Entrar
Acesso
Entrar em Rankia

Bem-vindo à sua comunidade financeira

Informe-se, debata, compartilhe experiências; aprenda sobre como economizar e investir. Faz parte da maior comunidade financeira, já somos mais de 750.000 desde 2003. Você se inscreve?

Como escolher uma corretora?

Subscrever Newsletter

Selecione os temas de seu interesse e assine nossa newsletter abaixo:

Subscription Type(Obrigatório)

Entrar no mundo dos investimentos é um passo significativo que requer preparação e conhecimento. No entanto, antes mesmo de se aventurar nas águas da bolsa de valores, nas nuances dos mercados de commodities ou na diversidade das criptomoedas, existe uma decisão crucial a ser tomada: a escolha da corretora certa. 

Esta escolha pode não só influenciar a sua experiência de investimento, mas também determinar o sucesso das suas operações. Neste artigo, guiamos o seu percurso através dos critérios essenciais a considerar, oferecendo uma visão abrangente para ajudar a selecionar a corretora que melhor se adapta ao seu perfil e objetivos financeiros. Seja um investidor novato ou um profissional experiente à procura de novas opções, este guia é para si.

O que é uma corretora?

Uma corretora é uma empresa ou instituição financeira autorizada a oferecer serviços de intermediação entre os investidores e os mercados financeiros. Ela funciona como uma ponte entre o investidor e os ativos que deseja adquirir ou vender, seja no mercado de ações, obrigações, derivados, moedas, entre outros.

Ao utilizar uma corretora, o investidor tem acesso a uma série de instrumentos e mercados que, muitas vezes, não estariam disponíveis para ele de forma direta. Além disso, a corretora pode oferecer ferramentas e serviços adicionais, como análises de mercado, plataformas de negociação, cursos e materiais educativos.

A corretora é remunerada normalmente através de comissões sobre as operações realizadas ou, em alguns casos, através de uma taxa fixa. É essencial que, antes de escolher uma corretora, o investidor verifique a sua reputação, custos associados, produtos e serviços oferecidos e, especialmente, se está registada e regulamentada pelos órgãos competentes no país em que opera. Em Portugal, por exemplo, a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) é o órgão responsável por supervisionar e regular as corretoras.

Leia 👉 O que é uma corretora e como funciona?

Como escolher a melhor corretora?

Regulação e licenciamento

A decisão de escolher uma corretora de valores vai muito além dos serviços e taxas oferecidos. Um dos aspectos mais cruciais é a sua regulação e licenciamento. Num mundo cada vez mais globalizado, as corretoras não se limitam à supervisão local – muitas também operam sob reguladores internacionais. Entenda a relevância deste tema no contexto português e internacional:

Regulação nacional: Em Portugal, a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) e o Banco de Portugal são as entidades que supervisionam e garantem a integridade das corretoras. A obtenção de uma licença destas entidades sinaliza que a corretora atende aos rigorosos padrões estabelecidos, oferecendo assim uma maior segurança aos seus clientes.

Presença de reguladores internacionais: Com a globalização dos mercados financeiros, muitas corretoras operam em várias jurisdições e, como tal, podem estar registadas em mais de um regulador. Entidades como a Autoridade de Conduta Financeira (FCA) no Reino Unido, a Comissão de Valores Mobiliários e Câmbio (SEC) nos EUA, ou a Autoridade Monetária de Singapura (MAS) são exemplos de reguladores reconhecidos internacionalmente. Se uma corretora estiver licenciada por um destes reguladores, isto pode ser interpretado como um sinal de credibilidade e conformidade com padrões internacionais.

Conformidade com diretrizes: Independentemente de serem locais ou internacionais, as corretoras devem sempre cumprir integralmente as regulamentações e diretrizes estabelecidas pelos órgãos de supervisão. Isto engloba a proteção dos ativos dos clientes, a transparência nas operações e a prevenção contra práticas abusivas ou fraudes.

Ao ponderar sobre qual corretora escolher, é fundamental considerar a sua regulamentação e licenciamento, tanto em solo nacional como no cenário internacional. Este é, sem dúvida, um dos principais indicativos da seriedade e da confiabilidade da instituição, garantindo que os seus investimentos se encontram salvaguardados.

Reputação e histórico

No processo de escolha de uma corretora de valores, a sua reputação e trajetória no mercado desempenham um papel fundamental. Não basta apenas que a corretora se encontre regulamentada -; é essencial que ela também tenha um histórico sólido e confiável. Algumas dicas sobre como avaliar estes aspectos:

Avaliações e opiniões: Antes de se decidir, dedique algum tempo a pesquisar o que outros investidores têm a dizer sobre as suas experiências com a corretora. Sites de avaliação, fóruns de discussão financeira e redes sociais podem ser ótimas fontes de feedback real e não filtrado. Através destes, é possível obter uma ideia clara da qualidade do atendimento ao cliente, da eficiência das plataformas de negociação e de outros aspectos cruciais da experiência do investidor.

Investigação de controvérsias: Assim como em qualquer indústria, as corretoras também podem estar envolvidas em controvérsias ou problemas. Procure informações sobre qualquer problema passado, litígios ou questões éticas relacionadas com a corretora. Esta pesquisa pode revelar muito sobre a integridade e a confiabilidade da instituição.

Um histórico limpo e uma boa reputação no mercado são indicadores que a corretora opera com profissionalismo e dedicação aos seus clientes. No entanto, é sempre prudente abordar as escolhas com um olhar crítico, considerando tanto os pontos positivos quanto os negativos destacados por outros investidores.

Produtos e serviços oferecidos

Uma das considerações primordiais ao escolher uma corretora de valores é a gama de produtos e serviços que ela disponibiliza. A capacidade de diversificar a sua carteira e ter acesso a diferentes mercados pode ser crucial para a sua estratégia de investimento. Aqui estão alguns pontos a considerar:

Variedade de ativos: Uma corretora robusta normalmente oferece uma ampla gama de ativos para negociação. Isto inclui, mas não se limita a, ações de empresas, obrigações, produtos derivados, commodities e até mesmo moedas. É essencial verificar se a corretora fornece uma variedade que atenda às suas necessidades e objetivos de investimento. Se tem um interesse particular, por exemplo, em commodities agrícolas ou metais preciosos, assegure-se de que esses mesmos ativos estão disponíveis para negociação.

Acesso a mercados: Enquanto muitos investidores começam por se focar no mercado local, o verdadeiro potencial de diversificação e oportunidade muitas vezes reside em mercados internacionais. Uma corretora de prestígio não só oferecerá acesso ao mercado português, como também a importantes mercados globais, seja na Europa, América, Ásia ou em outros continentes. A possibilidade de operar em diferentes fusos horários e aproveitar movimentos em diversas economias pode ser uma grande vantagem.

A variedade de produtos e o acesso a diferentes mercados são indicadores claros da amplitude e profundidade dos serviços oferecidos por uma corretora. É sempre recomendável escolher uma instituição que possa acompanhar e suportar as suas ambições enquanto investidor, tanto a curto como a longo prazo.

Estrutura de custos e comissões

Uma parte significativa da rentabilidade dos seus investimentos pode ser impactada pelas comissões e taxas que a corretora cobra. Assim, é fundamental entender e analisar a estrutura de custos da corretora escolhida antes de comprometer o seu capital. Aqui estão alguns pontos a ter em mente:

Tabelas de comissões: Comece por estudar detalhadamente as tabelas de comissões disponibilizadas pela corretora. Estas tabelas geralmente listam todas as taxas associadas a diferentes operações, como negociação de ações, compra de obrigações ou operações com derivados. Além disso, não negligencie outras taxas menos óbvias, como taxas de custódia, taxas de inatividade ou encargos associados a retiradas.

Custos adicionais: Algumas corretoras podem ter encargos adicionais que não são imediatamente visíveis. Estes podem incluir taxas para acesso a determinadas plataformas de negociação, taxas de conversão de moeda (se negociar em mercados internacionais) ou encargos associados a serviços de pesquisa e análise.

Comparação com o mercado: Uma vez que tenha uma ideia clara dos custos da corretora, é essencial compará-los com os de outras corretoras. Isto permitirá determinar se a estrutura de custos é competitiva ou se existem alternativas mais económicas disponíveis. Lembre-se de que, no longo prazo, mesmo pequenas diferenças nas taxas podem ter um impacto significativo na sua rentabilidade.

