Os 10 maiores gestores portugueses do mundo

Os 10 maiores gestores portugueses do mundo

Quais são os 10 maiores gestores portugueses do mundo? Apesar de ser um país geograficamente pequeno, Portugal é um país extremamente talentoso, em várias áreas e sectores de atividade. No desporto, temos o melhor jogador de futebol do Mundo, Cristiano Ronaldo, ou o melhor jogador de futsal da atualidade, Ricardinho; nas artes, Vhils é o grande nome da arte urbana, apenas ultrapassado por Banksy; e na música, depois de Salvador Sobral ter vencido o festival da Eurovisão, outros nomes dão cartas no panorama internacional, como a fadista Ana Moura ou os Buraka Som Sistema.

Também no mundo da economia e da gestão Portugal destaca-se, com vários nomes portugueses a aparecerem recorrentemente sempre que se fala dos melhores gestores da Europa ou do Mundo. Vários têm sido, inclusive, distinguidos pelos analistas e investidores. Por isso, fizemos um apanhado sobre os 10 maiores gestores portugueses do mundo de sempre, por entre consagrados e jovens promessas.

Os 10 maiores gestores portugueses do mundo

Carlos Gomes da Silva

Responsável por uma das mais lucrativas e poderosas companhias a operar em solo nacional, Carlos Gomes da Silva já foi distinguido várias vezes pela imprensa da especialidade como o melhor CEO a operar em Portugal. Ao leme da petrolífera Galp desde 2015, Carlos Gomes da Silva – que recentemente anunciou que vai abandonar o cargo antes do final do seu mandato -, natural do Porto e licenciado em Engenharia Eletrotécnica, deixou um legado na reinação, logística, trading e planeamento estratégico sem igual, que se refletiram em lucros astronómicos que ajudaram a consolidar a Galp como a líder de mercado em Portugal e uma das mais poderosas petrolíferas na Europa.

Manso Neto

João Manso Neto é um dos grandes gestores portugueses de sempre. Tendo passado por várias empresas de topo, consolidou a sua carreira à frente da EDP Renováveis, onde está desde 2006, operando num dos sectores mais competitivos da atualidade. Licenciado em Economia e pós-graduado em Economia Europeia, é ainda membro do Conselho de Administração Executiva do Grupo EDP, um dos mais fortes em Portugal, o que demonstra bem a sua competência. Antes da companhia elétrica, Mando Neto passou ainda pela banca portuguesa, onde foi administrador do Grupo Banco Comercial Português de Negócios, diretor-geral do BCP e vice-presidente do BIG Bank Gdansk, na Polónia. Um currículo de respeito, que dispensa apresentações.

Carlos Tavares

Carlos Tavares é a prova de que os gestores nacionais destacam-se não sós no território português como também lá fora. O empresário lisboeta é p CEO da Peugeot, a construtora automóvel francesa, que ajudou a reformular no mercado automóvel europeu e mundial. Antes disso, já havia brilhado na Renault, onde consolidou a sua fama de gestor eficiente. Passou ainda pela Nissan, tendo dirigido as operações dessa marca japonesa na América do Norte. Ao leme da Renault Carlos Tavares tem conseguido contornar várias crises mundiais, como a atual pandemia higiénico-sanitária ou a anterior crise financeira, para relançar a construtora no mercado automóvel internacional, onde se consolidou com uma das mais importantes marcas europeias e mundiais.

Pedro Soares dos Santos

Pedro Soares dos Santos é o atual homem forte da Jerónimo Martins e, enquanto CEO da mais poderosa marca nacional, era incontornável que o seu nome não aparecesse a incluir nesta lista. Pedro Soares dos Santos é um self made man, que subiu dentro da Jerónimo Martins graças a uma ética de trabalho incansável. Começou em 1983, no grupo, como assistente de compras na área dos perecíveis e foi sendo promovido até chegar a diretor-geral do Recheio, em 1995. Daí até ao conselho de administração foi um pequeno salto, onde está desde 2013, liderando o grupo Jerónimo Martins logo líder retalhista em Portugal e na Polónia, tendo ainda sido responsável pela sua recente expansão internacional.

