivo de obter lucros ao longo de um período de vários meses a alguns anos. Neste tempo, pode haver algumas flutuações no mercado, mas espera-se que a tendência geral seja ascendente.

A longo prazo, os investimentos na bolsa são feitos com o objectivo de obter lucros ao longo de um período de vários anos ou mesmo décadas. Neste tempo, as flutuações do mercado são menos importantes, e o que mais importa é a tendência geral a longo prazo.

Então, deve investir na bolsa de valores? A resposta depende da sua situação financeira e dos seus objectivos a longo prazo. Se tiver um horizonte de investimento a longo prazo e estiver disposto a aceitar algum risco, o mercado de ações pode ser uma boa opção para investir o seu dinheiro e obter rendimentos a longo prazo.

No entanto, se tiver um horizonte de investimento a curto prazo e precisar do dinheiro num futuro próximo, a bolsa de valores pode ser demasiado arriscada. É importante lembrar que a bolsa de valores não é um esquema para ficar rico rápido, mas sim uma forma de investir o seu dinheiro e obter lucros a longo prazo.

Vantagens e Desvantagens de investir na Bolsa

O investimento na bolsa de valores pode ser uma actividade excitante e potencialmente lucrativa para principiantes, mas também pode ter riscos significativos. Aqui estão algumas das vantagens e desvantagens a considerar antes de começar a investir na bolsa de valores.

VantagensDesvantagens
Potencial de lucroRisco de perda
DiversificaçãoVolatilidade do mercado
AcessibilidadeTempo e dedicação

Vantagens

  • Potencial de lucro: a bolsa de valores oferece a oportunidade de ganhos significativos a longo prazo. Através da compra de ações em empresas com bom desempenho, é possível obter rendimentos que excedem as taxas de juro bancárias e a inflação.
  • Diversificação: O mercado de ações oferece uma grande variedade de opções de investimento. Isto permite aos investidores diversificar os seus investimentos e reduzir o risco.
  • Acessibilidade: Com a tecnologia moderna, investir na bolsa de valores é mais acessível do que nunca. Os investidores podem comprar e vender acções através de plataformas online e aplicações de investimento.

Desvantagens

  • Risco de perda: Investir na bolsa de valores tem um risco inerente, e os investidores podem perder dinheiro se os preços das acções caírem. É importante ter uma estratégia de investimento clara e uma boa compreensão do mercado antes de investir na bolsa de valores.
  • Volatilidade do mercado: Os mercados financeiros podem ser extremamente voláteis, e os preços das ações podem flutuar numa questão de minutos ou dias. É importante que os investidores tenham uma boa compreensão da volatilidade do mercado e estejam preparados para lidar com mudanças inesperadas no valor dos seus investimentos.
  • Tempo e dedicação: Investir na bolsa de valores requer tempo e dedicação para conduzir pesquisas, seguir o mercado e fazer negócios. Os investidores principiantes podem precisar de mais tempo para aprender técnicas e estratégias de investimento adequadas.

Em conclusão, investir na bolsa de valores pode ser uma forma excitante e potencialmente lucrativa de aumentar a sua riqueza. No entanto, também comporta riscos significativos. É importante que os investidores novatos estejam dispostos a dedicar tempo e esforço para se educarem sobre o mercado de ações e desenvolverem uma sólida estratégia de investimento antes de começarem a investir. Além disso, é essencial ter o conselho de um profissional financeiro qualificado para ajudar a tomar decisões de investimento informadas.

Guia básico em vídeo sobre como começar a investir

De certeza que ainda tem muitas dúvidas que deve resolver antes de começar a investir. Neste vídeo, encontrará conteúdos do Curso Zero a Investidor da Rankia Portugal, onde Gonçalo Malheiro o guiara pelo mundo dos investimentos em ações.

Não perca o nosso vídeo 👇

Curso: Zero a Investidor
Ler mais tarde - Preencha o formulário para guardar o artigo como PDF

Manual de Bolsa

Este e-book irá ajudá-lo a aprender o que precisa de saber para começar com sucesso nos seus investimentos:

  • Noções básicas financeiras
  • O que é e como funciona o mercado de ações
  • Dicas úteis para investir

Artigos Relacionados

Após dois anos fracos no mercado de IPOs, 2024 acena com um cenário mais otimista para os mercados financeiros. Dive...