Como investir em ETFs?

Subscrever Newsletter

Selecione os temas de seu interesse e assine nossa newsletter abaixo:

Subscription Type(Obrigatório)

Tem interesse em aprender sobre como investir em ETFs? Este tipo de investimento tem-se tornado cada vez mais popular nos últimos anos, graças à sua diversificação, facilidade e acessibilidade. Os ETFs, ou fundos negociados em bolsa, permitem-lhe investir numa grande variedade de ativos.

Neste artigo, vamos mostrar-lhe as bases de como investir em ETFs, os factores a considerar e os passos para iniciar a sua própria carteira diversificada de investimentos.

O que é um ETF?

Os ETFs (Exchange Traded Funds) são fundos de investimento geridos passivamente que visam replicar um índice de mercado.

Vamos explorar um pouco melhor esta definição para de forma mais fácil o seu significado.

Um fundo de investimento é um cesto, um contentor, que lhe permite comprar vários títulos com um único instrumento financeiro.

A gestão passiva visa alcançar o desempenho do mercado com o objetivo de replicar o índice de referência.

ETFs vs fundos de investimento: qual é melhor?

Uma dúvida comum é como os ETFs diferem dos fundos de investimento, já que o princípio básico é o mesmo.

A principal diferença entre esses dois tipos de veículos de investimento é como os compra e vende. Os fundos de investimento são cotados uma vez por dia, e normalmente investe uma determinada quantia em dólares. Os fundos de investimento podem ser adquiridos através de uma corretora ou diretamente a partir do emissor, mas o ponto chave é que a transação não é instantânea.

Por outro lado, os ETFs são negociados como ações nas principais bolsas, como a NYSE e a Nasdaq. Em vez de investir uma determinada quantia em dólares, escolhe quantas ações deseja comprar. Como são negociados como ações, os preços dos ETFs flutuam continuamente ao longo do dia de negociação, e pode comprar ações de ETFs sempre que o mercado de ações estiver aberto.

Leia ainda 👉 O que é um fundo de investimento e como funciona?

De quanto dinheiro precisa para poder investir em ETFs?

Os ETFs não têm requisitos mínimos de investimento – pelo menos não no mesmo sentido que os fundos de investimento. No entanto, os ETFs são negociados por ação, portanto, a menos que a sua corretora ofereça a capacidade de comprar ações fracionadas, precisará de pelo menos o preço atual de uma ação para começar.

Rentabilidade dos ETFs

Falar sobre o desempenho dos ETFs não é muito correto, pois são apenas recipientes que replicam um determinado índice de mercado.

Para compreender o seu rendimento, é, portanto, necessário analisar a referência subjacente.

A referência, contudo, difere para cada ETF, pelo que é impossível ter uma resposta inequívoca a esta questão.

Uma coisa que todos os retornos têm em comum, contudo, é que serão líquidos dos custos de gestão cobrados pelo emissor.

Se, por exemplo, num ano, o índice em que investimos tivesse retornado 5% e o ETF tivesse um TER de 0,3%, o retorno líquido seria de 4,7%.

A maior variável que influencia o retorno é certamente o tipo de classe de ativos subjacentes.

A razão risco/retorno aplica-se, quanto maior for o risco, maior será o potencial de retorno e vice-versa.

O mercado de ações tem uma relação risco/retorno mais elevada do que o mercado obrigacionista, vejamos alguns exemplos:

  • S&P500 ao longo dos últimos 30 anos tem retornado 10,30%/ano em média;
  • O MSCI World ao longo dos últimos 30 anos retornou em média 8,75%/ano;
  • A carteira 60/40, composta por 60% em ações e 40% em obrigações, tem retornado 8%/ano em média.

Onde investir em ETFs?

A melhor maneira de investir em ETFs é utilizar corretoras ou bancos online que oferecem taxas muito mais baratas.

Deixamos algumas das melhores corretoras:

CaracterísticasXTBInteractive BrokersFreedom24
Comissões0€A partir de 0 USD
para ETFs dos EUA
A partir de 0,008€ por ETF
+ 1,2 por ordem
Número de ETFs+300+3.000+1.500
ReguladorKNF e registada na CMVM e FCASEC, FINRA, NYSE, FCA e muitas outras agências regulatóriasCySEC
Depósito0€0€0€
Saber maisSaber maisSaber mais

O conteúdo deste artigo é meramente informativo, e de forma alguma são recomendações de investimento.

Como comprar ETFs online

Comprar um ETF online é muito simples, uma vez compreendidos os 3 métodos de compra mais populares.

Ordem de mercado

Uma ordem de mercado é uma instrução dada à corretora para comprar ao melhor preço atualmente disponível. A ordem será executada de imediato. O preço será influenciado pelo spread, o diferencial entre o preço de compra e venda, influenciado pela liquidez do instrumento. Quanto mais baixo o spread, melhor o preço.

Se um ETF faz uma cotação a 100 euros e coloca uma ordem de mercado, irá comprá-la, por exemplo, a 100,10 euros devido ao spread.

Ordem limite

Uma ordem limite é uma instrução dada a corretora para comprar a um preço mais baixo no caso de uma compra ou a um preço mais alto no caso de uma venda. A ordem será executada numa data posterior, quando o preço atingir o preço limite que lhe foi indicado.

Se um ETF cotar a 100 euros e o cliente colocar uma ordem limite a 98 euros, a sua ordem só será executada quando o preço da ETF tocar 98 euros.

Ordem recorrente

A ordem recorrente não é mais do que um PAC automático que, no entanto, não está disponível em todas as plataformas.

Permite-lhe introduzir o montante a ser investido e a frequência, por exemplo, 100 euros por mês no ETF que reproduz o S&P500.

Vamos tentar compreender com mais detalhe o que é um PAC e que outras estratégias de investimento podem ser feitas com ETFs.

Estratégias com ETFs: PICs e PACs

Comecemos pelo PAC.

O PAC (plano de acumulação de capital) é uma estratégia de investimento que consiste em investir a mesma quantidade de dinheiro em entradas fracionadas a intervalos regulares.

Serve para acumular dinheiro numa base periódica e contínua.

Especialmente útil para quem começa do zero, só pode investir pequenas quantias mensais e ter um horizonte a longo prazo.

O PIC (plano de investimento de capital), por outro lado, é uma estratégia de investimento que consiste em investir de uma só vez uma determinada quantia de dinheiro.

É utilizado para criar uma carteira de investimentos através de uma compra única.

Útil para aqueles que têm dinheiro, querem diversificar os seus activos e/ou obter um rendimento periódico a partir de cupões e/ou dividendos e apresentam horizonte temporal variável.

PAC e PIC também podem ser utilizados simultaneamente, pelo que um não exclui o outro.

Estratégias de curto prazo com ETFs: ETFs inversos e ETFs alavancados

Existem outras estratégias de investimento, ETFs invertos e alavancados, que só devem ser utilizados a curto prazo.

Os ETFs curtos permitem-lhe apostar no lado negativo, pelo que ganha dinheiro se o preço descer.

Os ETFs alavancados permitem-lhe investir no índice subjacente exponencialmente, amplificando o seu desempenho tanto em direcções positivas como negativas.

Neste caso, a relação risco/retorno aumenta consideravelmente.

Como escolher um ETF

A escolha do ETF é a etapa final do planeamento financeiro. A resposta a “que ETF comprar?” só deve vir no final de um processo de consciencialização financeira onde se define o perfil de risco, os objectivos financeiros e o horizonte temporal.

O aconselhamento financeiro independente visa um planeamento financeiro global, a escolha dos ETFs só deve ser feita no final deste caminho.

A avaliação da escolha de um ETF depende subjectivamente dos factores-chave que acabei de mencionar, mas também de uma série de elementos técnicos que apenas enumerarei a seguir:

  • alocação de ativo;
  • avaliação de referência;
  • utilização das receitas;
  • modo de replicação;
  • cobertura cambial;
  • custos de gestão;
  • liquidez;

Se quer aprender como escolher um ETFs passo a passo leia o nosso artigo: como escolher um ETF.

Tributação dos ETF

Por último, mas não menos importante, a tributação. Os ganhos de capital gerados pelos ETFs são considerados rendimentos de capital e, como tal não podem ser compensados com perdas de capital anteriores, caso não opte pelo englobamento.

Os ETFs transacionam na bolsa como se fossem ações por isso a sua fiscalidade é igual a estas.

Vantagens e desvantagens de investir em ETFs

Como dissemos ao principio os ETFs (Exchange-Traded Funds) são um tipo de fundo que é negociado numa bolsa como uma ação individual.

As vantagens de investir em ETFs incluem uma maior diversificação e facilidade de utilização em comparação com a compra de ações individuais, bem como um baixo custo de gestão e uma liquidação fácil. Contudo, existem também desvantagens, tais como o risco de mercado e a possibilidade de custos ocultos, que podem afectar o retorno do investimento.

De seguida, explicamos com mais detalhe as vantagens e desvantagens de investir em ETFs.

Vantagens de investir em ETFs

  • Conveniência. Apresenta, gestão muito baixos, o TER médio (Total Expense Ratio) é de 0,33%, 10 vezes inferior aos fundos de gestão ativa. O seu custo pode variar entre 0,05% e 0,85%;
  • Transparência. A replicação da referência é fiel e pode ser verificada muito facilmente a partir dos sítios web oficiais dos emitentes;
  • Conveniência. É possível investir pequenas quantias, na verdade, muitas delas são ideais para PACs (Planos de Acumulação de Capital);
  • Flexibilidade. São cotados na bolsa em tempo real durante cerca de 8 horas por dia, 5 dias por semana. Quando o mercado está encerrado, é possível colocar ordens limitadas;
  • Diversificação. Permitem comprar diferentes classes de ativos por setor, geografia, emissor…
  • Segurança. Está protegido de um possível incumprimento do emitente porque não existe risco de emissão.

Desvantagens dos ETFs

  • Risco de mercado: Como qualquer outro investimento na bolsa de valores, os ETFs estão expostos ao risco de mercado.
  • Custos ocultos: Alguns ETFs podem ter custos ocultos, tais como taxas de subscrição ou de resgate, que podem reduzir o retorno do investimento.
  • Efeito de seguimento: Os ETFs podem não seguir perfeitamente o índice subjacente, o que pode resultar numa diferença nos retornos.

Vale a pena investir em ETFs?

  • Já discutimos os custos de gestão acima referidos.
  • Variam entre 0,05% e 0,85% com uma média de 0,33%, dependendo do tipo de ETF com que se investe.
  • As comissões, por outro lado, são ainda mais variáveis porque dependem do banco ou da corretora utilizado para a negociação.
  • Alguns dos bancos mais tradicionais nem sequer permitem a compra de ETFs.
  • Outros permitem isto, mas com custos muito elevados que excedem 10/15 euros por execução, se, por exemplo, investir 1.000 euros e pagar 10 euros de comissão, o que significa que se come 1% em custos evitáveis.

Disclaimer: Este artigo não deve ser considerado aconselhamento de investimento. É meramente informativo e educacional.

Ler mais tarde - Preencha o formulário para guardar o artigo como PDF

Artigos Relacionados

O sector da saúde tornou-se um dos mais dinâmicos e de maior crescimento no panorama global de investimentos. Impulsionado por avanços contínuos em biotecnologia, farmacêutica, tecnologia médica e serviços d...
Neste artigo veremos uma abordagem aos melhores fundos de ações com as melhores rentabilidades a 3 e 5 anos, separado...
Um PPR (Plano Poupança Reforma) é um produto de poupança ou investimento direcionado para o longo prazo e, tal como o...

Deixar uma Resposta

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments