Entrar
Acesso
Entrar em Rankia

Bem-vindo à sua comunidade financeira

Informe-se, debata, compartilhe experiências; aprenda sobre como economizar e investir. Faz parte da maior comunidade financeira, já somos mais de 750.000 desde 2003. Você se inscreve?

O que é uma corretora?

Subscrever Newsletter

Selecione os temas de seu interesse e assine nossa newsletter abaixo:

Subscription Type(Obrigatório)

No universo financeiro, as corretoras desempenham um papel central, agindo como pontes entre os investidores e os mercados de investimentos. Desde o pequeno investidor que quer começar a explorar o mundo das ações até ao grande magnata que procura diversificar o seu portefólio, todos dependem das corretoras para ter acesso direto ao mercado de ações.

Ao longo do tempo, estas instituições evoluíram, não apenas em termos dos serviços que oferecem, mas também na maneira como atuam, adaptando-se às necessidades dos investidores e às transformações tecnológicas. Compreender o papel e a importância das corretoras é fundamental para quem deseja navegar com segurança e eficácia no vasto mar das oportunidades financeiras.

O que é uma corretora?

Uma corretora é uma instituição financeira especializada em intermediar operações de compra e venda de ativos financeiros, como ações, títulos públicos, câmbio, entre outros. Diferentemente de um simples intermediário, uma corretora possui licenças e é regulada por entidades supervisoras para realizar essas operações, assegurando transações mais seguras e transparentes.

A sua principal função é ligar investidores ao mercado financeiro, permitindo que eles comprem ou vendam ativos. Além disso, muitas corretoras oferecem serviços adicionais, como assessoria de investimentos, análises de mercado e ferramentas de educação financeira, com o objetivo de auxiliar o investidor a tomar decisões mais informadas.

Diferença entre corretoras e bancos

Enquanto ambos são instituições financeiras, corretoras e bancos têm funções e objetivos distintos:

Bancos: São instituições financeiras cuja principal função é captar recursos dos depositantes e emprestá-los a quem precisa, seja para consumo ou investimento. Eles oferecem uma variedade de serviços, incluindo contas correntes, poupança, empréstimos, financiamentos e, em alguns casos, até serviços de investimento. Geralmente, os bancos têm uma gama mais limitada de produtos de investimento, muitas vezes focados nos seus próprios produtos.

Corretoras: o seu foco principal é o mercado de capitais e a intermediação de negócios no mundo dos investimentos. Elas proporcionam acesso a uma variedade maior de produtos financeiros quando comparadas aos bancos tradicionais. Além disso, corretoras geralmente oferecem plataformas de investimento mais robustas, ferramentas analíticas e assessoria especializada.

Como as corretoras operam na bolsa de valores

As corretoras são as principais intermediárias entre os investidores e a bolsa de valores. Um investidor individual não pode simplesmente ir à Bolsa comprar ou vender ações diretamente. Para isso, é necessário contar com os serviços de uma corretora.

Quando um investidor decide comprar ou vender ações, ele envia uma ordem através da plataforma da corretora, que por sua vez encaminha essa ordem para a Bolsa. Uma vez que a ordem é executada, a corretora se encarrega de registar a transação, assegurando que os ativos sejam transferidos para a conta do investidor (em caso de compra) ou que os fundos sejam creditados na sua conta (em caso de venda).

A corretora também é responsável por garantir que todas as regulamentações e regras sejam seguidas durante a transação, garantindo a integridade e a transparência do processo.

Serviços adicionais oferecidos (análise de mercado, recomendações de investimentos, etc.)

Além da simples intermediação de compra e venda de ações, muitas corretoras oferecem uma série de serviços adicionais para agregar valor à experiência do investidor.:

Análise de mercado: Muitas corretoras possuem equipes de analistas que estudam o mercado constantemente, oferecendo relatórios periódicos sobre tendências, acontecimentos relevantes e perspectivas para diferentes setores e empresas.

Ferramentas tecnológicas: Plataformas de negociação avançadas, aplicações móveis, simuladores e outras ferramentas que ajudam os investidores a tomar decisões e operar no mercado.

Educação financeira: Cursos, webinars, palestras e materiais educativos para ajudar investidores, tanto iniciantes quanto experientes, a ampliar os seus conhecimentos e aptidões.

Assessoria de investimentos: Para investidores que desejam uma orientação mais personalizada, algumas corretoras oferecem o serviço de assessoria, onde profissionais especializados auxiliam na elaboração de estratégias e na tomada de decisões de investimento.

Como escolher uma corretora?

Ao escolher uma corretora de bolsa, deve primeiro pensar nas suas necessidades. Se for um principiante, poderá precisar de uma corretora com bom material educativo e uma conta de demonstração para tentar antes de investir e aprender a plataforma. Por exemplo, a XTB e a Interactive Brokers.

Algumas dicas para esta decisão são:

  • Que está regulada: poderá verificar os registros da CMVM ou outros sites fiáveis na Internet para obter informações sobre um corretor desse tipo. Neste caso, existem 4 reguladores em Portugal: CMVM, FCA, FINRA, ASIC.
  • Verificar se dispõe de um Fundo de Garantia de Investimento: são entidades criadas para que, em caso de falência ou incumprimento, os investidores não percam todo o seu investimento.
  • Tipo de investidor e tipo de intermediário: nem todos os investidores são iguais, nem operam com os mesmos produtos ou o mesmo capital -; por conseguinte, cada investidor deve procurar o intermediário que melhor se adequa ao seu perfil de investidor.
  • Comissões: é importante conhecer a estrutura de comissões e taxas da corretora com quem se investirá.  As principais comissões a considerar são: compra e venda, manutenção e custódia, despesas de mercado, cobrança de dividendos e direitos de subscrição, tempo real, inactividade, entre outros.
  • Ferramentas tais como serviço ao cliente (idiomas), plataformas completas e intuitivas, formação, calendários económicos, dados históricos, conta de demonstração…

Produtos oferecidos por uma corretora de valores

As corretoras de valores desempenham um papel fundamental no mundo dos investimentos, servindo como intermediárias entre os investidores e os mercados financeiros. Ao longo do tempo, ampliaram a sua gama de produtos e serviços para atender às diversas necessidades dos seus clientes. A seguir, apresentamos alguns dos produtos mais comuns oferecidos por uma corretora de valores:

Ações: Permite aos investidores comprar e vender participações em empresas cotadas em bolsas de valores.

Títulos públicos: São dívidas emitidas pelo governo para financiar os seus gastos. Em Portugal, por exemplo, temos os títulos do tesouro.

Títulos privados: Incluem certificados de depósito bancário (CDB), letras de crédito imobiliário (LCI) e letras de crédito do agronegócio (LCA).

Fundos de investimento: Estes agregam recursos de vários investidores, e o montante é gerido por um gestor profissional. Existem diversos tipos, como fundos de renda fixa, ações, multimercados, entre outros.

Mercado de derivados: Inclui opções, CFDS, futuros, swaps e outros instrumentos financeiros que derivam o seu valor de um ativo subjacente.

Câmbio e forex: Algumas corretoras permitem a negociação de moedas estrangeiras ou operações no mercado Forex.

Commodities: Investimentos em matérias-primas como ouro, prata, petróleo e produtos agrícolas.

Fundos imobiliários: São fundos que investem em ativos imobiliários.

Ofertas públicas (IPOs): Oportunidade de investir em empresas que estão a abrir o seu capital na bolsa pela primeira vez.

ETFs: são um tipo de ativo financeiro que combina as características de um fundo de investimento com a negociação de ações numa bolsa de valores.

Leia ainda 👉 Como investir em ativos financeiros?

Qual é a melhor corretora para começar?

Nesta categoria agrupamos todos os utilizadores que nunca investiram na bolsa e pretendem começar a investir atempadamente ou criar a sua primeira carteira de investimentos.

