Entrar
Acesso
Entrar em Rankia

Bem-vindo à sua comunidade financeira

Informe-se, debata, compartilhe experiências; aprenda sobre como economizar e investir. Faz parte da maior comunidade financeira, já somos mais de 750.000 desde 2003. Você se inscreve?

Ações: o que são, como funcionam e como escolher

Subscrever Newsletter

Selecione os temas de seu interesse e assine nossa newsletter abaixo:

Subscription Type(Obrigatório)

As ações são um dos produtos de investimento em bolsa mais populares, mas antes de começar a investir, temos de ser claros sobre o que são, o que determina o valor de uma ação, e como analisá-las de forma a decidir se compramos ou não ações de uma determinada empresa.

O que são ações?

Uma ação representa uma quota-parte do capital social de uma empresa, entendendo por capital social o valor das entradas dos sócios. Ou seja, as ações conferem ao seu titular a condição de proprietário e, como tal, um acionista tem certos direitos, tais como o direito de voto numa assembleia ou o direito de participar nos lucros.

As empresas cotadas na bolsa têm geralmente o seu capital social dividido num grande número de ações, para que qualquer pessoa possa comprar um certo número de ações na bolsa de valores do país em que está cotada. Ao fazer isso, essa pessoa torna-se proprietária de uma parte (ação) desse negócio. No entanto, a sua percentagem de participação na empresa será provavelmente muito baixa e não terá poder suficiente para impor a sua vontade na gestão da empresa.

Deve tratar o seu investimento em ações como qualquer outro negócio de que seja proprietário. Se confiamos num negócio que funciona e até cresce, porque não tornar-se um proprietário do mesmo? Por outro lado, se tem um negócio onde não tem boas perspectivas para o futuro, a coisa mais lógica a fazer seria vendê-lo, mesmo que isso signifique perder dinheiro, já que poderia perder mais se continuar dentro. No caso das ações, e como veremos mais adiante, o investimento por fundamentos baseia-se, em menor ou maior grau, neste argumento.

De que forma as ações são classificadas?

Quando se trata de ver o tipo de ações, estas são classificadas de diferentes maneiras e de acordo com a sua “função”. Como os seguintes tipos de ações:

  • Ações ordinárias: este tipo de ações que dão direito ao titular das mesmas de participar nos lucros da empresa (ou seja, obter dividendos) e votar nas assembleias gerais da empresa para diferentes questões.
  • Ações preferenciais: equivalente a um valor patrimonial com prioridade sobre as ações ordinárias no pagamento de dividendos. A taxa de dividendo das referidas ações pode ser fixa ou variável e é estabelecida no momento da sua emissão.
  • Ações com direito a voto limitado: tipo de ações que conferem direito a voto em determinados aspectos da sociedade constantes do contrato de subscrição de ações. Além disso, estas ações são preferenciais ou geralmente dão direito a receber um dividendo maior do que as ações ordinárias.
  • Ações conversíveis: tipo de ações que podem ser convertidas em títulos e vice-versa, embora os títulos sejam frequentemente convertidos em ações.
  • Ações da indústria: neste caso, a contribuição dos acionistas é dada pela realização de algum serviço ou trabalho.
  • Ações liberadas: estas ações são emitidas sem que o acionista tenha que pagá-las, uma vez que foram pagas com os lucros ou lucros que o acionista deveria receber.
  • Ação própria: é a ação que pertence à mesma empresa que a emitiu.
  • Ações com valor nominal: são um tipo de ação em que o valor da contribuição aparece numericamente.
  • Ações sem valor nominal: como o próprio nome diz, são ações em que o valor da contribuição não consta, sendo estabelecida a parte proporcional que representa no capital social da empresa emissora.

Leia ainda 👉 Tipos de ações | Ações ordinárias e ações preferenciais

Que direitos conferem as ações?

