O que são as Ofertas Públicas? - Rankia Portugal
Entrar Criar conta
Acesso
Entrar em Rankia

Bem-vindo à sua comunidade financeira

Informe-se, debata, compartilhe experiências; aprenda sobre como economizar e investir. Faz parte da maior comunidade financeira, já somos mais de 750.000 desde 2003. Você se inscreve?

O que são as Ofertas Públicas?

ofertas públicas

O que são ofertas públicas? já deve ter ouvido falar que uma empresa está “abrindo seu capital” não é mesmo? Mas afinal sabe o que é isso? Como esse processo acontece? Existem etapas a serem seguidas para que isso aconteça? Essas são perguntas comuns na cabeça de nossos leitores quando se deparam com notícias de organizações que estão se abrindo a capital “externo”, e para resolver isso de uma vez por todas, resolvemos esclarecer algumas das principais terminologias e processos que envolvem tal abertura, vamos lá?

Ofertas Públicas

Uma oferta pública é quando uma empresa decide colocar ações ou otros valores no mercado de capitais. Se realiza com a finalidade de captar recursos no mercado a longo prazo. Neste artigo vamos explicar como uma empresa ingresa a bolsa de valores e que tipos de ofertas existem.

Quando uma empresa decide ingressar a bolsa de valores

Uma vez que a organização decidiu que irá negociar suas ações na bolsa, o processo que ocorrerá se chama OPI, Oferta Pública Inicial (mais conhecida como IPO, Initial Public Offering). Em suma, a empresa irá ingressar nos mercados financeiros oferecendo títulos como; ações, debêntures ou outros ativos.

Quando isso ocorre, a empresa deixa de ser uma empresa de capital fechado, e se torna de capital aberto, e os investidores que optam por comprar seus títulos se tornam pequenos sócios daquela organização.

Para os empresários, optar por este processo de abertura de capital implica em abrir mão de parte do controle de sua organização em troca da captação de recursos.

O Anúncio da abertura de capital

Abrir o capital de uma empresa, ou seja, realizar a OPI no mercado, é um evento muito aguardado e que demanda muita preparação da parte do board, não sendo algo que acontece da noite para o dia.

Uma vez que isso tenha sido decidido, a empresa anuncia que irá abrir seu capital, e divulga isso em vários veículos de notícias, oficiais e não oficiais, informando sobre quando acontecerá seu processo de OPI. Tudo isso com o intuito de criar uma demanda alta no tão aguardado dia.

Com tudo isso definido, mas ainda sem a definição do valor de seus títulos, a empresa inicia um processo conhecido como bookbuilding, onde ela registra todas as intenções de compras (as ofertas) que os investidores interessados fazem. Os investidores, por sua vez, realizam esse processo de ofertas anônimas através de suas corretoras.

Essas ofertas não são apenas ilustrativas, elas garantem efetivamente a reserva dos títulos daquela organização, e é com base nisso que o preço é determinado e divulgado no lançamento.

Os tipos de “Ofertas” públicas e suas diferenças

Além da Oferta Pública Inicial explicada acima, existem algumas outras “ofertas públicas” que regem este mercado e que também são de vital importância para que as engrenagens dos mercados financeiros continuem girando, são elas;

OPV – Oferta Pública de Venda

A OPV é aquela oferta na qual um investidor ou uma organização anunciam formalmente a outros investidores que estão vendendo determinados valores mobiliários, quaisquer sejam.

OPA – Oferta Pública de Aquisição

A OPA é a oferta que representa publicamente o interesse de um investidor ou organização na aquisição de determinado valor mobiliário

OPS – Oferta Pública de Subscrição

A OPS representa o anúncio de que uma organização (ou fundo de investimentos) irá emitir títulos no mercado, sejam eles ações, debêntures, títulos de participação, entre outros. Tradicionalmente, as OPS’s dão preferência para aqueles que já possuem títulos daquela empresa, e uma vez que estes demonstrem ou não interesse, os títulos restantes vão ao mercado.

OPT – Oferta Pública de Troca

A OPT é um anúncio em que um investidor ou empresa sinaliza seu interesse em algum valor mobiliário, mas ao invés de comprá-lo em moeda corrente, este propõe o pagamento através da troca por algum outro valor que ele possui.

Considerações finais

É importante ressaltar que para que uma empresa tenha seus valores negociados na bolsa, ou seja, para que ela efetue seu IPO, são despendidos muito tempo e recursos, que espera-se serem compensados com a captação externa de recursos. E agora que já entendeu o básico de como funciona todo este processo, já pensou em quais são as empresas às quais gostaria de adquirir alguns títulos?

Sobre o autor

Diana Costa

Content Specialist for Rankia Portugal

 

Responder a este tópico

Bem-vindo(a) à comunidade!

Selecione os temas que lhe interessa e personalize a sua experiência no Rankia

Enviaremos uma Newsletter cada quinze dias com as novidades de cada categoría que escolheu


Quer receber notificações dos nossos eventos/webinars?


Ao continuar, aceita a política de privacidade