Gonçalo Moura Martins

O sector da construção civil é um dos mais fortes em Portugal e, se tivesse um rosto, esse seria o de Gonçalo Moura Martins. O empresário português lidera a construtora Mota-Engil desde 2013, aquele sendo o mais poderoso grupo de construção a operar em território nacional. A sua versatilidade faz com que acumule várias funções em várias empresas do grupo, incluindo a liderança da Ascendi, empresa concessionária de autoestradas. Gonçalo Moura Martins tem ainda uma formação eclética, já que, antes da pós-graduação em Gestão, havia-se formado em Direito pela Universidade de Lisboa.

Mauro Xavier

Na poderosa Microsoft outro gestor português aparece a dar cartas. Mauro Xavier, que começou por se destacar no mundo da política, tendo liderado a concelhia distrital de Lisboa do PSD, assumiu um lugar na comissão executiva da empresa informática, onde trabalha desde 2006. Além disso, Mauro Xavier desenvolveu também trabalho enquanto consultor na Accenture e foi vice-presidente do Instituto Português da Juventude. No seu percurso académico, realce para a pós-graduação em Harvard, a conceituada universidade norte-americana.

Verónica Soares Franco

O mundo da gestão continua a ser um universo extremamente masculino, mas cada vez mais mulheres vão a começar a surgir em posições de destaque, desfazendo essa ideia de patriarcado. Verónica Soares Franco tem um percurso académico que fala por si. Formada em Gestão na universidade norte-americana de Columbia, é atualmente docente na Universidade Católica, em Lisboa, e no The Lisbon MBA. Além disso, tem lugar no conselho de administração da Via Porto, a empresa que se dedica à manutenção e gestão do metro do Porto.

João Sebastian

É em outra poderosa empresa informática que encontramos mais um importante gestor português. João Sebastian, apesar do apelido estrangeiro, é diretor na Apple desde 2016, depois de já ter estado 3 anos na Google. Atualmente, é um dos jovens gestores mais promissores do mundo, tendo sido já distinguido em várias listas para gestores abaixo dos 40 anos. Formou-se na Universidade Católica e, entre outros, já passou pela Goldman Sachs.

João Jorge Sebastião

Outro gestor com menos de 40 anos que já se tornou num caso sério em Portugal é o de João Jorge Sebastião. Com 38 anos, é o CEO da Feedzai, a startup portuguesa mais promissora e reconhecida a nível global, com sede em Lisboa e sucursais em Coimbra, Sillicon Valley, Nova Iorque e Londres. Poucas startups chegam ao topo das empresas mundiais bem-sucedidas – os chamados unicórnios – e a Feedzai é uma das poucas empresas portuguesas a consegui-lo. A Feedzai é uma inovadora plataforma digital para o combate ao crime, com recurso a uma inovadora tecnologia de inteligência artificial.

Francisco Lacerda

Para terminar esta lista, menção a Francisco Lacerda, que lidera os CTT desde a sua privatização, em 2012. Antes disso, o gestor passou pelas finanças, tendo sido CEO do Banco Mello e tendo participado no conselho de administração do Millennium BCP. Tem ainda experiência como gestor de empresas de retalho, na Cimpor e até na EDP Renováveis, onde assume o cargo de administrador não executivo. Nos CTT foi responsável pelo rebranding da marca, pela abertura do Banco CTT e por toda uma nova vida dada aos correios nacionais.

Sobre o autor

Diana Costa

Content Specialist for Rankia Portugal

 

Responder a este tópico

Bem-vindo(a) à comunidade!

Selecione os temas que lhe interessa e personalize a sua experiência no Rankia

Enviaremos uma Newsletter cada quinze dias com as novidades de cada categoría que escolheu


Quer receber notificações dos nossos eventos/webinars?


Ao continuar, aceita a política de privacidade