Ao  comprar ações e se tornar acionistas, acede a uma série de direitos, como os seguintes:

  • Direito de obter uma participação  nos lucros ou benefícios da sociedade, o que lhes confere o direito de cobrar os dividendos distribuídos pela sociedade emitente de ações quando no ano em que assim for estabelecido no seu calendário.
  • Tem direito à informação sobre o estado atual da corporação.
  • Tem o direito de falar e votar na Assembleia Geral de Acionistas para votar determinadas medidas.
  • Tem o direito de decidir transferir as ações.
  • Direito de opção preferencial para subscrição de nova série de ações ou, direito de recebimento de ações liberadas

Leia ainda 👉 Acionista: o que é e como ser acionista de uma empresa

Por que razão as empresas e ações estão cotadas na bolsa?

As empresas, perante a necessidade de financiamento para fazer investimentos ou a necessidade de capital para pagar as dívidas, podem recorrer a uma saída para a bolsa. Para tal, são emitidas e postas em circulação novas ações num mercado regulador. Isto obriga as empresas a tornar públicas as suas contas, para que qualquer potencial acionista potencial tenha toda a informação necessária para valorizar a empresa.

As ações são emitidas pelas empresas como uma forma de angariar capital. O processo de emissão de ações envolve várias etapas, incluindo:

Decisão de emissão: A empresa decide emitir ações como uma forma de financiamento. Isso geralmente ocorre quando a empresa precisa de recursos para expandir os seus negócios, investir em novos projetos, pagar dívidas ou cumprir outras necessidades financeiras;

Tipo de ação: A empresa determina o tipo de ação que será emitida. Isso pode incluir ações ordinárias, ações preferenciais ou uma combinação de ambos. Cada tipo de ação tem características e direitos específicos associados a eles;

Preço e quantidade: A empresa define o preço de emissão das ações, que é o valor pelo qual as ações serão inicialmente oferecidas aos investidores. Além disso, a empresa determina a quantidade de ações que serão emitidas. Essas informações são divulgadas no prospecto da oferta;

Documentação e registo: A empresa prepara a documentação necessária, como o prospeto da oferta, que fornece informações detalhadas sobre a emissão de ações, a situação financeira da empresa, os riscos envolvidos e outros detalhes relevantes. O prospecto é submetido às autoridades reguladoras competentes para registo;

Oferta pública: Após o registo do prospeto, a empresa realiza a oferta pública das ações. Isso pode ser feito através de uma oferta inicial de ações (IPO), na qual as ações são oferecidas ao público em geral, ou por meio de uma oferta subsequente, na qual a empresa emite mais ações após a IPO;

Distribuição das ações: As ações são vendidas aos investidores interessados. Isso pode envolver a participação de intermediários financeiros, como bancos de investimento, corretoras e distribuidoras de valores mobiliários, que ajudam a facilitar o processo de distribuição das ações aos investidores;

Negociação no mercado secundário: Após a emissão e distribuição das ações, elas podem ser negociadas no mercado secundário, como bolsas de valores. Os investidores podem comprar e vender as ações entre si, com o preço das ações a ser determinado pela oferta e procura no mercado.

Para uma empresa, estar cotada na bolsa permite-lhe ser mais visível aos seus possíveis clientes, obter melhores condições de financiamento e um certo prestígio. Para os clientes, fornecedores e investidores de uma empresa, estar cotado na bolsa é uma garantia de transparência e solvência.

Leia também 👉 Tipos de empresas na bolsa de valores

O que saber antes de investir em ações?

Há muita informação agora a circular na internet. Neste artigo queremos fazer um resumo simples e rápido de leitura para que possa aproveitar a máxima: o tempo é dinheiro

Investir em ações é uma das muitas opções para investir seu dinheiro.

As ações são uma forma popular de investimento, mas estão longe de ser a única opção. Dependendo de suas necessidades, receitas e quando precisará aceder o dinheiro, pode tirar proveito de uma variedade de estratégias de investimento diferentes. Isso inclui colocar dinheiro numa conta poupança, comprar imóveis ou investir em títulos, metais preciosos e moeda estrangeira. Todas essas estratégias de investimento envolvem níveis variáveis ​​de risco e retorno.

Investir em ações apresenta riscos substanciais, especialmente no curto prazo.

Embora as ações sejam frequentemente vistas como uma estratégia de investimento segura a longo prazo, nada é garantido. O mercado de ações é volátil, especialmente no curto prazo, e pode oscilar descontroladamente entre os extremos. 