Plataforma e tecnologia

Atualmente, a tecnologia desempenha um papel crucial no mundo dos investimentos. A plataforma de negociação escolhida pode ser determinante tanto para iniciantes quanto para traders experientes, influenciando a eficácia e a rapidez das operações. Assim, é essencial avaliar as ferramentas tecnológicas oferecidas pela corretora:

Usabilidade da plataforma: A primeira coisa a considerar é o quão amigável e intuitiva é a plataforma de negociação. Uma interface confusa pode resultar em erros dispendiosos, enquanto uma plataforma clara e eficiente facilita a tomada de decisões rápidas em momentos críticos. Teste a plataforma, se possível, para compreender a sua dinâmica.

Ferramentas de análise: Para traders que se baseiam em análise técnica ou fundamental, é crucial que a plataforma ofereça ferramentas robustas de análise. Gráficos ajustáveis, indicadores técnicos, notícias financeiras em tempo real e análises de especialistas são recursos que podem fazer toda a diferença na hora de decidir uma operação.

Versão mobile: Com a crescente tendência de mobilidade, ter acesso aos seus investimentos na palma da sua mão pode ser um diferencial. Veja se a corretora oferece uma versão mobile da sua plataforma, permitindo que negocie, acompanhe as suas posições e reaja a eventos de mercado em tempo real, mesmo estando em qualquer lugar.

A combinação de uma plataforma avançada com uma tecnologia de ponta pode proporcionar uma experiência de negociação mais eficaz e informada. No ambiente de rápido movimento dos mercados financeiros, a qualidade e a eficiência da tecnologia utilizada podem ser fatores determinantes para o sucesso de um investidor.

Atendimento ao cliente

O mundo dos investimentos, embora emocionante, pode também ser complexo e desafiador. Em momentos cruciais, ter um serviço de atendimento ao cliente eficiente e atencioso é vital. Aqui estão algumas considerações ao avaliar o suporte oferecido por uma corretora:

Disponibilidade em horários-chave: Certifique-se de que o serviço de atendimento ao cliente está disponível durante os horários de mercado. Afinal, é nesses momentos que você mais pode necessitar de assistência, seja para esclarecer dúvidas sobre uma operação, resolver um problema técnico ou obter informações sobre um ativo específico.

Suporte na língua materna: Para investidores que atuam no mercado português, é essencial que a corretora ofereça suporte em português. A clareza na comunicação é vital, especialmente quando se trata de questões financeiras.

Variedade de canais de comunicação: Uma corretora de qualidade procurará oferecer diversos canais de comunicação para se adaptar às preferências e necessidades dos seus clientes. Seja por telefone, e-mail, chat em tempo real ou mesmo pelas redes sociais, é fundamental que você possa contactar a corretora da maneira que lhe for mais conveniente.

Educação e recursos

Investir no mercado financeiro requer conhecimento e uma compreensão clara dos riscos e oportunidades. No entanto, a aprendizagem é uma jornada contínua, e as melhores corretoras reconhecem a importância de fornecer recursos educativos aos seus clientes. Ao avaliar uma corretora sob essa perspetiva, considere os seguintes pontos:

Variedade de materiais: Verifique se a corretora oferece uma gama diversificada de materiais educativos. Isto pode incluir webinars ao vivo com especialistas do setor, artigos detalhados sobre estratégias de investimento, vídeos tutoriais e análises aprofundadas dos mercados.

Atualização regular: O mercado financeiro está em constante evolução. Uma boa corretora deve atualizar regularmente os seus recursos educativos para refletir as últimas tendências, notícias e estratégias.

Relevância para todos os níveis: Tanto para o investidor novato quanto para o mais experiente, é vital que os materiais sejam adequados ao seu nível de conhecimento. Por isso, verifique se a corretora oferece conteúdo desde o básico até ao avançado, permitindo um aprofundamento contínuo.

Ferramentas interativas: Além dos tradicionais artigos e vídeos, ferramentas interativas, como simuladores de negociação ou quizzes sobre investimentos, podem ser extremamente úteis para solidificar conhecimentos e testar estratégias sem risco real.