Os critérios de seleção para encontrar as corretoras certas para iniciantes são os seguintes:

  • Simplicidade da plataforma.
  • Processo de abertura de conta.
  • Oferta de produtos disponível.

Algumas das melhores corretoras para iniciantes em Portugal seriam:

Se  começa a investir, escolher uma corretora é apenas parte do conhecimento que deve ter. Recomendo que leia a nossa guia básico: Como investir na Bolsa sendo iniciante: passo a passo

A importância da escolha da corretora 

Num mercado financeiro tão vasto e diversificado, escolher a corretora certa é um passo crucial para o sucesso de qualquer investidor. Esta escolha não apenas determina a qualidade do acesso aos mercados, como também influencia a quantidade de recursos, informações e apoio que o investidor terá à disposição. Além disso, uma escolha inadequada pode levar a perdas financeiras e experiências negativas. Dessa forma, compreender os critérios de seleção e os riscos associados é fundamental.

O que considerar ao escolher uma corretora (taxas, plataforma, atendimento, etc.)

Taxas: Cada corretora tem a sua própria estrutura de taxas, que pode incluir custos de corretagem, comissões de custódia, comissões de levantamento, entre outras. É crucialcomparar estas taxas, pois elas impactam diretamente a rentabilidade dos investimentos.

Plataforma: A facilidade de utilização, estabilidade e recursos oferecidos pela plataforma de negociação são aspectos cruciais. Uma boa plataforma pode facilitar a vida do investidor, oferecendo informações claras, ferramentas de análise e execução rápida de ordens.

Atendimento: O suporte e o atendimento ao cliente são essenciais, principalmente para investidores iniciantes. Avalie se a corretora oferece canais de atendimento eficientes, rápidos e, preferencialmente, na sua língua nativa.

Produtos oferecidos: Nem todas as corretoras oferecem acesso a todos os tipos de investimentos. Dependendo dos seus objetivos, verifique se a corretora oferece os produtos que deseja.

Reputação: Pesquise sobre a corretora, leia avaliações e comentários de outros investidores. A confiança é essencial nesse relacionamento.

👉 Como escolher uma corretora?

Riscos de não pesquisar bem: histórias de corretoras que falharam ou fraudes.

A história está repleta de corretoras que falharam, seja por má gestão, seja por fraudes. Investidores que não pesquisaram bem antes de escolher a sua corretora acabaram por enfrentar perdas significativas.

Por exemplo, no passado, algumas corretoras entraram em falência devido a crises financeiras, deixando os seus clientes sem acesso aos seus investimentos. Em outros casos, houve corretoras que operaram esquemas fraudulentos, utilizando fundos de novos investidores para pagar retornos prometidos a investidores anteriores, o clássico esquema Ponzi.

Estas são recordações sombrias da importância de ser diligente na escolha de uma corretora. É crucial verificar a solidez financeira da corretora, a sua conformidade regulatória e a sua reputação no mercado antes de confiar o seu dinheiro à mesma.

Tipos de corretoras

A continuação deixamos alguns exemplos de corretoras:

Corretoras de ações

Estas são as corretoras mais tradicionais que oferecem acesso aos mercados de ações. Com elas, os investidores podem comprar e vender ações de empresas cotadaslistadas em bolsas de valores.

Corretoras de futuros

Corretoras de futuros proporcionam acesso aos mercados de derivados onde commodities, moedas e índices são negociados. Estes contratos acordam a compra ou venda de um ativo numa data futura a um preço especificado.

Corretoras de opções financeiras

Essas corretoras especializam-se em opções, que são contratos que dão ao detentor o direito, mas não a obrigação, de comprar ou vender um ativo a um preço determinado.

Corretoras de Forex

Focam-se no mercado de câmbio, onde as moedas são negociadas. Este é um dos maiores mercados do mundo em termos de volume de negociação diária.

Corretoras de CFDs

Estas corretoras oferecem contratos por diferença, que permitem que os traders especulem sobre os movimentos de preço de um ativo sem realmente possuir o ativo.

Corretoras de criptomoedas

Como o nome sugere, estas corretoras oferecem acesso ao emergente mercado de moedas digitais, como ao Bitcoin e Ethereum.

Corretoras de DEFI

São uma nova classe de corretoras que surgiram com o advento das finanças descentralizadas, permitindo aos utilizadores negociar em plataformas blockchain sem intermediárioas.

Diferentes tipos de corretoras conforme a tipologia de trading

Corretoras ECN

Ligam diretamente os traders com outros traders ou bancos, sem passar por um intermediário. Geralmente oferecem spreads mais reduzidos, mas podem cobrar comissões.

Corretoras STP (NDD)

Processam as ordens dos traders diretamente para provedores de liquidez, sem intervir na execução da ordem.

Corretoras Market Makers

Elas criam um mercado interno para os seus clientes e podem definir o preço ao qual estão dispostas a comprar ou vender.

Corretoras multiproduto

Oferecem uma ampla variedade de produtos financeiros, desde ações até commodities, permitindo que os traders diversifiquem os seus portefólios.

Corretoras especialistas

Concentram-se em nichos específicos do mercado, como commodities agrícolas ou metais preciosos.

Corretoras de trading social

Permitem que os traders sigam e copiem as operações de outros traders mais experientes.

Corretoras institucionais

Destinam-se principalmente a grandes investidores ou instituições financeiras, oferecendo serviços e soluções personalizadas.

O meu dinheiro está seguro numa corretora?

Para ter a certeza sobre o tipo de corretora com a qual negociará, deve certificar-se de que esta é suportada por um fundo de garantia que cobre o investimento do acionista em caso de falência da corretora.; Não se esqueça também de verificar a sua regulamentação e a experiência dos seus clientes.

Comissões cobradas pelas corretoras

No mundo das finanças, as comissões representam uma importante fonte de receita para as corretoras e um custo significativo para os investidores. São cobradas para compensar a corretora pelos serviços prestados. Vamos explorar os tipos mais comuns de comissões:

Comissão de negociação (ou corretagem): Cobrada sempre que um investidor compra ou vende um ativo. Pode ser fixa, independentemente do volume negociado, ou variável, baseada no volume ou valor da transação.

Spread: No mercado Forex e de CFDs, muitas corretoras lucram através do spread, que é a diferença entre o preço de compra e o preço de venda de um ativo.

Comissão de manutenção de conta: Algumas corretoras cobram esta comissão periodicamente (mensal, trimestral ou anual) apenas por manter uma conta aberta, mesmo sem realizar transações.

Comissões de inatividade: Cobradas quando não se realiza nenhuma transação por um período especificado.

Comissões por serviços adicionais: Incluem comissões por levantamento de fundos, acesso a relatórios de pesquisa, utilização de plataformas avançadas, entre outras.

Comissões de alavancagem: Em corretoras que oferecem alavancagem, podem existir comissões associadas ao valor emprestado ao investidor.

Comissões de desempenho: Sobretudo em fundos de investimento ou contas geridas, onde a corretora cobra uma percentagem dos lucros obtidos.

Comissões de depósito: Algumas corretoras cobram quando se deposita dinheiro na conta de negociação.

Comissões de saída: Cobradas ao retirar investimentos ou ao transferir a conta para outra corretora.

Comissões associadas a produtos específicos: Como as comissões de rollover em posições de Forex overnight ou comissões ligadas à negociação de opções.

Comissões de consultoria: Em corretoras que disponibilizam consultoria financeira, podem existir comissões associadas.

Ao escolher uma corretora, é fundamental estar ciente de todas as comissões que serão aplicadas. Isto permite uma comparação mais precisa entre diferentes corretoras e ajuda a entender os custos associados ao investimento. É recomendado consultar sempre os detalhes de comissões e esclarecer dúvidas com a corretora antes de se comprometer.

👉 Quais são as comissões na Bolsa de Valores?

Como as corretoras ganham dinheiro?

As corretoras de valores desempenham um papel crucial no sistema financeiro, atuando como intermediárias entre os investidores e os mercados. Mas já se questionou sobre como essas instituições lucram? Aqui estão algumas das principais maneiras pelas quais as corretoras ganham dinheiro:

Comissões de negociação: Uma das principais fontes de receita para muitas corretoras é a cobrança de comissões sobre as transações realizadas pelos investidores, seja na compra ou venda de ativos.

Spread: No mercado Forex e de CFDs, por exemplo, as corretoras podem lucrar com a diferença (spread) entre o preço de compra e o preço de venda de um ativo.

Comissões de manutenção: Algumas corretoras cobram uma comissão periódica (pode ser mensal, trimestral ou anual) pela manutenção da conta dos seus clientes.

Comissões por produtos específicos: Certos produtos financeiros oferecidos pelas corretoras podem apresentar comissões associadas, como fundos de investimento que têm taxas de administração.

Ganhos com margem de juros: Quando um cliente deixa dinheiro em conta na corretora sem investir, algumas corretoras utilizam esse valor para investir por conta própria ou emprestá-lo a outros clientes, lucrando com a diferença de juros.

Comissões de financiamento e alavancagem: Em operações alavancadas, as corretoras podem cobrar juros sobre o montante financiado ao cliente.

Comissões de custódia: Algumas corretoras cobram aos investidores por manter os seus títulos e ativos sob custódia.

Venda de produtos adicionais: Muitas corretoras oferecem serviços adicionais como consultoria, análises de mercado e cursos, gerando receita adicional.

Receitas de mercado secundário: As corretoras podem lucrar agindo como formadoras de mercado, comprando e vendendo ativos da sua própria carteira para proporcionar liquidez ao mesmo.

Ofertas públicas: Participação em processos de IPOs (Ofertas Públicas Iniciais) ou follow-ons, recebendo comissões por intermediar a venda de ações ao público.

Como abrir conta numa corretora de valores?

Abrir uma conta numa corretora de valores é um passo essencial para quem deseja diversificar os seus investimentos e aceder a uma variedade mais ampla de produtos financeiros. O processo é, em geral, simples e pode ser feito maioritariamente online. Veja os passos básicos para abrir a sua conta:

Pesquisa: Antes de mais nada, pesquise e escolha uma corretora que atenda às suas necessidades. Avalie aspectos como reputação, produtos oferecidos, comissões cobradas e qualidade do atendimento ao cliente.

Acesso ao site ou aplicação: A maioria das corretoras permite que o processo de abertura de conta seja iniciado diretamente no seu site ou app.

Formulário de registo: Preencha o formulário de registo com as suas informações pessoais. Geralmente, são solicitados dados como nome, NIF, endereço, e-mail e telefone.

Documentação: Envie cópias dos documentos solicitados. As corretoras geralmente requerem documentos como CC, CPF, comprovativo de residência e, em alguns casos, recibo de vencimento.

Análise: Após o envio, a corretora fará uma análise dos documentos e informações fornecidas. Esse processo pode levar de algumas horas a alguns dias, dependendo da corretora.

Aprovação: Uma vez que tudo esteja correto, a corretora aprovará a sua conta. Em seguida, receberá informações de acesso, como login e palavra-passe.

Primeiro acesso: Ao receber as credenciais, aceda à a plataforma de investimentos da corretora para se familiarizar com o layout.

Transferência de recursos: Antes de começar a investir, precisará de transferir recursos para sua nova conta na corretora. Por norma, isso é feito via transferência bancária (TED ou DOC) a partir do seu banco de origem.

Início dos investimentos: Com a conta capitalizada, já pode começar a escolher e realizar os seus investimentos.

Atendimento ao cliente: Se surgirem dúvidas durante o processo, a maioria das corretoras possui uma equipa de atendimento pronta para auxiliar.

Principal Trading e Agency Trading: quais as diferenças?

Quando uma ordem é feita ou colocada através de um broker, dois tipos de transações ocorrem: Negociação Principal (Principal Trading) e Negociação de Agência (Agency Trading).

Negociação principal (Principal Trading)

O principal trading ocorre quando uma corretora compra títulos no mercado secundário e detém estes títulos por um tempo, e depois os vende. O objetivo do principal trading é que as empresas (dealers) criem lucros para as suas carteiras através do aumento dos preços.

Neste caso, quando um investidor compra e vende ações através da empresa de corretagem que atua como principal, a empresa utilizará o seu inventário disponível para responder à ordem do cliente. Desta forma, as empresas de corretagem conseguem retornos adicionais.

Exemplo Principal trading

Se precisar de comprar 100 ações da XY por 10 dólares, a empresa de corretagem primária verificará primeiro o seu inventário para ver se as ações estão disponíveis para venda. Se assim for, as ações são vendidas e, em seguida, esta transação é comunicada à bolsa necessária (a comissão para os títulos, a bolsa e as empresas de corretagem são requeridas para concluir as transações a preços de mercado).

Negociação de agência (Agency Trading)

O trading de agência é outro método popular de executar as ordens de um cliente. Ou seja, estes acordos envolvem a aquisição e a transferência de títulos entre clientes de diferentes empresas de corretagem. O trading de agências é composto por 2 partes:

Primeira Parte:

  • O broker deve levar o pedido ao mercado apropriado para encontrar uma parte disposta a tomar a posição oposta. Então, se quiser comprar a um determinado preço;
  • A corretora deve encontrar alguém que queira vender ao mesmo preço e vice-versa.
  • Finalmente, uma vez encontradas ambas as partes, a bolsa regista a transação e ocorre uma transação de dinheiro e títulos entre as partes.

Segunda parte:

A segunda parte da transação de agência ocorre após a conclusão da transação e a devida documentação na bolsa. Isto é conhecido como compensação (todos os brokers têm livros individuais que registam o valor total de compra e venda de ordens processadas por clientes).

A compensação é a correspondência de compras e vendas (após as transações apresentadas pelas empresas membros ao DTCC serem compatíveis com compras e vendas, a entidade notifica todas as empresas membros das obrigações associadas e organiza a transferência dos fundos e títulos adequados).

Diferenças entre Principal Trading e Agency Trading

Em resumo, podemos estabelecer as seguintes diferenças:

  • A negociação principal é aquela em que uma corretora completa a transação de um cliente usando o seu próprio inventário.
  • Na negociação de agência, uma corretora encontra uma contraparte para negociar com um cliente, o que pode incluir clientes de outros brokers.
  • A negociação principal permite que os brokers também beneficiem do spread bid-ask. 
  • Com o trading de agência, o broker deve encontrar alguém disposto a comprar ou vender as ações ao mesmo preço que a contraparte.

Lembre-se de que é importante que os investidores compreendam como funciona o processo de execução da ordem, uma vez que através destas duas formas de transação de ordens, pode-se reduzir o risco para os investidores e também fornecer aos clientes de corretagem uma forma líquida e eficiente de colocar e executar operações.

Como comparar corretoras?

Se quiser começar a investir, precisa de aprender a comparar corretoras. Para o fazer, considere alguns critérios na escolha, tais como

  • Regulação e segurança
  • Simplicidade da plataforma
  • Facilidade de abertura de uma conta
  • Gama de produtos disponíveis
  • Taxas e comissões
  • Serviço ao cliente
  • Conta de demonstração; entre outros.

Agora que sabe o que são os corretores e o seu papel no mercado, diga-nos o que pensa sobre eles.

Ler mais tarde - Preencha o formulário para guardar o artigo como PDF

Manual de Bolsa

Este e-book irá ajudá-lo a aprender o que precisa de saber para começar com sucesso nos seus investimentos:

  • Noções básicas financeiras
  • O que é e como funciona o mercado de ações
  • Dicas úteis para investir

Artigos Relacionados