As ações podem valorizar e desvalorizar com base numa série de fatores que afetam a oferta e procura no mercado. Alguns dos principais fatores que influenciam o preço das ações são:

Desempenho financeiro da empresa: O desempenho financeiro de uma empresa é um fator fundamental na determinação do valor das suas ações. Se a empresa apresentar resultados positivos, como aumento de receitas, lucros crescentes ou expansão dos negócios, isso pode levar a uma valorização das ações. Por outro lado, um desempenho financeiro fraco ou resultados aquém das expectativas podem levar a uma desvalorização das ações.

Notícias e eventos corporativos: Anúncios de novos contratos, lançamento de produtos, fusões e aquisições, mudanças de gestão e outras notícias ou eventos relacionados à empresa podem influenciar o preço das ações. Informações positivas ou negativas podem levar a movimentos significativos nas cotações das ações.

Condições macroeconômicas: Fatores macroeconómicos, como taxas de juros, inflação, crescimento econômico e políticas governamentais, podem afetar a confiança dos investidores e o desempenho do mercado de ações como um todo. Mudanças favoráveis nessas condições podem levar a uma valorização das ações, enquanto condições adversas podem levar a uma desvalorização.

Sentimento do mercado: O sentimento dos investidores em relação ao mercado de ações e às perspectivas econômicas pode influenciar o preço das ações. Se os investidores estiverem otimistas e confiantes, isso pode impulsionar a procura por ações e levar a uma valorização. Por outro lado, se existir pessimismo ou incerteza generalizada, as ações podem desvalorizar.

Fatores setoriais e concorrenciais: A dinâmica do setor em que a empresa opera e a concorrência existente também podem influenciar o preço das ações. Mudanças nas tendências do setor, inovações tecnológicas, entrada de novos concorrentes ou mudanças nas preferências dos consumidores podem afetar a perceção dos investidores em relação às perspetivas de uma empresa e, consequentemente, o valor das suas ações.

Abri conta numa corretora

Os investidores geralmente investem em ações através de uma corretora. Para fazer isso, eles devem abrir uma conta e depositar dinheiro. Depois de adicionar dinheiro à sua conta, pode direcionar a corretora para comprar uma determinada quantidade de ações. Uma corretora geralmente cobra uma pequena taxa por esses serviços.

Veja também o nosso artigo 👉 Melhores corretoras de Bolsa

Diferentes corretoras têm diferentes pontos fortes e fracos

Nem todas as corretoras são iguais. Dependendo das suas necessidades de investimento, pode procurar corretoras com diferentes pontos fortes e fracos. Algumas podem ter um serviço de atendimento ao cliente especialmente robusto, enquanto outras podem oferecer taxas baixas (ou mesmo nenhuma). A corretora certa para dependerá dos seus objetivos de investimento e de quanta orientação precisa quando se trata de investir. Não existe uma opção certa para todos os investimentos

Investir todo o seu dinheiro nas ações de uma única empresa é muito arriscado

Pode ser tentador apostar tudo numa empresa jovem e promissora que acha que pode transformar na próxima Apple ou Amazon. No entanto, investir todo o seu dinheiro numa única empresa é uma proposta arriscada. Não há como prever com segurança que empresas terão sucesso da noite para o dia. Se errar, poderá perder parte ou todo o seu investimento.

Distribuir os seus investimentos.

Uma estratégia de investimento comum é investir em muitas empresas diferentes para reduzir o risco. Isso distribui o seu investimento e protege caso as ações de uma empresa desvalorizem muito na bolsa. No entanto, esta estratégia geralmente envolve taxas de corretagem adicionais, o que pode prejudicar os seus retornos no longo prazo.

A maioria das ações pagam os seus dividendo,

Os dividendos são pequenos pagamentos que as empresas distribuem aos acionistas, geralmente trimestralmente. Se possui ações de uma empresa, geralmente terá direito a dividendos. Embora os dividendos geralmente representem uma pequena percentagem do seu investimento geral, eles podem acumular-se significativamente, especialmente se investiu muito dinheiro no mercado de ações. As empresas podem aumentar, diminuir ou eliminar os dividendos, dependendo da sua saúde financeira.

Aprofunde os seus conhecimentos com este artigo sobre: O que são dividendos

Como posso analisar uma ação para investir nela?

O investimento em ações pode ser uma maneira eficaz de expandir o seu património e obter rendimentos potenciais. No entanto, é um processo que exige uma análise cuidadosa e estratégica para maximizar as possibilidades de sucesso. O simples ato de escolher uma ação porque está “’na moda”’ ou porque alguém lhe disse que era uma boa ideia, geralmente não é a melhor abordagem.

A análise de uma ação é um passo fundamental antes de decidir investir nela. Esta análise pode ajudá-lo a entender a saúde financeira da empresa, o seu posicionamento no mercado, e a direção em que está a seguir. Além disso, uma análise cuidadosa pode também permitir-lhe identificar potenciais oportunidades e riscos.

Existem basicamente dois critérios para analisar uma ação:

  • Análise fundamental: A análise fundamental baseia-se em todas as informações postas à disposição do público por uma empresa cotada: contas anuais, relatórios trimestrais, relatórios semestrais, factos relevantes (notícias que a própria empresa pública). Tem também em conta a evolução do sector, as suas perspectivas futuras e a evolução da economia.
  • Análise Técnica: A análise técnica apenas tem em conta o comportamento recente dos preços num gráfico e o número de ações negociadas. Esta informação destina-se a obter uma avaliação da futura direção dos preços. Normalmente, a análise técnica está relacionada com a especulação (investimentos a curto prazo).

De forma a analisar uma empresa e investir nela a médio ou longo prazo, é necessária uma análise fundamental para discernir quais são as empresas adequadas e quais não são. Depois disso, teremos de chegar à conclusão de qual é o preço justo a pagar pelas suas ações e ter uma ideia de quando é que essa ação está a ser negociada cara ou barata. A análise técnica pode ser utilizada para afinar o preço de compra. Por conseguinte, ambos os critérios não são exclusivos no investimento de ações, mas sim compatíveis. A análise fundamental indica que empresa é válida para investir e pode chegar a fazer-nos uma ideia do preço justo de uma ação enquanto a análise técnica serve para decidir o momento do investimento.

Leia ainda 👉 Como analisar uma ação | Guia completa

Preço e valor das ações: qual é a diferença?

Na bolsa de valores, os termos “preço” e “valor” das ações são frequentemente utilizados. Embora pareçam sinónimos à primeira vista, na verdade representam conceitos distintos no mundo do investimento em ações. Compreender a diferença entre os dois é crucial para desenvolver uma estratégia de investimento eficaz e para tomar decisões informadas.

O “preço” de uma ação é o custo atual pelo qual ela está a ser negociada no mercado, influenciado pela oferta e procura, entre outros fatores. Por outro lado, o “valor” de uma ação é mais subjetivo, representando o que a ação realmente vale. Esta avaliação pode ser baseada em diversos fatores como os fundamentos financeiros da empresa, as perspectivas de crescimento, a qualidade da gestão, entre outros.

Nesta secção, aprofundaremos a distinção entre preço e valor das ações.

O que é o valor de uma ação?

De forma simples e direta, o valor da ação é o que o produto tem a oferecer. O valor é algo que chega a ser abstrato, mas está diretamente relacionado com o que a empresa tem a oferecer aos que serão seus acionistas.

São exemplos de itens que valorizam a empresa: as projeções de crescimento, os atrativos, as possibilidades de expansão, a qualidade do produto e a qualidade da gestão.

Aspetos fundamentais que proporcionam boas análises a longo prazo são essenciais e estão relacionados ao valor da empresa. Para um exemplo mais prático: pode também comparar o termo ‘valor’ com a valorização de um imóvel. Quando se adquire um imóvel, é necessário levar em conta a possível valorização dele com o tempo.

Por isso é importante conhecer a vizinhança, verificar a possibilidade de dar algum upgrade ao imóvel, sendo estes pormenores que fazem a diferença, tanto quando o assunto é imóvel ou uma ação na Bolsa de Valores.

O que é o preço de uma ação?

Na diferença entre preço e valor no Mercado de Ações, entender o conceito de preço é um pouco mais simples.

O preço da ação é definido quando o IPO (Initial Public Offering), que é onde a companhia abre o capital da sua empresa, começa a fazer parte da listagem da Bolsa de Valores.

A cotação inicial é definida neste processo para a sua estreia no Mercado. Essa cotação pode ser feita com base no valor das frações existentes, que é a divisão entre o capital social pelo número de papéis. As cotações para definição do preço são ajustadas de acordo com:

  • as condições do mercado, ou seja, se existe procura;
  • no negócio em si, e isso leva em consideração a gestão da empresa (quanto melhor gerido, mais atrativo);
  • nos lucros, ou seja, o mercado procura saber como anda a faturação da empresa nos últimos tempos;
  • proventos (distribuição dos lucros);
  • Endividamento, ninguém quer investir numa empresa com alto endividamento.

O preço é aquele que aparece no Home Broker, que é o principal acesso à Bolsa de Valores.

Lógico que não é possível prever 100% de como o Mercado irá agir perante suas ações, pois ele é dinâmico e, muitas vezes, imprevisível.

Tudo é baseado em projeções e previsões, mas é com base nesses parâmetros que se pode definir o preço de uma ação na Bolsa de Valores.

Não deixe de espreitar o nosso conteúdo sobre: Oferta Pública Inicial (IPO): o que é?

Qual a relação entre preço e o valor das ações?

Pode-se concluir que o preço é o valor da cotação do ativo, ou seja, da fatia da empresa disponível no Mercado de Ações. Valor é aquilo que a empresa tem a oferecer. Entender a diferença é essencial para que  não seja enganado ao entrar no Mercado de Ações. Seja para abrir o capital da sua empresa ou investir na Bolsa, é necessário entender estes termos.

E como se aplica no mercado de ações? Entendendo a diferença entre os dois termos, agora iremos entender como a diferença de preço e valor se aplicam no Mercado de Ações. Quando consegue perceber o Valor, é possível ter o entendimento se o serviço ou produto vale o preço que irá investir, ou, se de fato, a sua expectativa ou necessidade foram realizadas. Toda vez que for pensar em ações na Bolsa, pense no Custo X Benefício, que é a relação direta entre o Preço que se paga e o Valor que a ação possui.  Pode ser que no início isso não seja tão simples como nós fizemos parecer, mas com o conhecimento e a experiência, esse processo vai ficando cada vez mais eficiente e eficaz.

O que determina o valor de uma ação?

Geralmente, os preços no mercado de ações são impulsionados pela oferta e procura. Isso torna o mercado de ações semelhante a outros mercados econômicos. Quando uma ação é vendida, o comprador e o vendedor trocam dinheiro pela propriedade das ações. O preço pelo qual o estoque é comprado torna-se o novo preço de mercado. Quando uma segunda ação é vendida, esse preço se torna o mais novo preço de mercado, etc.

Existem técnicas e fórmulas quantitativas específicas que podem ser usadas para prever o preço das ações de uma empresa. Chamados modelos de desconto de dividendos (DDMs). Estes, são baseados no conceito de que o preço atual de uma ação é igual à soma de todos os seus pagamentos de dividendos futuros (quando descontados de volta ao seu valor presente). Ao determinar a participação de uma empresa pela soma dos seus dividendos futuros esperados, os modelos de desconto de dividendos utilizam a teoria do valor do dinheiro no tempo (TVM).

Em termos simples, a capitalização de mercado de uma empresa é calculada multiplicando o preço das ações pelo número de ações em circulação:

Capitalização de mercado = preço da ação x número de ações em circulação

A capitalização de mercado de uma empresa é estabelecida pela primeira vez num evento denominado oferta pública inicial (IPO). Durante esse processo, uma empresa paga um terceiro (normalmente um banco de investimento) para usar fórmulas e técnicas de avaliação muito complexas para obter o valor de uma empresa. Eles também determinam quantas ações serão oferecidas ao público e a que preço. Por exemplo, uma empresa cujo valor estimado é de 100 milhões de dólares pode querer emitir 10 milhões de ações a 10 dólares por ação.

Depois de uma empresa abre o capital e as suas ações começarem a ser negociadas na bolsa de valores, o preço das ações é determinado pela oferta e procura das suas ações no mercado. Se ocorrer uma elevada procura pelas suas ações devido a fatores favoráveis, o preço aumentará. Se o potencial de crescimento futuro da empresa não parecer bom, os vendedores das ações podem reduzir o preço.

Por exemplo, suponha que a Microsoft (MSFT) está a ser negociada por 71,41$ num determinado dia e tenha 7,7 mil milhões de ações em circulação. Suponha também que a empresa está avaliada em 71,41 $ x 7,7 mil milhões = $550 mil milhões. Se dermos um passo adiante, podemos ver que o Facebook (FB), que tem um preço de ação de 167,40 $ e 2,37 mil milhões de ações em circulação (capitalização de mercado = 396,7 mil milhões de dólares ) vale menos do que uma empresa com um preço de ação de71,41 $ e 7,7 mil milhões de ações em circulação (capitalização de mercado =550 mil milhões de dólares).

Leia ainda 👉 Como calcular o preço médio das ações?”

Como investir em ações

Para investir em ações, temos de abrir uma conta com uma corretora. A despesa de comissões é muito importante e de acordo com o corretor que escolhemos teremos de pagar algumas comissões ou outras. Além disso, muitos corretores cobram comissões por terem uma conta de valores mobiliários aberta. Todas as despesas relacionadas com a compra, venda e manutenção de ações reduzem a rentabilidade final de um investimento, pelo que devemos seleccionar cuidadosamente a que oferece as condições que melhor se adequam ao estilo de investimento que escolhemos.

Critérios a serem considerados ao investir em ações

Basicamente, três critérios devem ser considerados antes de saltar para a piscina da bolsa.

  • Segurança: Que o capital ou parte dele seja devolvido no final do nosso horizonte temporal. Ninguém quer perder dinheiro, o aconselhável é valorizar a empresa antes de investir na mesma. Podemos rever o seu balanço, a sua demonstração de resultados, suas dívidas … antes de fazer qualquer aquisição.
  • Liquidez: Certifique-se de que o capital investido será reembolsado no momento que o investidor assim o desejar. Para fazer isso, verifique a frequência da cotação de um valor ou o volume de negociação diário.
  • Benefício: para ter certeza de que a rentabilidade esperada irá compensar os custos da operação e o preço do dinheiro.

Fatores que podem influenciar o preço das ações

Fatores de não valor

  • Expansão / Depressão Económica: Dependendo do ciclo económico em que estamos, podem existir valores que são afetados ou beneficiados com isso.
  • Volume de poupança e rendimento nacional: Com o volume de poupança referimo-nos à predisposição de cada um para poupar, isto é, o valor relativo que alocam para economizar com respeito à renda. Os países do norte da Europa estão mais dispostos a poupar relativamente aos povos do Mediterrâneo. Com o rendimento nacional referimo-nos ao rendimento que cada indivíduo recebe, quanto maior o rendimento recebido, maiores são os valores que são utilizados ​​para poupar, independentemente da sua percentagem.
  • Despesas públicas / tributação: Quanto maior a despesa pública, maiores as dívidas, assumindo todas as demais variáveis ​​constantes. Por sua vez, provoca maiores tensões inflacionárias, o que levará os investidores a priorizar a renda fixa em acções.
  • Estrutura do mercado: Ao investir, é muito importante que o mercado seja regulador e que transmita confiança.
  • Regulação económica: A mesma premissa também deve ser refletida na própria economia, o país deve refletir a confiança e que instituições como a OCDE, o Banco Mundial ou o FMI podem sempre intervir para garantir a sua supervisão.

Fatores próprios do valor

  • Fatores exógenos: Como as políticas monetárias e políticas fiscais. Entre eles, avaliar o imposto sobre os lucros das empresas, o imposto sobre o rendimento das pessoas singulares, os impostos sobre o investimento, a facilidade de acesso ao crédito pelos bancos … etc.
  • Fatores endógenos: Valor na própria empresa. Dividendos, reservas, ritmo de expansão da empresa, capacidade de inovação, organização, setor de atividade, direção e níveis de endividamento.

Toda a informação explicada será anteriormente aprofundada e complementada à medida que ganhar mais experiência investindo, já que, investir eficientemente não é nada simples.

Para uma visão mais completa, considere ler o nosso artigo sobre 👉 Como comprar ações online Portugal

👉 Como montar uma carteira de ações a partir do zero

Como investir em ações com pouco dinheiro?

Considerando o que foi mencionado no início, é necessário que saiba que, na medida em que investe, pode ganhar, ou seja, é verdade que existem ações baratas que pode comprar, mas lembre-se de que isso oferece uma série de opções muito mais limitada do que para aqueles que têm dinheiro suficiente para investir em ações mais rentáveis.

O facto é que pode investir em ações com pouco dinheiro para começar e, à medida que aprende com o mercado e gera pequenos lucros, pode aumentar o seu capital inicial e reinvesti-lo em outras ações.

Uma das maneiras pelas quais pode investir em ações com pouco dinheiro é através dos fundos de investimento com instrumentos de capitalização. A vantagem de investir num fundo de investimento é que não precisa se preocupar mais do que escolher um fundo de investimento adequado ao seu perfil, o administrador é responsável pelo restante. Esta é uma excelente opção para aqueles com pouco capital, uma vez que o fundo de investimento opera com a contribuição de várias pessoas e ganha proporcionalmente ao seu capital, mas com lucros maiores do que aqueles obtidos com o investimento isolado.

Por outro lado, um dos aspectos que deve levar em consideração ao investir em ações com pouco dinheiro são as comissões que deve pagar à corretora e o facto de poder realmente descontar essa comissão dos lucros que obterá. Por exemplo, imagine que o preço de uma ação na empresa X apresenta um custo de 2.000 $ cada e que a comissão fixa cobrada pela corretora seja de 10.000 $. Se comprar apenas 10 ações, não estará investindo apenas 20.000 $ em ações, mas também terá que pagar o custo da comissão. No final, acaba investindo 30.000 $ e deve obter um pouco mais do que isso para obter algum lucro.

É por isso que oferecemos algumas dicas para investir em ações com pouco dinheiro:

  • Determine quais são as melhores corretoras e, entre elas, escolha aquela com a comissão mais baixa. Isso economizará algum dinheiro.
  • Não invista em ações apenas por terem baixo custo, avalie se realmente é uma empresa que apresentará rentabilidade a médio ou longo prazo.
  • Se deseja começar a investir no mercado de ações, poupe uma quantia de dinheiro para utilizá-lo. Se começar a economizar cerca de 10% do seu salário especificamente com o objetivo de investir, em um ano poderá obter um bom capital inicial. Neste momento, aprenda o que puder sobre o mercado de ações e os mercados financeiros, para que utilize o seu dinheiro muito bem quando terminarem as suas poupanças e começar a investir. Lembre-se de que começar neste mundo não é apenas um investimento de dinheiro, mas também de tempo para aprender.
  • Se é jovem e está apenas a começar a faculdade, projete-se para o futuro. Coloque as suas poupanças num depósito a prazo ou num fundo de investimento de perfil conservador. Dessa forma, ao concluir os seus estudos, terá não apenas as suas poupanças, mas também um pequeno lucro, que aumentará o seu capital para investir no mercado de ações ou em qualquer outro projeto que o/a motive.

Concluindo, é possível investir em ações com pouco dinheiro, o que deve saber é como fazê-lo e pensar muito bem antes de agir. Lembre-se de que, para obter rentabilidade, deve escolher entre as melhores corretores e os que cobram menos comissões, e que é útil planejar e economizar para ter um capital destinado a investir.

Leia também 👉 Como investir com pouco dinheiro?

Ler mais tarde - Preencha o formulário para guardar o artigo como PDF

Manual de Bolsa

Este e-book irá ajudá-lo a aprender o que precisa de saber para começar com sucesso nos seus investimentos:

  • Noções básicas financeiras
  • O que é e como funciona o mercado de ações
  • Dicas úteis para investir

Artigos Relacionados

Após dois anos fracos no mercado de IPOs, 2024 acena com um cenário mais otimista para os mercados financeiros. Dive...

Deixar uma Resposta

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments