Como montar uma carteira de ações

Subscrever Newsletter

Selecione os temas de seu interesse e assine nossa newsletter abaixo:

Subscription Type(Obrigatório)

Investir em ações pode ser uma maneira eficaz de aumentar a sua riqueza ao longo do tempo. No entanto, a compra de ações de uma única empresa pode ser arriscada, pois o seu investimento estará sujeito às flutuações da performance dessa empresa. A solução para esse problema é montar uma carteira de ações.

Uma carteira de ações é uma coleção de ações de diferentes empresas. O propósito de construir uma carteira de ações diversificada é maximizar o retorno do investimento, ao mesmo tempo que se minimiza o risco. A diversificação permite que o investidor espalhe o risco entre várias ações, em vez de depender do desempenho de uma única empresa.

Ter uma carteira de ações bem diversificada é crucial para qualquer estratégia de investimento bem-sucedida. A diversificação não só reduz o risco, como também pode ajudar a aumentar a rentabilidade da carteira. Se uma ação na carteira desvalorizar, a perda pode ser compensada por outras ações que estão a valorizar.

Nas próximas secções, vamos explorar como montar uma carteira de ações que seja diversificada e alinhada com os seus objetivos de investimento e a sua tolerância ao risco.

O que é uma carteira de ações?

As ações da carteira são participações que fazem parte do capital social de uma empresa, adquiridas por uma pessoa singular ou coletiva – tornando-se parte do que é conhecido como uma carteira de investimentos. Do mesmo modo, estas ações da carteira estão divididas em:

  • Ações de acordo com o risco: incluem ações defensivas (tipos de ações de baixo risco, que não pertencem a setores da economia, por exemplo, serviços básicos).
  • Ofensivas: estas são as ações de empresas com resultados voláteis, por exemplo, o setor das comunicações ou do petróleo, com grandes flutuações nas reduções ou aumentos de preços.
  • Pelos direitos que proporcionam: podem ser preferenciais (pagam dividendos numa base ocasional) ou ordinárias (não são obrigados a pagar dividendos, mas concedem o direito de voto na Assembleia Geral).
  • Por valor contabilístico: acima do par (quando o preço da ação é superior ao seu valor nominal), ao par (valor nominal igual ao preço de mercado) e abaixo do par (quando o seu valor é inferior ao seu valor nominal).

Leia também 👉 Ações: o que são, como funcionam e como escolher

Como montar uma carteira de ações a partir do zero?

Quando criamos uma carteira de investimentos, fazemos isso para que as nossas poupanças gerem rentabilidade. O investimento no mercado de ações é comprovadamente o mais rentável a longo prazo, mas também o que sofre mais volatilidade no curto prazo. Como tal, se formos disciplinados e mantivermos a nossa meta de longo prazo, a criação de uma carteira de ações poderá ser a melhor maneira de monetizar as nossas poupanças.

PassosAções
Passo 1Definir o perfil e os objetivos da carteira de investimentos.
Passo 2Diversificar o portefólio.
Passo 3Adaptar o portefólio ao momento do mercado.
Passo 4Custos da carteira.

Etapa 1: definir o perfil e os objetivos da carteira

Para criar uma carteira de ações, o perfil e os objetivos da carteira devem ser definidos, para serem mais adequados ao investidor (proprietário da carteira). O investidor precisa de conhecer o seu perfil de risco e o seu horizonte temporal.

Perfil de risco da carteira

O perfil de risco é geralmente medido pelo binómio retorno / risco. Se tem um perfil mais agressivo, normalmente condicionado por idade e riqueza, terá um portefólio mais arriscado (grandes perdas possíveis) em troca de poder gerar retornos mais elevados (grandes ganhos possíveis). Se tiver um perfil de risco mais conservador, terá um portefólio menos arriscado (pequenas perdas possíveis) em troca de sacrificar maiores retornos futuros (pequenos benefícios possíveis).

Objetivos da carteira

Todo o portefólio deve ter certos objetivos. Os principais a serem definidos são a sua referência e o horizonte temporal. A referência é o índice, ativo ou rentabilidade apropriado com o qual deve comparar a sua carteira para verificar que desempenho tem em termos relativos. Por exemplo, uma carteira focada na preservação de capital, em vez de elevados retornos (perfil de risco conservador) poderia ter um retorno anual da meta de inflação de mais de 2%. O objetivo de uma carteira mais agressiva poderia ser vencer o S&P500.

O outro ponto fundamental é definir o seu horizonte temporal, isto é, saber quanto tempo precisará sem precisar desse dinheiro para ser investido e por quanto tempo precisará tentar alcançar o seu objetivo. Como mencionado no início, o investimento no mercado de ações demonstrou ser o mais rentável a longo prazo. Como tal, quanto maior o seu horizonte temporal, mais possibilidades tem para gerar rentabilidade.

Etapa 2: Diversificação de uma carteira

diversificação da carteira

Independentemente do perfil do investidor, uma boa carteira tem que ter um mínimo de diversificação. Diversificação não é simplesmente adicionar ações de muitas empresas à sua carteira para reduzir riscos – além disso, diversificação excessiva pode ser prejudicial. Pelo que vemos, a diversificação deve considerar aspetos como:

  • Área geográfica e risco cambial.
  • Setor.
  • Tipos de empresas
  • Número de empresas
  • Diversificação temporária, ou seja, para não investir todo o seu dinheiro de uma só vez e fazer isso periodicamente.

Leia ainda 👉 Estratégia de diversificação

Etapa 3: Adaptar a carteira ao momento do mercado

Isso é essencial, pois os mercados são normalmente cíclicos com momentos de alta e baixa. Historicamente, os momentos de alta sempre foram mais prolongados do que de baixa, portanto, investir no mercado de ações a longo prazo é uma boa opção. Portanto, uma carteira de ações deve ser adaptada a cada momento do mercado para ter um melhor desempenho relativo.

Em momentos em que existe um longo ciclo de alta, temos que equilibrar a carteira para pesar mais em ações de empresas defensivas e em liquidez. Após um período de baixa, teríamos que reduzir a liquidez para ponderar mais as ações, e terem um perfil mais agressivo. Essa é uma das atividades mais difíceis de realizar ao gerir uma carteira, é necessário considerar muitos dados macroeconómicos e a experiência do investidor desempenha um papel crucial.

Saber exatamente onde está no ciclo é muito difícil, mas saber em que parte não está não é tão difícil, como tal, é recomendável focar-se na mesma para reduzir os riscos de forma antecipada.

Etapa 4: Custos da carteira

Uma parte que passa muitas vezes despercebida por muitos é o controlo dos custos da carteira, pois, se não os controlar, uma pequena diferença pode causar grandes perdas de rentabilidade a longo prazo. Os principais custos a serem observados são a tributação sobre ganhos de capital e as comissões cobradas por para poder criar uma carteira de ações, como a comissão de compra ou custódia.

Como construir uma carteira de ações vencedora?

Para construir uma carteira de ações vencedora, deve:

  • Definir o seu objectivo
  • Identificar o perfil do investidor: tem a ver com os objetivos que pretende atingir e também com a sua tolerância ao risco.
  • Estudar a dinâmica do mercado: compreender como funciona o mercado ajuda muito a estruturar a sua estratégia e a reduzir a frustração se algo não correr como esperado.
  • Encontre oportunidades de negócio interessantes, de acordo com o seu perfil e objectivos -; utilizando os dados apresentados pelo mercado e analisando o gráfico de preços das ações.
  • Diversificar entre setores, escolhendo ações de empresas de diferentes setores.
  • Monitorize e redefina a estratégia, quando necessário: acompanhe de perto o desempenho da sua carteira de ações. E se algo não correr como esperado, reavalier a estratégia e fazer ajustamentos.

Curso em vídeo: Como criar uma carteira de investimentos diversificada

Se deseja aprofundar ainda mais os seus conhecimentos sobre a construção de uma carteira de investimentos, temos um recurso especial para si. No vídeo abaixo, desvendamos o processo em 5 passos simples, permitindo-lhe criar uma carteira sólida e rentável.

Neste tutorial, abordaremos desde a definição dos seus objetivos até a medição do desempenho da sua carteira. Vai aprender sobre a importância da diversificação, a determinação do seu perfil de risco, e muito mais.

Como acompanhar a minha carteira de ações?

O acompanhamento da carteira é essencial. Existem várias ferramentas para fazer isso e deve escolher a que mais lhe agrada, algumas com simulador de carteiras de ações, que podemos encontrar em corretoras ou diferentes APPs, outras preferem acompanhar nas folhas de Excel. O Google Finance e o Yahoo Finance também são boas opções para se manter-se a paratualizado sobre as ações da sua carteira. No final, é encontrar o que melhor combina consigo.

Deixamos algumas dicas:

  • Utilize uma plataforma de investimento online ou uma aplicação móvel: A maioria das corretoras oferece uma plataforma de investimento online ou uma aplicação móvel que permite acompanhar o desempenho da sua carteira de ações. Estas plataformas fornecem informações em tempo real sobre o valor das suas ações, as mudanças no preço das ações e o desempenho geral da sua carteira.
  • Verifique regularmente, mas não excessivamente: Embora seja importante acompanhar a sua carteira de ações, não é aconselhável verificá-la demasiadas vezes. O mercado de ações é volátil e os preços das ações podem flutuar diariamente. Verificar a sua carteira demasiado frequentemente pode levar a decisões de investimento precipitadas baseadas em movimentos de curto prazo do mercado.
  • Analise o desempenho da sua carteira em relação aos seus objetivos: Ao verificar a sua carteira, é importante focar-se em como está a progredir em relação aos seus objetivos de investimento. Se não estiver a atingir os seus objetivos, pode ser necessário reavaliar a sua estratégia de investimento.
  • Reequilibre a sua carteira conforme necessário: A composição da sua carteira pode mudar com o tempo, à medida que algumas ações se saem melhor do que outras. Isto pode levar a um desequilíbrio na sua carteira que já não se alinha com a sua tolerância ao risco e objetivos de investimento. O reequilíbrio envolve vender algumas ações e comprar outras para restaurar a sua carteira à sua alocação desejada.
  • Reveja o seu plano de investimento periodicamente: Os seus objetivos de investimento e tolerância ao risco podem mudar ao longo do tempo. Portanto, é importante rever o seu plano de investimento periodicamente e fazer ajustes conforme necessário.

👉 Como importar dados de ações do Google Finance em Excel

Como funcionam as carteiras de ações recomendadas

De acordo com a estratégia de atribuição, a carteira recomendada é atualizada com base na análise, que pode ser fundamental ou técnica. No primeiro caso, as questões são analisadas com uma visão de médio e longo prazo, tais como as perspectivas de crescimento das empresas, o segmento operacional e a situação económico-financeira. Por outro lado, a análise técnica é desenvolvida em gráficos e movimentos de mercado visando o curto e médio prazo. Assim, uma vez definidos os ativos da carteira, estes são divulgados aos investidores, geralmente acompanhados de um relatório sobre o desempenho do período anterior e sobre as opções para o presente.

👉 Combinar análise fundamental e técnica para investir

Quais são os riscos potenciais de uma carteira de ações?

Na bolsa de valores, os riscos assumem diferentes formas; são exemplos disso:

  • Risco da empresa 
  • Risco de mercado 
  • Risco de liquidez 
  • Risco de crédito 
  • Risco de taxa de juro 
  • Risco cambial 
  • Risco de inflação 
  • Risco do país.

👉 Riscos de investir na Bolsa

Vale a pena investir em carteiras de ações?

Um dos principais objectivos de uma carteira de ações é a diversificação, ou seja, a distribuição do seu capital por diferentes empresas. Dessa forma, pode ganhar mais do que ganharia se deixasse todo o seu dinheiro na mesma ação. Assim, se tiver uma reserva financeira e o planeamento da sua carteira não tiver nenhuma exposição ao mercado bolsista, perde dinheiro. Mesmo que o seu perfil seja conservador, recomenda-se que reserve pelo menos uma pequena percentagem dos seus investimentos para investir em ações. Portanto, este é um bom momento para investir em ações.

FAQs

Quantas ações devo ter na minha carteira?

Não existe um número fixo de ações que deva ter na sua carteira, pois isso depende da sua tolerância ao risco e dos seus objetivos de investimento. No entanto, é importante ter uma diversificação adequada para minimizar o risco.

Como posso saber se uma ação é de crescimento ou de valor?

As ações de crescimento são geralmente de empresas que se espera que tenham um crescimento acima da média, enquanto as ações de valor são de empresas que parecem estar subvalorizadas no mercado. Analisar os relatórios financeiros das empresas e as suas previsões de crescimento pode ajudar a determinar se uma ação é de crescimento ou de valor.

Devo investir em ações internacionais?

Investir em ações internacionais pode ser uma boa forma de diversificar a sua carteira. No entanto, também apresenta riscos adicionais, como o risco cambial. Consulte um consultor financeiro antes de investir em ações internacionais.

Como posso reequilibrar a minha carteira?

Reequilibrar a sua carteira envolve ajustar a sua alocação de ações para se alinhar com a sua estratégia de investimento. Isto pode envolver a venda de ações que estão a superar o nível definido e a compra de ações que estão a sub-representadas.

O que devo fazer se a minha carteira de ações estiver a perder valor?

Se a sua carteira de ações estiver a perder valor, é importante não entrar em pânico. As flutuações de curto prazo são normais no mercado de ações. Considere a possibilidade de consultar um consultor financeiro para entender as razões por trás da queda e para discutir as possíveis medidas a tomar.

Ler mais tarde - Preencha o formulário para guardar o artigo como PDF

Manual de Bolsa

Este e-book irá ajudá-lo a aprender o que precisa de saber para começar com sucesso nos seus investimentos:

  • Noções básicas financeiras
  • O que é e como funciona o mercado de ações
  • Dicas úteis para investir

Artigos Relacionados

Após dois anos fracos no mercado de IPOs, 2024 acena com um cenário mais otimista para os mercados financeiros. Dive...

Deixar uma Resposta

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments