Entrar Criar conta
Acesso
Entrar em Rankia

Bem-vindo à sua comunidade financeira

Informe-se, debata, compartilhe experiências; aprenda sobre como economizar e investir. Faz parte da maior comunidade financeira, já somos mais de 750.000 desde 2003. Você se inscreve?

Dividendos: o que são e como funcionam

Subscrever Newsletter

Selecione os temas que lhe interessa e personalize a sua experiência no Rankia

Enviaremos uma Newsletter cada quinze dias com as novidades de cada categoría que escolheu


Quer receber notificações dos nossos eventos/webinars?


Existem duas formas de ganhar dinheiro através da compra de ações: ganhos de capital e dividendos, sendo este último uma forma de rendimento passivo da detenção de acções de uma empresa. Mas o que são exactamente dividendos, quando compro as acções para receber o dividendo, posso recolher o dividendo e depois vender, que direitos tenho como accionista? Aqui estão algumas das perguntas mais frequentes, esperamos que as ache úteis!

O que são os Dividendos?

O dividendo é a parte dos benefícios da empresa entrega aos seus acionistas de forma a dar uma retribuição ao investidor pelo capital investido. Esta remuneração ao investimento é concedida na proporção do montante das ações detidas com recursos provenientes dos lucros da empresa durante um determinado período e pode ser entregue em dinheiro ou em ações.

Todos os anos, na Assembleia Geral de Accionistas é determinado se os dividendos serão distribuídos. Quando se decide não declarar dividendos, os dividendos serão iguais a zero. Enquanto que se os dividendos forem declarados, o seu valor dependerá do que for decidido na Assembleia, em função dos lucros da empresa e das reservas que esta tiver. Muitas das empresas que já estão estáveis reinvestem uma percentagem destes lucros e pagam o resto sob a forma de dividendos, quer em dinheiro, quer em ações.

Que direitos têm os dividendos?

Uma ação é uma parte do capital de uma empresa. Deter essa ação permite obter direitos tanto políticos (votos nas assembleias de acionistas), como económicos (participação nos benefícios da companhia), a representação destes direitos económicos conhecem-se como dividendos.

Que tipo de dividendos há? Ordinários e extraordinários

Principalmente dois tipos de dividendos: os extraordinários e os ordinários, os dividendos ordinários referem-se aos benefícios de um exercício, por exemplo uns dividendos a conta do exercício 20XX. Também estão os dividendos extraordinários se repartem sem ter relação com as contas do exercício, senão por algum facto extraordinário; por exemplo a venda de uma filial ou uma parte da empresa.

Tipo de dividendo Definição Exemplos
Dividendos ordinários Jornais, derivados dos lucros da empresa durante um ano ou período específico. Repsol, Telefónica, Naturgy, Acerinox
Dividendos extraordinários Sem relação com benefícios. Eles são entregues devido a um evento incomum. Inditex (cancelado em 2020)

Se classificados pelo método de distribuição, os dividendos são classificados como:

  • Dividendos por conta:  São aqueles que são pagos em dinheiro ao acionista diretamente em sua conta de corretagem.
  • Dividendos em ações: São  aquelas distribuições que não são feitas em dinheiro, mas em ações.

O que é um dividendo flexível (scrip dividends)?

Um dividendo flexível é uma forma de remuneração accionista que se caracteriza pelo facto de ser oferecida aos accionistas a opção de receberem a distribuição de lucros aprovada pela assembleia de accionistas em dinheiro ou acções (este tipo de dividendo é considerado um aumento de capital).

Os accionistas que optarem por receber acções da empresa não serão sujeitos a retenção na fonte, uma vez que a venda dos direitos recebidos quando uma empresa aumenta o seu capital reduz o capital da empresa. Recolher dividendos é recolher rendimentos, mas vender direitos é vender parte do capital. O capital próprio do investidor é reduzido.

Quem tem direito a cobrar os dividendos?

Todo aquele que possua ações até ao ex date. O Ex-date é uma classificação em negociação de ações que indica quando um dividendo declarado pertence ao vendedor e não ao comprador. O termo significa literalmente “sem o dividendo” porque uma vez que uma ação é negociada ex-dividendo, o comprador não tem mais o direito de receber o dividendo mais recentemente declarado.

Por exemplo se a empresa distribui dividendos no dia 19, seria suficiente ser proprietária das acções no dia 18. Embora existam algumas empresas que não utilizam este sistema de distribuição: este é, por exemplo, o caso de Arcelor Mittal, como se pode ver no seguinte quadro resumo:

Ex date Tipo Montante em dinheiro Data da declaração Data de registo Data de pagamento
16/05/2019 Dinheiro 0,17 17/05/2019 13/06/2019
16/05/2018 Dinheiro 0,085 15/03/2018 18/05/2018 13/06/2018
07/05/2015 Dinheiro 0,17 15/05/2015 11/05/2015 15/06/2018
12/05/2014 Dinheiro 0,17 21/05/2014 14/05/2014 15/07/2014
10/05/2013 Dinheiro 0,17 21/06/2013 14/05/2013 15/07/2013

Leia ainda: Como calcular os dividendos?

Há algum mínimo para cobrar os dividendos?

Não há nenhum mínimo, economicamente falando quanto seja possuidor de uma ação terá direito à cobrança dos dividendos que essa ação gere, outra coisa totalmente diferente são os direitos políticos, que sim que pode ter mínimos para ir a uma assembleia de acionistas. Quando são procedentes de distribuição de ações próprias, não é uma remuneração, e até se vai diminuir a percentagem que se tinha da empresa antes da mesma distribuição.

Quando se reparte os dividendos?

Isto depende da empresa. Há companhias que repartem dividendo uma vez por ano, outras que o fazem a cada trimestre (tipicamente as americanas). O que sempre fazem é o anunciar anteriormente.

Quando se trata de saber quando as empresas irão pagar dividendos, é necessário saber a que se referem as datas seguintes:

  • Data de anúncio dos dividendos: Esta é a data em que o Conselho de Administração anuncia o montante do dividendo.
  • Data ex-dividendo: Uma vez que a compra de acções pode demorar algum tempo a limpar, a data de registo é precedida por um ponto de corte de cerca de dois a três dias para evitar quaisquer problemas relacionados com a posse de acções. Nesta data, o investidor deve ser proprietário das acções para poder receber dividendos na distribuição seguinte. Assim, como proprietário incluído, após a data de não-dividendo o accionista pode vender as acções e ainda assim receber os dividendos.
  • Data de registo: Nesta data, a empresa determina oficialmente quem serão os accionistas ou proprietários qualificados.
  • Data de pagamento: Nesta data, os dividendos são pagos aos accionistas. Entre a data do ex-dividendo e a data de pagamento, podem decorrer diferentes períodos de tempo de empresa para empresa.

Melhores Corretoras para investir em dividendos

Agora vamos a ver quais são as melhores corretoras para investir em dividendos.

Comissões 0%
Ações e ETFs
ETFs
Grátis
Com mais de
1.5M de clientes

Que relação há entre a cotação de uma ação e os seus dividendos?

Praticamente todos os índices, são um ex-dividendo. Isto significa que o dividendo se desconta do preço de cotação no dia que é distribuído, é algo muito lógico, já que esse dinheiro já não pertence à empresa e por tanto não deve fazer parte da sua capitalização.

Para que se entenda melhor, ponho um exemplo:

A empresa anterior que distribui dividendos no dia 19, fecha no dia 18 a 12,20€ e distribui um dividendo de 0.20€ por ação. No dia seguinte abrirá com uma redução de 0.20€ no preço das ações, o que quer dizer que se não tivesse mudanças no dia 19 abriria a 12€. Por este motivo não é muito efetiva a estratégia muitas vezes pensada por um investidor de comprar as ações um par de dia antes e vender no dia da distribuição, já que esta estratégia não contribui rentabilidade extra.

Como e quando os dividendos das ações são pagos?

Os dividendos geralmente são pagos em dinheiro, mas também podem ser pagos em ações adicionais. A prática padrão para pagamento de dividendos é em dinheiro que é geralmente enviado aos acionistas alguns dias após a data ex-dividend –  a data em que a ação começa a ser negociada sem o dividendo anteriormente declarado.

O método alternativo de pagamento de dividendos é na forma de ações adicionais. Essa prática é conhecida como reinvestimento de dividendos e geralmente é oferecida como uma opção de pagamento de dividendos por empresas individuais e fundos de investimento. Dividendos são rendimentos tributáveis independentemente da forma em que são pagos.

Principais etapas do processo de distribuição de dividendos

  • conselho de administração de uma empresa pode optar por pagar dividendos a todos os acionistas ordinários num processo que envolve várias etapas importantes.
  • Na data da declaração, o Conselho de Administração anuncia o dividendo, o valor do dividendo, o record date e a data do pagamento.
  • O record date é o dia em que deve estar nos balanços da empresa como acionista para receber o dividendo declarado.
  • Compre as ações antes da data ex-dividendo e receberá o dividendo. Comprá-lo na data ex-data ou depois dela e não compra – o vendedor da ação a recebe.
  • A data do pagamento é quando a empresa paga o dividendo declarado. Somente os acionistas que possuem as ações antes da ex-data recebem o dividendo.

Quando esperar um pagamento de dividendos em ações

Se um dividendo é declarado, os acionistas são notificados por meio de comunicado à imprensa e as informações são geralmente relatadas nos principais serviços de cotação de ações para facilitar a consulta. Este é o primeiro passo do processo, chamado declaration date.

No momento da declaração, um record date ou data de registo é definida, o que significa que todos os acionistas registrados nessa data têm direito ao pagamento de dividendos. O dia seguinte à data do registro é denominado ex-date ou data em que as ações começam a ser negociadas ex-dividend. Isso significa que um comprador ex-date está comprando ações que não têm direito a receber o pagamento de dividendos mais recente. A data de pagamento segue normalmente cerca de um mês após a data do registo.

Como são tributados os dividendos?

São tributados a uma taxa de 35% os:

  • rendimentos cuja fonte se situe num paraíso fiscal;
  • rendimentos pagos em contas “jumbo”.

Os restantes rendimentos de capitais são tributados a uma taxa de 28%, sujeitos a retenção na fonte.

O englobamento é facultativo para os sujeitos passivos residentes em Portugal, sendo o rendimento tributável reduzido em 50% relativamente a lucros distribuídos por entidades residentes em Portugal ou noutros Estados-Membro da UE desde que preencham os requisitos e condições estabelecidos no artigo 2.º da Diretiva n.º 90/435/CEE, de 23 de julho (Diretiva Mães-Filhas).

Dividendos: Vantagens e inconvenientes

As contribuições da compra de ações que distribuem dividendos nos mercados de ações são um fator muito atraente para muitos dos investidores que confiam suas economias à ações e, embora suas vantagens já tenham sido expostas, não é aconselhável não rejeitar os danos que se originam entre quem seleciona essa estratégia de investimento. Em primeiro lugar será necessário apontar quais vantagens são adquiridas em sua contratação, e que basicamente seriam as seguintes:

  • Pode-se compensar suas perdas com um pagamento regular a cada ano, e isso até leva os poupadores a ganhar dinheiro usando o pagamento de dividendos, mesmo perdendo valor na cotação.
  • É uma maneira de formar uma renda fixa dentro uma renda que à primeira vista é variável (ações), para proporcionar mais segurança para poupanças investidas, e, incidentalmente, tirar proveito de possíveis aumentos nos mercados de ações.

Pelo contrário, deve ter em mente que a contratação desses títulos envolvem uma série de riscos que não devem ser minimizados em qualquer circunstância, e que deixaria essas premissas:

  • Limitam significativamente o campo de atuação das ações, afastando-se provavelmente de outras ações que possam apresentar um importante potencial de reavaliação nos próximos meses, mas sem distribuir dividendos.
  • é deduzido do preço, e embora seja normal para recuperar seus preços dentro de algumas semanas, não é de excluir que este movimento custa mais tempo do que o habitual e as perdas são importados para a operação comercial.
  • Nos casos em que a remuneração é pouco alta, inferior a 3%, e não vale optando na contratação, provavelmente haverá mais a perder do que ganho, por ter uma remuneração irrelevante.
Vantagens Desvantagens
Não precisa de muita experiência em mercados financeiros Não depende 100% de si
 Disponibilidade de fluxo de caixa É difícil uma empresa durar centenas de anos
Depende apenas do Lucro da Empresa  Paga impostos anualmente sobre ganhos de capital de dividendos
Estratégia de longo prazo e calma
Menor volatilidade

É aconselhável comprar ações só pelo seu dividendo?

As ações com dividendos são particularmente adequados para investidores com perfil mais defensivoprocurando o longo prazo e, portanto, pode ter todos os anos de algumas contribuições económicas regularmente e de forma independente da evolução das ações nos mercados bolsas de valores. Além disso, naqueles casos em que eles são deficientes e não desejam vender as suas ações, eles sempre receberão retornos que podem minimizar as possíveis perdas na sua carteira de títulos.

Pelo contrário, ir por esta estratégia pode não ser a melhor opção para quem procura retornos rápidos como eles procuram para fazer ganhos em um alguns dias e esta estratégia de negociação não é a melhor maneira de obter porque pode levar muitos dias, até semanas, até que eles recuperem o valor investido. No outro lado não é uma prática bastante comum entre os traderes que tem posições longas (compra) semanas antes do pagamento de dividendos, e tirar proveito de eventuais aumentos que podem gerar ações para vender os dias antes do seu pagamento.

Por outro lado, um erro grave que os pequenos investidores enfrentam quando recorrem a esse tipo de títulos pelo simples facto de distribuírem dividendos, sem analisá-los adequadamente, é que eles podem desenvolver uma tendência de quedas que prejudique os seus objetivos. E, como consequência, não olhe para outras empresas – que sem distribuir dividendos – mostre um aspecto técnico impecável que convide as suas compras.

Por que existem empresas que não pagam dividendos?

Como regra geral, os investidores dão mais valor às empresas com fortes distribuições de dividendos, isso porque preferem uma certa rentabilidade, no momento, do que uma possível mais-valia, futura e incerta. Sendo assim, por que existem empresas que decidem não distribuir dividendos? Pode ser devido a diferentes razões, seu tamanho, oportunidades de investimento, setor em que atua.

Fundamentalmente, o facto de uma empresa não distribuir dividendos se deve ao fato de precisar de recursos para desenvolver seus projetos. Se o fizesse através de aumentos de capital, isso implicaria despesas adicionais, o que as tornaria menos lucrativas.

Não distribui dividendos, como isso afetará o valor da empresa?

Isso dependerá principalmente do que é feito com o benefício retido, se a empresa deseja aumentar seu valor de longo prazo, deve desenvolver projetos de investimento, rentáveis, com VAL positivo (NPV em inglês). Obtenção de maior rentabilidade do que o investidor médio poderia obter no mercado.

Dependerá também do setor, se é um setor em crescimento, os acionistas esperam ganhos de capital porque confiam no crescimento futuro da empresa, através de decisões corretas de investimento, portanto um aumento na distribuição de dividendos seria considerado um aspecto negativo ao avaliar a empresa.

O melhor exemplo de uma empresa atual com uma política de reinvestimento que agrega valor à empresa seria a Berkshire Hathaway, liderada por Warren Buffett, que cresceu 19,9% nos últimos 40 anos, graças a boas decisões de investimento. O mesmo exemplo seria o caso da Microsoft, ou mais próxima da Inditex, que, apesar de ser uma das empresas com menor rendimento de dividendos, obteve uma rentabilidade média nos últimos anos muito superior à do PSI 20.

Quando vamos escolher empresas que não distribuem dividendos?

Essa decisão será determinada por três fatores, o horizonte de tempo, o montante disponível para investimento e, conforme já explicado, eles são bem administrados, ou seja, obtêm VAL positivos dos seus investimentos.

Se o investimento for feito no curto prazo, é possível que as mais-valias obtidas como resultado desse reinvestimento não sejam recebidas e, portanto, preferimos obter o dividendo garantindo essa rentabilidade. No caso de ser de longo prazo, o aumento ocorreria e poderia ser mais rentável.

A partir de 2015, após a reforma tributária e a perda da isenção de 1.500 € na distribuição de dividendos, tanto pequenos como grandes investidores provavelmente preferem não receber dividendos, pelos quais devemos pagar impostos no momento, e pagá-los em o tempo de amortização quando obtivemos o aumento de património esperado.

E finalmente, escolheremos empresas que não distribuam dividendos, desde que os investimentos que eles fazem com lucros retidos agreguem valor, confiemos no setor e, em sua equipa de gestão, muitas vezes essa parte passe despercebida, mas é disso que a empresa depende , a parte que toma as decisões e, portanto, da qual depende o curso disso.

Vale a pena os dividendos?

As ações com dividendos estão especialmente indicadas para os investidores de perfil mais defensivo, que olham mais ao longo prazo, e que desta maneira podem dispor todos os anos de umas contribuições económicas de forma regular e independentemente da evolução das ações nos mercados bolsistas.

É mais, nos casos em que estes se encontrem em menos valias para si e não desejem vender as suas ações sempre reportar-lhes-á uns benefícios económicos que possam minimizar as possíveis perdas da sua carteira de valores. Pelo contrário, ir a este pagamento pode que não seja a melhor das opções nos casos em que os seus titulares queiram fazer operações rápidas, já que procurarão realizar mais valias em poucos dias e esta estratégia bolsista não é a melhor maneira para o conseguir já que pode passar muitos dias, inclusive semanas, até que recuperem o seu preço de cotação.

Por outro lado, há uma prática bastante usual entre os investidores que consiste em tomar posições (compra) semanas antes da distribuição do dividendo, e aproveitar as possíveis subidas que possam gerar as ações para as vender nos dias prévios ao seu pagamento.

Por outro lado, um erro grave que os pequenos investidores enfrentam quando se dirigem a esse tipo de títulos pelo simples fato de distribuírem dividendos, sem analisá-los adequadamente, é que eles podem desenvolver uma tendência de quedas e prejudicando os seus interesses. E, como consequência, não olhe para outras empresas – que sem distribuir dividendos – mostre um especto técnico impecável que convide suas compras.

Ler mais tarde - Preencha o formulário para guardar o artigo como PDF
Consent(Obrigatório)

Artigos Relacionados

O ano de 2022 foi o ano em que a inflação deixou de ser um conceito teórico e abstrato perdido nos velhos livros de economia para  passar a ser uma realidade diária que penaliza diretamente as  poupanças e o...

Deixar uma Resposta

guest
1 Comentário
Mais recente
Mais antigo Mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Antonio Soares Carvalho
Convidado

Boa tarde
Sou um pequeno acionista que pretende tirar algum partido da possibilidade financeira que tenho. Por exemplos que tive verifico que as ações antes alguns dias da data do ex-dividendos tem uma tendência a subir, assim como quase na generalidade descem após pagamento dos dividendos, mas que ao longo do tempo sobem salvo qualquer entrave. Assim e como diz no seu artigo é de toda a conveniencia alongar o tempo das ações.
Obg. e cumprimentos