Facilidade de depósito e levantamento

As transações financeiras são uma parte integrante da experiência de investimento. Seja para adicionar fundos à sua conta ou para retirar lucros, a facilidade, segurança e velocidade com que você pode realizar essas operações desempenham um papel crucial na sua satisfação geral com uma corretora. Aqui estão algumas considerações importantes ao avaliar uma corretora neste aspecto:

Métodos disponíveis: Uma boa corretora deve oferecer diversos métodos para depósito e levantamento, desde transferências bancárias tradicionais, cartões de crédito/débito até soluções eletrónicas, como carteiras digitais. A diversidade de opções garante que pode escolher o método que melhor se adapta às suas necessidades e preferências.

Prazos de processamento: Enquanto os depósitos costumam ser processados rapidamente, os levantamentos podem, por vezes, demorar mais, dependendo da corretora e do método escolhido. É essencial verificar os prazos médios para levantamentos e garantir que são razoáveis. Não vai querer ficar à espera durante semanas para aceder aos seus próprios fundos.

Taxas associadas: Algumas corretoras podem cobrar taxas para determinados métodos de depósito ou levantamento. Certifique-se de que está ciente dessas taxas para evitar surpresas desagradáveis. Comparar as estruturas de taxas de diferentes corretoras pode também ajudar a encontrar a melhor opção em termos de custo.

Limites de transação: Algumas corretoras estabelecem montantes mínimos ou máximos para depósitos e levantamentos. Avalie se esses limites se encontram alinhados com as suas necessidades de investimento.

Segurança nas transações: Assim como com a segurança dos fundos, é vital que a corretora utilize tecnologias de ponta para garantir que todas as transações sejam realizadas de forma segura, protegendo os seus dados e o seu dinheiro.

Segurança dos fundos

A segurança dos seus investimentos é, sem dúvida, uma das maiores preocupações ao escolher uma corretora. Num mercado financeiro em constante evolução, onde tanto os benefícios como os riscos podem ser elevados, garantir que o seu dinheiro está protegido é primordial. Aqui estão algumas considerações fundamentais ao avaliar a segurança dos fundos numa corretora:

Proteção dos fundos: A corretora tem protocolos de segurança robustos? Avalie medidas como a segregação de contas (isto é, manter os fundos dos clientes separados dos fundos da própria corretora), para garantir que o seu dinheiro não seja utilizado indevidamente pela corretora ou comprometido em caso de problemas financeiros da mesma.

Esquemas de compensação: Algumas corretoras são membros de esquemas de compensação que atuam como um tipo de seguro, garantindo aos investidores a recuperação de parte ou da totalidade dos seus fundos em caso de insolvência da corretora. Em Portugal, por exemplo, existe o Fundo de Garantia de Depósitos e o Fundo de Indemnização aos Investidores. Verifique se a corretora está associada a esse tipo detais esquemas e qual a cobertura oferecida.

Auditorias externas: Corretoras confiáveis frequentemente submetem-se a auditorias de terceiros para validar as suas operações e garantir transparência. Esta é uma boa indicação de que a empresa está comprometida com práticas justas e transparentes.

Tecnologia de segurança: Avalie também os sistemas de segurança digital adotados pela corretora. As melhores corretoras investem em tecnologias avançadas, como criptografia de dados, para proteger as informações e os fundos dos seus clientes.

Regulação e licenciamento: Como mencionado anteriormente, é crucial que a corretora esteja devidamente licenciada e regulada por órgãos competentes, não apenas a nível nacional, mas também internacionalmente, se oferecer serviços em múltiplos mercados.

Vídeo “Como escolher uma corretora para investir na Bolsa”

Neste vídeo da nossa série “de zero a investidor”, Gonçalo explica como escolher a corretora ideal para adquirir ações. Ele destaca pontos a considerar ao escolher uma corretora.

Melhores corretoras para investir

Nesta seção, apresentamos uma seleção cuidadosamente curada das corretoras mais destacadas da atualidade. As nossas listas são baseadas em critérios de confiabilidade, ferramentas de negociação, atendimento ao cliente e muito mais. Descubra qual se adapta melhor às suas necessidades e tome decisões informadas nos seus investimentos.

Disclaimer: Este artigo não deve ser considerado aconselhamento de investimento. É meramente informativo e educacional.

Ler mais tarde - Preencha o formulário para guardar o artigo como PDF

Artigos Relacionados

Se a sua paixão é o trading, certamente já se perguntou, “Qual é a melhor corretora para fazer trading?”. Responder a...

Deixar uma Resposta

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments